Brasil

Torcedores do Doze começam a sugerir contratações, e quase todos querem Caça-Rato

O Doze Futebol Clube, clube capixaba cujas decisões administrativas são tomadas mediante votação dos sócios-torcedores, está prestes a entrar em uma nova etapa: reformulação do elenco para o segundo semestre. E quem decidirá quais peças serão contratadas para a disputa da Copa Espírito Santo, quando a segunda divisão do Campeonato Capixaba terminar, são naturalmente os próprios torcedores. Por enquanto, o favorito é o atacante Flávio Caça-Rato, ex-Remo e Santa Cruz.

LEIA MAIS: No Doze FC, você pode avaliar os jogadores que nem no Football Manager

A plataforma para reunir os alvos de transferência – como a lista preferencial do Football Manager – foi lançada nesta semana. Qualquer sócio pode sugerir uma contratação, cadastrando o nome e o perfil do jogador no site. Coloca quanto acha que seria o salário, em uma escala de 1 a 5 (de bem barato a totalmente fora da realidade), e os seus colegas de “diretoria” votam para aprová-lo. Se ficar decidido que a necessidade é um atacante, o clube irá atrás do fazedor de gols com maior aprovação. Se não conseguir esse, do segundo colocado, e assim por diante.

Caça-Rato é quase uma unanimidade entre os sócios-torcedores do Doze FC. Tem 92,31% de aprovação (dados do final da tarde desta terça-feira) e um salário relativamente acessível. Quem o cadastrou palpita que sua pedida seria na média do mercado, mas nem precisa tentar adivinhar. Semana passada, ele publicou no Instagram que quer R$ 40 mil por mês. O segundo colocado é Renato Abreu, ex-meia do Flamengo, com 76,92%. Tem até Adriano Imperador na lista, aprovado por 70% dos sócios e com rendimentos longe da realidade do orçamento do Doze.

Os jogadores favoritos da torcida do Doze
Os jogadores favoritos da torcida do Doze

Mas não necessariamente fora de cogitação porque o orçamento do clube pode ser ampliado em casos específicos. A diretoria pode abrir um crowdfunding, nome todo pomposo para vaquinha, para juntar mais dinheiro. Então, se Adriano pedir R$ 50 mil por mês, e o Doze puder pagar apenas R$ 40 mil, pode complementar a renda com doações dos sócios, além da anuidade.

Aliás, o poder dos sócios no Doze é tão grande que eles propuseram diminuir drasticamente o valor da contribuição fixa de R$ 49,90 por mês para R$ 19,90 e conseguiram. Um exemplo interessante no momento em que tantos clubes grandes discutem valor de ingresso e de associação. É óbvio que a dinâmica dos capixabas é diferente, mas os sócios-diretores são essencialmente sócios-torcedores com poder de decisão. E se você for parar para pensar, todo clube deveria ser um pouco mais assim.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo