BrasilCampeonato Brasileiro

Uma nona rodada cheia de dramas no Brasileirão

Alguns hereges insistiam em dizer que o Campeonato Brasileiro estava chato, apesar da presença de bons veteranos como Seedorf, Alex, Zé Roberto e Juninho. Essa mesma galera que não vê a mesma graça nos jogos das Arenas da Copa depois do título do Brasil na Copa das Confederações, acha que todo santo duelo perdido pelo Brasileirão tem de ser tão emocionante quanto fases finais dos torneios Fifa.

Pois se não está com a mesma emoção que um Brasil x Espanha, Brasil x Uruguai ou até mesmo um Japão x Itália, certamente está bem equilibrado. Enquanto muitos de nós acreditávamos que o grupo dos que iam brigar pelo título estava restrito a Corinthians, Fluminense, Atlético Mineiro, Grêmio e Internacional, algumas boas surpresas despontam na tabela.

O Coritiba de Alex, o Vitória de Maxi Biancucchi e até mesmo o Bahia de… de Cristóvão Borges mostram certa consistência. Num campeonato em que o líder Cruzeiro soma 18 pontos, com cinco vitórias, três empates e uma derrota e o Coxa fecha o G4 com 17 e invicto, é justo que se aponte que é sim uma disputa mais embolada do que as edições recentes. E quando vemos Fluminense e São Paulo na zona de rebaixamento, sem falar no Flamengo que está ali por perto, a única reação possível é aguardar os próximos capítulos desse drama real dos times brasileiros.

Bem vindo à Arena Leblon
Manifestantes ironizam a elite carioca ao protestar contra os altos preços dos ingressos no Maracanã (Crédito: Lancenet!)
Manifestantes ironizam a elite carioca ao protestar contra os altos preços dos ingressos no Maracanã (Crédito: Lancenet!)

Fora do Maracanã, um protesto bem humorado feito por pessoas vestidas de forma elegante marcou os novos tempos no principal estádio do Rio de Janeiro. Os manifestantes botafoguenses e flamenguistas exibiam cartazes criticando os preços salgados de ingressos para assistir aos jogos no Maracanã. “Bem vindo à Arena Leblon”, eles diziam. Dentro de campo, o Fogão saiu na frente e escapou de levar uma virada colossal do Flamengo, que teve dois gols de Elias anulados. O segundo foi uma marcação dificílima, mas o meia rubronegro estava em posição legal após o bate e rebate na área. Pelo sim e pelo não, foi às redes no finzinho, aos 49, para amenizar um pouco as críticas contra a arbitragem. Ponto para Elias, que tanto persistiu e liderou a reação flamenguista no segundo tempo. O Botafogo recuou demais e chamou o adversário para o seu campo. Deu no que deu…

Carimba ou não carimba?

O Cruzeiro recebeu o Atlético no Mineirão para o clássico mais saboroso dos últimos tempos para o Galo. Escalando o time reserva, o novo campeão da América levou um baile da Raposa, que fez 4 a 1 e sim, carimbou a faixa da Libertadores dos rivais. Bem verdade que o Cruzeiro tinha bem mais interesse no resultado e ainda apresentava o recém-chegado Julio Baptista diante da torcida. Os comandados de Marcelo Oliveira não se importaram de enfrentar o time reserva do Galo, tampouco tiveram dó ao construir o placar que fez a festa do lado azul no Mineirão. Em 2009, após perder a Libertadores para o Estudiantes, o Cruzeiro também teve um clássico no domingo seguinte à decisão continental. E assim como o Atlético, escalou um mistão e levou de 3 a 0. Voltamos ao anos de 2013 e todos tiveram o que comemorar, não é mesmo? Sendo assim, o carimbo da faixa é legítimo.

Campeonato Brasileiro de empates

O Coritiba já foi líder e perdeu o posto nas últimas duas rodadas para Inter e Cruzeiro. Liderado em campo por Alex, o veterano que é mais efetivo até aqui no campeonato, o time paranaense continua na frente dos demais em um quesito: os empates. Ao lado do Corinthians, o Coxa tem 5 empates. A diferença é que nos outro quatro jogos, os paulistas sofreram um pouco mais e isso explica a 11ª posição atual, com 11 pontos, seis atrás do Coritiba. Nessa competição paralela, o Fluminense está na lanterna, sem nenhum empate no cartel. Com o Flu é oito ou oitenta, somando três vitórias e alarmantes seis derrotas. Não está fácil em nenhuma frente para o tricolor carioca.

Bombardeio de um homem só

Já falamos que Alex é um dos atletas mais importantes da competição e obviamente o melhor dentro do Coritiba. Contra o Vitória, o carequinha tentou aprontar das suas ao torturar o goleiro Wilson com vários chutes de fora da área. Foram oito arremates e três no gol. Um deles, numa cobrança de falta antes do intervalo, foi parar nas redes. No placar, 1 a 1, com um gol de Maxi Biancucchi aos oito minutos iniciais, aproveitando um cochilo da defesa coxa branca. O Coritiba precisa encontrar outras alternativas ofensivas que não dependam tão diretamente de Alex. E logo, pois essa fórmula vai ficar manjada.

O incrível líder que perde do lanterna
Maikon Leite jogou demais em sua estreia pelo Náutico
Maikon Leite jogou demais em sua estreia pelo Náutico

Na última semana, o Inter chamou tanta atenção quanto o Atlético e contratou Alex e Scocco para a sequência do Brasileirão. E tinha o lanterna Náutico pela frente no domingo, na Arena Pernambuco. Foi aí que a Lei do ex aprontou com o Colorado. Derley, meia do Timbu que foi formado no Beira Rio, abriu o placar. O estreante Maikon Leite, vindo do Palmeiras, também aprontou e fez um gol, além de dar uma assistência para o terceiro gol da partida. Alguns torcedores do Inter disseram que era evidente que uma tragédia aconteceria. Estava tudo muito perfeito para mais uma vitória. Perfeito até demais. Desastres como esse acontecem sempre. E será que o Náutico reage mesmo com o elenco renovado? Mais um dos dramas do Brasileirão.

Um empate a se comemorar?

Desde maio o São Paulo não vencia uma partida pelo Brasileirão. Ao vencer o Vasco por 5 a 1, o tricolor mal sabia que iria entrar em um inferno astral logo depois. Ao duelar com o Corinthians pela Recopa e perder o título, o time do Morumbi se afundou na má fase, perdendo uma série de cinco derrotas. O fim do sofrimento veio com um empate diante do Timão, neste domingo. O 0 a 0 chegou a irritar alguns corintianos que queriam piorar ainda mais as coisas para o São Paulo. Ainda é cedo para falar em plena recuperação, mas não perder um clássico tão importante como esse deve dar um pouco mais de tranquilidade para o trabalho de Paulo Autuori. No Corinthians, a situação está pior do que o que se espera de um elenco campeão como o de Tite. São muitos empates e o pior ataque na competição, com apenas seis gols. Não está confortável, mas também é exagero tratar isso como uma grande preocupação.

O campeão em apuros
Abel ralha com um dos jogadores do Fluminense na derrota contra o Grêmio
Abel ralha com um dos jogadores do Fluminense na derrota contra o Grêmio

Por falar em campeão, o Fluminense foi do céu ao inferno em apenas um semestre. Na zona de rebaixamento, o tricolor carioca enfrenta uma crise defensiva e tem pago por essa fragilidade. As seis derrotas no campeonato minaram o clima de Abel Braga, que passou a criticar em aberto alguns de seus atletas, o que ficou mais do que claro na derrota contra o Vasco no domingo retrasado. Abelão voltou do intervalo dizendo que estava muito fácil fazer gol no Fluminense. 30 segundos depois, André fez o segundo gol cruzmaltino e botou a torcida tricolor em pânico. A situação ficou insustentável e o treinador deve mesmo perder o cargo nesta segunda, como crava o jornal Extra, do Rio de Janeiro.

Grêmio correndo por fora

É inegável que a chegada de Renato Portaluppi mudou para melhor o clima nos vestiários do Grêmio. Os resultados já aparecem em campo, com vitórias importantes diante de adversários difíceis. Contra o Fluminense em apuros, os gaúchos derrubaram a parede defensiva de Abel e fizeram um 2 a 0 justíssimo com Kléber e Riveros. Em casa, o Grêmio mostra competência para somar os pontos necessários para brigar pelo título. Falta ainda um pouco de consistência fora, mas isso não deve ser lá um obstáculo tão grande para Zé Roberto e seus colegas. De ponto em ponto, Renato chega lá.

O Rei de São Januário

Juninho mal retornou e o Vasco venceu suas duas partidas no campeonato. Contra o Fluminense e contra o Criciúma, o Cruzmaltino superou a desconfiança e resolveu algumas de suas pendências financeiras. De elenco reforçado e com o comando de Dorival Júnior, as atuações de Juninho facilitam a aproximação do meio com o ataque, sem falar no grande perigo que representa nas bolas paradas. Em São Januário na noite de sábado, o Vasco fez 3 a 2 no Criciúma e apesar do sofrimento, definiu o resultado nesses lances ensaiados. O primeiro gol, de Juninho, teve a colaboração do goleirão Bruno, o segundo saiu num balaço de Rafael Vaz e o terceiro num lance de vacilo total da defesa do Tigre, que deixou Edmílson sozinho para testar e marcar. A assistência foi de quem? Ele mesmo, o capitão e camisa 8.

Mais do mesmo no Santos
Neílton, destaque dos últimos jogos do Santos
Neílton, destaque dos últimos jogos do Santos

O crescimento repentino do Santos após a saída de Muricy Ramalho já pode ser questionado após uma derrota estranha dos Meninos da Vila para a Ponte Preta, no sábado. Fora de casa, o Peixe deu mais uma chance para a meninada e decepcionou ao perder por 1 a 0, em gol de Rildo. Leandrinho, Neílton e Giva entraram jogando e Claudinei Oliveira optou por um 4-2-3-1 mais cauteloso contra a Macaca. Pagou o preço pela falta de combatividade e levou um gol cruel de Rildo na volta do intervalo. E aquela empolgação, ofensividade e molecagem?

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo