O tíquete de Jürgen Klopp à imortalidade na história do Liverpool é a conquista da Premier League. Mas, enquanto seu time batalha semana a semana em busca do cálice sagrado, o time do treinador alemão alcança feitos, como um título europeu, e bate recordes. Nesta quarta-feira, por exemplo, os Reds derrotaram o Everton por 5 a 2 e chegaram à 32ª rodada consecutiva sem derrota na primeira divisão do Campeonato Inglês, a maior sequência invicta da sua história.

A marca ganha em dimensão quando se coloca em perspectiva que o Liverpool foi o time dominante do país durante duas décadas, justamente período em que o recorde anterior foi alcançado: 31 partidas entre maio de 1987 e março de 1988. A última derrota do atual time vermelho foi para o Manchester City, em janeiro. Ampliando um pouco o escopo, aquela foi a única partida que o clube perdeu pela Premier League nas últimas 54 que disputou.

Este, porém, era um jogo de risco. Os dérbis contra o Everton têm sido travados. Houve apenas um gol nos últimos três – aquele de Origi, nos acréscimos do segundo tempo, depois de Pickford vacilar e a bola bater no travessão. Além disso, Jürgen Klopp poupou alguns titulares para a maratona das próximas semanas. Apenas Sadio Mané foi titular do trio de ataque, e o meio-campo foi formado por Milner, Wijnaldum e Lallana.

Dá para dizer que Klopp acertou ao escolher Mané para acompanhar Divock Origi e Xherdan Shaqiri, em sua primeira partida como titular da Premier League desde janeiro. O senegalês foi o senhor do primeiro tempo, com duas assistências e um belo gol, comandando o avassalador sistema ofensivo do Liverpool, que pegou o Everton no contrapé diversas vezes.

Essa transição ofensiva com muita velocidade, inversões de jogo e precisas bolas longas foi o que matou o Everton. No primeiro gol, Mané arrancou em contra-ataque a partir do meio-campo e tirou da cartola um lindo passe rasteiro com a canhota por trás da defesa. Origi dominou driblando Pickford e empurrou ao gol vazio. Nove minutos depois, Alexander-Arnold cortou o gramado com um lindo lançamento. Mané dominou com classe, puxou para o meio e soltou na medida para Shaqiri completar cruzado.

O Liverpool encaminhava a 14ª vitória em 15 rodadas de Premier League, campanha praticamente impecável. No entanto, apenas uma vez nessa trajetória conseguiu passar os 90 minutos sem ser vazado – no 1 x 0 contra o Sheffield United. Com Adrián no lugar do suspenso Alisson, o líder assistiu ao Everton descontar com Michael Keane, que pegou a sobra em uma bola dividida com Lovren e mandou para as redes.

No entanto, antes que o sinal amarelo pudesse ser ligado, mais um lindo lançamento, agora de Lovren desde o campo de defesa, encontrou Origi dentro da área. O atacante belga dominou com qualidade e deu um toquezinho por cobertura para fazer 3 a 1.

Ainda no primeiro tempo, outro contra-ataque mortal. Mané começou a jogada com Alexander-Arnold, pela esquerda, e disparou. O lateral direito carregou até a entrada da área e soltou para o senegalês bater de primeira: 4 a 1. Richarlison, de cabeça, manteve um fiapo de esperança para o Everton.

O ritmo do segundo tempo diminuiu muito. O Liverpool tirou um pouco o pé do acelerador, mas teve duas chances incríveis de matar a partida. Maravilhoso no primeiro tempo, Mané desperdiçou as duas. A primeira foi fruto de mais um preciso lançamento. Cara a cara, o senegalês mandou para fora. Na segunda, chegou a driblar Pickford, mas, pressionado pela marcação, não conseguiu finalizar e perdeu o ângulo.

Já no fim da partida, Firmino, que havia entrado na vaga de Origi, entortou a coluna de Holgate pela ponta esquerda e rolou para Wijnaldum marcar o sétimo gol da partida, fazendo deste o dérbi de Merseyside com mais gols desde um 4 x 4 em 1991, pela quinta rodada da Copa da Inglaterra. Em Anfield, foi o jogo em que as redes mais balançaram desde 1933 (7 x 4 para os mandates) e, na primeira divisão, apenas o terceiro clássico da cidade a superar os seis gols (o outro jogo foi um 5 x 2 para o Everton em 1904).

Ainda falando em marcas históricas, o Liverpool manteve o tabu de não ser derrotado em Anfield pelo Everton desde 1999, quando Steven Gerrard foi expulso, e está há 20 duelos invicto contra o vizinho, em jogos disputados em qualquer lugar. São 10 vitórias e 10 empates. Mais importante do que isso, mais um passo foi dado na direção do inédito título da Premier League.

.

.

Classificações Sofascore Resultados

.