EspanhaLa Liga

A melhor defesa do Atlético prevaleceu e impôs primeira derrota ao Real Madrid de Zidane

Jogar contra o Atlético de Madrid tem sido um sofrimento para o Real Madrid nos últimos anos, especialmente desde o fortalecimento dos Colchoneros com o técnico Diego Simeone. Desta vez, jogando no Santiago Bernabéu, os merengues sofreram. Mesmo sob o comando de Zidane e com um estilo de mais posse de bola, o time sofreu contra o rival da cidade que já se acostumou a complicar demais: defesa forte, pressão alta e (contra) ataque preciso. Foi assim que o Atlético de Madrid de Diego Simeone derrotou o Real Madrid de Zizou por 1 a 0.

LEIA TAMBÉM: Favorito a assumir o Chelsea, Conte é “um gênio e um pouco louco”, segundo Pirlo

O time do Real Madrid troca mais passes e é mais paciente com a bola com Zidane do que era com Rafa Benítez, no começo da temporada. A mudança de estilo aconteceu, ainda que tenha sido aos poucos e sutilmente. Só que mesmo com esse novo modo de jogar, o Real Madrid se viu sem opções. A bem posicionada defesa do Atlético não dava espaços para os atacantes merengues, nem permitia triangulações, que se tornaram comuns no time branco nas últimas rodadas. O que se viu, então, foium jogo de poucas chances.

O Atlético de Madrid não se contentou com ficar só na defesa e tentava, quando recuperava a bola, trabalhar as jogadas. Não conseguiu ter sucesso na maioria das vezes. Vez por outra, aproveitava algum espaço deixado pela defesa adversária. Era raro, porém, termos chances claras. O que, evidentemente, era melhor para o Atlético, que administrava e cozinhava o jogo com a mesma paciência que o Real tentava fazer com a bola.

Alguns jogadores fizeram uma partida incrível. O primeiro que precisa ser citado, é claro, é Antoine Griezmann. Foi dele a jogada do gol, abrindo para a esquerda onde achou Filipe Luís, que cruzou para o próprio Griezmann marcar o gol, que seria o gol da vitória. Outros jogadores também merecem elogios. Um deles é Augusto Fernández, volante que marcou e jogou muito bem. Gabi e Koke também fizeram ótimas partidas.

Houve uma polêmica aos 30 minutos do segundo tempo, com Gabi dando uma entrada dura em Danilo. um lance que seria falta na maioria das vezes. O árbitro não deu. E o time de Zidane não criou muito mais. Algumas cabeçadas de Cristiano Ronaldo, uma delas em uma ótima chance, mas defendida por Oblak.

O Real Madrid teve problemas com James Rodríguez apagado, com Cristiano Ronaldo bem marcado, com Isco sem conseguir apresentar nada de importante. Juntando a atuação apagada com a ótima marcação do Atlético, o resultado acabou sendo a defesa dos Colchoneros prevalencendo sobre o ataque dos merengues. E não é um acaso. O Atlético sofreu só 11 gols em 26 jogos. Nem o melhor ataque do campeonato, o do Real Madrid (71 gols contra 67 do Barcelona), foi capaz de tirar a vitória do Atlético.

Na liga, o Real Madrid fica distante do título. Com 54 pontos, fica a nova do Barcelona. O Atlético de Madrid sobre para 58, ainda longe dos 63 do Barcelona. O título espanhol acaba sendo muito distante para os dois, considerando o aproveitamento excelente dos rivais catalães e, mais do que isso, o futebol envolvente do time. Mesmo em vitórias magras. Parece claro que se o Atlético de Madrid não é tão rico e nem tão forte quanto os dois maiores rivais, também é um time forte que disputa em alto nível.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo