BrasilEliminatórias da Copa

Convocação da seleção brasileira tem volta de Daniel Alves e alguns nomes que precisam ser testados

Tite convocou nomes como Gabriel Magalhães, Emerson Royal, Bruno Guimarães, Rodrygo e Gerson, além da volta de Dani Alves

O técnico Tite convocou a seleção brasileira nesta quinta-feira para os jogos das Eliminatórias da Copa contra o Equador, no dia 27 de janeiro, em Quito, e contra o Paraguai, no dia 1º de fevereiro, em Belo Horizonte. Uma das novidades é a volta de Daniel Alves, aos 38 anos, depois de ter retornado ao Barcelona neste mês. A lista tem diversos nomes para serem testados, muitos deles que já até jogaram, mas tiveram poucos minutos com a camisa do Brasil. Como está classificada à Copa, Tite poderá fazer mais testes na Seleção.

VEJA MAIS: Futebol, boemia e pancadaria: Quando Brasil e Argentina decidiram a Copa América em pleno Natal

Danilo, da Juventus, ficou fora da lista de convocados, machucado. Na sua posição, a lateral direita, dois jogadores que buscam ganhar espaço para a Copa. O primeiro é o conhecido Daniel Alves, que tenta retomar o bom momento que viva com a camisa do Brasil em 2019, quando fez uma grande Copa América, foi o capitão do time e acabou eleito o melhor jogador do torneio. Voltou ao Brasil para defender o São Paulo, mas embora tenha vivido bons momentos, a relação com o clube foi turbulenta e a saída foi pela porta dos fundos, com a cobrança de dívidas que o time do Morumbi prometeu e não pagou.

O outro nome da posição, Emerson Royal, ainda tenta se firmar no Tottenham, mas é visto como um jogador promissor desde que surgiu no Atlético Mineiro. Sua passagem pelo Betis foi ótima e agora, no Tottenham, tenta ganhar consistências nas atuações. Aos 22 anos, é um dos nomes mais interessantes para Tite testar, mas precisa ter mais minutos. Até aqui, foram seis jogos pela seleção brasileira, mas com poucos minutos em campo: 215, média de pouco mais de 35 minutos por jogo.

Na lateral esquerda, Tite afirmou que Renan Lodi não foi convocado porque não tomou as duas doses da vacina contra a COVID-19, o que geraria alguns problemas em relação às restrições. Foi chamado Alex Telles, do Manchester United, que vem sendo mais reserva do que titular de Luke Shaw. Alex Sandro, que é sempre muito criticado, segue na lista. As laterais tem sido problemas para a Seleção nos dois lados.

Tite não chamou Guilherme Arana, que é atualmente o lateral esquerdo em melhor momento, e justificou que o jogador ainda não voltou – o Atlético deu folga mais prolongada aos titulares – e por isso ficou fora. Não parece muito justificável, mas parece claro que Arana tem que estar no mínimo no grupo e, neste momento, é o jogador que parece melhor para ser titular. Caio Henrique, que está no Monaco, também tem atuado bem e é um jogador que deveria estar no radar para ser testado, já que nem Alex Sandro, nem Renan Lodi estão em bom momento, enquanto Telles é reserva.

Na zaga, a novidade é Gabriel Magalhães, do Arsenal. Aos 24 anos, o jogador tem ido muito bem no clube de Londres, se tornou titular e ganha uma chance para uma vaga em aberto: a de quarto zagueiro do elenco que vai à Copa. Os outros três parecem já definidos e são os outros convocados: Marquinhos, titular incontestável, Éder Militão, em plena ascensão, e Thiago Silva, que mantém o alto nível. O quarto nome ainda está aberto e Gabriel precisa ganhar minutos em campo para ser observado de perto.

O meio-campo tem alguns nomes que são bastante pedidos. O principal deles é Bruno Guimarães, do Lyon, de 24 anos. Titular na Olimpíada, o jogador tem feito ótima temporada no Lyon e é um jogador muito pedido especialmente no lugar de Fred, do Manchester United, mais uma vez convocado. O jogador, aliás, foi muito bem na última data Fifa, especialmente no jogo contra a Argentina.

Outro nome do meio-campo e que também joga na França é Gérson. O meia, ex-Flamengo, vive altos e baixos no Olympique de Marseille, mas tem jogado bastante. São 23 jogos até aqui, com 16 deles como titular. Sua posição, porém, tem variado. Curiosamente, onde ele mais atuou foi como meio-campista aberto pela esquerda e como meia ofensivo. Não tem atuado tanto como segundo volante, como fazia no Flamengo. Nos jogos que entrou na Seleção, o meio-campista não foi bem. Entrou inclusive muito mal contra a Venezuela. Agora, porém, é o momento de dar minutos e saber se ele pode ser um bom nome para levar à Copa.

Entre os meio-campistas estão outros dois nomes que acabam sendo muito discutidos. Philippe Coutinho ganha mais uma vez a confiança de Tite, tendo mudado de clube nesta janela de transferências. Ele ainda nem jogou pelo novo clube e não vinha jogando pelo Barcelona, mas Tite acredita que o jogador pode render e o mantém no grupo. Éverton Ribeiro é outro que segue na lista, especialmente pelo que fez na própria seleção na Copa América e quando entrou nas Eliminatórias. Suas boas atuações convencem a comissão técnica.

Entre os nomes que poderiam ser testados como meia ofensivo é Claudinho, do Zenit, que fez uma boa Olimpíada, chegou a ser convocado para o time principal, mas acabou não sendo liberado pelo clube. O meia vem brilhando muito no Campeonato Russo. Mas Coutinho é um jogador de confiança do treinador, ainda que Claudinho ainda deva estar na briga.

Por fim, o ataque traz poucas novidades. Inicialmente, chama a atenção que Neymar está fora, ainda lesionado, e Roberto Firmino não foi chamado, sem estar em grande fase no Liverpool. Tem a volta de Rodrygo, aos 21 anos, com o jogador é um jogador de elenco no Real Madrid, entrando muitas vezes, mas ganha chance na seleção brasileira – mas, como nos outros casos, precisa ganhar minutos, algo que nem sempre Tite faz.

Os demais nomes são os de sempre e os que ganharam espaço: Antony e Raphinha, que aproveitaram as chances que tiveram, Matheus Cunha, que também foi bem quando entrou e é um nome forte para brigar pela posição de centroavante no elenco, e Gabriel Barbosa. Gabigol deve mais uma vez ter chances para mostrar o que fez no Brasil nos últimos anos, sendo o principal nome de ataque do Flamengo e um dos melhores do país. Na Seleção, ele melhorou, mas ainda se espera que possa ir além.

Gabriel Jesus segue na lista e não se sabe bem se como ponta ou centroavante. Suas atuações não foram brilhantes, mas ele conseguiu ir bem em alguns jogos, especialmente quando atuou pelos lados do campo. Foi o bastante para convencer Tite, embora esteja mais claro que o jogador se tornou um reserva, ao menos por enquanto. Vinícius Júnior é possivelmente o nome mais badalado neste momento, vivendo a melhor fase da carreira pelo Real Madrid e, neste momento, tem tudo para ser um titular do time, especialmente sem Neymar. Foi um dos melhores do Brasil na última data Fifa.

O Brasil lidera com folga as Eliminatórias da Copa, com 35 pontos, contra 29 da Argentina, segunda colocada. Os dois estão classificados para a Copa. A briga pelas outras vagas está muito mais acirrada. O Equador está perto da vaga, com 23 pontos, com a Colômbia, Peru (ambos com 17), Chile, Uruguai (ambos com 16) e até a Bolívia (com 15) estão na briga.

Confira a lista de convocados:

Goleiros: Alisson (Liverpool), Ederson (Manchester City), Weverton (Palmeiras);

Laterais: Emerson Royal (Tottenham), Daniel Alves (Barcelona), Alex Sandro (Juventus), Alex Telles (Manchester United)

Zagueiros: Eder Militão (Real Madrid), Gabriel Magalhães (Arsenal), Marquinhos (PSG), Thiago Silva (Chelsea)

Meio-campistas: Bruno Guimarães (Lyon), Casemiro (Real Madrid), Fabinho (Liverpool), Fred (Manchester United), Gerson (Olympique de Marseille), Everton Ribeiro (Flamengo), Lucas Paquetá (Lyon), Philipe Coutinho (Aston Villa)

Atacantes: Antony (Ajax), Gabriel Barbosa (Flamengo), Gabriel Jesus (Manchester City), Matheus Cunha (Atlético de Madrid), Raphinha (Leeds), Rodrygo (Real Madrid), Vinicius Júnior (Real Madrid)

Standings provided by SofaScore LiveScore

 

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo