Espanha

Abidal ainda guarda ressentimentos do Barcelona

Eric Abidal está irritado com o Barcelona. A entrevista que o jogador do Monaco deu ao jornal L’Equipe, publicada nesta sexta-feira, não é a primeira declaração do francês com ressentimento sobre a decisão do clube espanhol de não renovar o seu contrato, mas ele passou uma informação que era desconhecida. Disse que não recebeu salário durante os meses em que lutou contra um câncer no fígado.

Um representante do Barcelona disse para a agência EFE que o contrato de Abidal foi liquidado ao fim da temporada, pagando “cerca de €5 ou €6 milhões”. O clube ainda não se pronunciou oficialmente.

Ao jornal espanhol El Mundo, em junho, Abidal havia dito que o Barcelona não quis assumir o risco de “algo acontecer comigo”. Agora, ele nem se queixa tanto de não ter sido pago quanto da entrevista coletiva em que o Barcelona anunciou a sua despedida. Reclama do uso do termo “escolha profissional”, pois acredita que isso possa ter espantado propostas de outros clubes, que já teriam dúvidas por causa dos seus problemas médicos.

“Foi difícil entender o discurso do Barcelona durante a minha última entrevista coletiva. Ao dizer que foi uma escolha profissional, fez os outros clubes duvidarem. Não era sobre dinheiro. A prova disso é que cada mês que estive doente, o clube não me pagou”, afirmou.

Abidal levantou a taça do título espanhol de 2013 ao lado de Tito Vilanova. Um gesto de homenagem e solidariedade do elenco. O treinador que ficou apenas uma temporada no comando do Barcelona também enfrentou câncer, um dos motivos que o impediram de continuar. O francês não criticou Tito, mas acredita que teria continuado no clube se Pep Guardiola ainda fosse o treinador. “Certamente. Essa é uma pessoa que gosta muito de mim e com quem ainda estou em contato. Se ele estivesse lá, eu poderia ter continuado”, explicou.

Abidal começou a tratar o tumor no fígado em março de 2011. Conseguiu voltar a jogar a tempo de levantar o troféu da Liga dos Campeões daquele ano, novamente em gesto de solidariedade do elenco, principalmente do capitão Carles Puyol. No ano seguinte, precisou parar de jogar mais uma vez e passou por um transplante de fígado, em março de 2012. Voltou a atuar em partidas oficiais apenas em 6 de abril de 2013, contra o Mallorca. Um mês depois o seu contrato acabou, o Barcelona decidiu não renová-lo e o francês acertou com o Monaco.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo