CONHEÇA O CLUBE | Nkana: O gigante de Zâmbia

por André Renato

O título conquistado por Zâmbia na Copa Africana de Nações no último dia 12 é daquelas histórias que adoçam o amor pelo futebol. Atuando no Gabão, os Chipolopolos superaram o favoritismo da Costa do Marfim e, nos pênaltis, levaram a taça pela primeira vez a este país situado no Sul da África. Dos 23 jogadores campeões, sete atuam no futebol local. Isso mostra que o Campeonato Zambiano tem sua força. Um fato simbolizado pelo Nkana, o maior campeão local e dono de tradição copeira em competições continentais.

O clube foi fundado na cidade de Kitwe (a segunda maior do país) em 1935, quando a Zâmbia ainda era colônia britânica. Na época, o time se chamava Rhokana United. Em 1975 (11 após a independência zambiana), mudou para Nkana Red Devils. Não era uma equipe poderosa nesse período. O Campeonato Zambiano foi organizado pela primeira vez em 1962. Nas vinte primeiras edições, o Mufulira Wanderers conquistou sete vezes o título, seguido por Kabwe Warriors e Green Buffaloes com quatro.

Foi apenas em 1982 que os Red Devils conquistaram seu primeiro título. A base tinha como destaques Ben Bamfuchile, Kapambwe Mulenga e Mordon Malitoli, que ajudaram o Nkana a levar o bi invicto em 1983. A partir daí, virou a grande potência zambiana. Até 1992 (um ano depois de o clube adotar o nome atual, Nkana Football Club), foram oito títulos. Os Kampalas já eram os maiores campeões do país.

Tamanho sucesso levou também à popularidade. O ex-presidente de Zâmbia, Fredrick Chiluba, teve seu amor pelo Nkana lembrado por Kalusha Bwalya, maior jogador de futebol do país, durante seu funeral, em junho de 2011. Ele fazia questão também de declarar sua paixão pelo inglês Arsenal, apesar de torcer para um clube ‘Red Devil’.

A mais pesada das derrotas
Tantos títulos permitiram ao Nkana disputar a Copa/Liga dos Campeões da África em 11 oportunidades. O time nunca foi campeão, mas tem um histórico bastante respeitável: um vice-campeonato, quatro semifinais e três quartas de finais.

O segundo lugar ocorreu em 1990 e da maneira mais doída possível. Sob comando de Moses Simwala, o Nkana deixou pelo caminho o Express (Uganda), Arsenal (Lesoto), Racing Bafoussam (Camarões) e Iwuanyanwu Nationale (atual Heartland, Nigéria).

A final, disputada em ida e volta, foi contra o JS Kabylie, da Argélia. No primeiro jogo, fora de casa, derrota por 1 a 0. Em 22 de dezembro, atuando na capital Lusaka, um gol de Amos Bwalya levou a partida para a decisão nos pênaltis, onde a equipe zambiana foi derrotada por 5 a 3.

Atualmente, o Nkana amarga um jejum de dez anos sem conquistar a Premier League zambiana. Em 2011, terminou apenas na sétima posição. Para piorar, o título ficou com o Power Dynamos, seu grande rival de Kitwe. Para reverter esse processo, os Kampalas apostam no atacante Evans Kangwa, 17 anos, um dos artilheiros do último campeonato e único representante do clube no elenco de Zâmbia na CAN.

Ficha Técnica

Nkana Football Club
Principais títulos:
11 Campeonatos Zambianos, 6 Copas de Zâmbia, 7 Challenge Cups
Principais jogadores: Ben Bamfuchile, Amos Bwalya, Kapambwe Mulenga, Mordon Malitoli e Musole Sakhulanda