Brasil

Tem Copinha sim: Palmeiras conquista título inédito com Endrick como estrela e um time cheio de talento

Palmeiras acaba com a piada e conquista a Copa SP de modo avassalador: goleou o Santos e teve em Endrick, 15 anos, como estrela

O Palmeiras acabou com a sua sina e conquistou a Copinha pela primeira vez na sua história em 2022. Venceu o Santos por goleada, 4 a 0, e garantiu sua primeira taça da mais tradicional competição de base do Brasil com o nascimento de uma estrela: Endrick, de 15 anos, que marcou seis gols, um deles na final, e foi o grande nome do torneio. Mais do que apenas um destaque, o Palmeiras conseguiu revelar ótimos nomes que têm capacidade para brigar por espaço no time principal.

O jogo teve polêmica antes mesmo do seu início por ter o Allianz Parque como palco da final. Isso porque o Pacaembu está em obras depois da concessão e, por isso, a Federação Paulista de Futebol deixou o local da decisão indefinido. Seria escolhido o estádio de acordo com quem chegasse à final. Assim, com o Palmeiras na decisão e a melhor campanha, foi escolhido o estádio do time alviverde, com torcida única de palmeirenses, respeitando uma estúpida regra que o Ministério Público de São Paulo criou.

VEJA TAMBÉM: Em 2005, Palmeiras recebeu o Palmeiras no Palestra e perdeu (ou ganhou) de goleada

Massacre em 15 minutos

Logo no começo do jogo, aos cinco minutos, o Palmeiras já abriu o placar. Vanderlan cruzou da esquerda, ninguém cortou e Endrick, no meio da área, finalizou de primeira para marcar 1 a 0. Logo depois, aos 11, veio o segundo. Jhonatan tocou para Giovani Henrique receber na direita, dominar e, de pé esquerdo, bateu colocado e venceu o goleiro Diógenes: 2 a 0. Aos 15, veio o terceiro: Gabriel Silva cobrou falta e o goleiro mais uma vez não conseguiu chegar: 3 a 0.

Assim, o Palmeiras já construiu uma vantagem que parece grande demais para ser tirada antes dos 20 minutos de partida. Ficou ainda mais complicado para o Santos quando Derick recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Ele recebeu o primeiro cartão amarelo aos 13 e o segundo aos 45 minutos. O Peixe jogaria toda a segunda etapa com um jogador a menos no seu time.

Logo no início da segunda etapa, o Palmeiras aproveitou para ampliar ainda mais o placar. O lateral esquerdo Vanderlan cruzou para a área e Gabriel Silva cabeceou para marcar 4 a 0. Se havia alguma pequena esperança para o Santos, ela morreu nesse gol. Restava apenas esperar o fim do jogo e talvez conseguir um gol ou dois para melhorar o quadro. Mas o desânimo era evidente e o Palmeiras, senhor da partida, controlava o jogo sem muitos problemas.

Muitas revelações na Copinha

Endrick é, sem dúvidas, o nome do Palmeiras e do torneio. O fato de ter apenas 15 anos não é um fato qualquer. Ele fará 16 anos apenas em julho e, assim, poderá assinar seu primeiro contrato profissional. O potencial é imenso e é inevitável que ele pinte no time de cima, especialmente com o desejo de um camisa 9 que a torcida tem. Ele é o 9 da base e foi bem demais e já entrou para a histórica do clube.

Um dos nomes que brilhou na Copinha foi Gabriel Silva, que já figura no time principal e já fez até gol. Aos 19 anos, é um atacante que pode atuar tanto vindo de trás como pelos lados do campo. Nesse time campeão, assumiu a camisa 10 e foi um articulador que encostava em Endrick no ataque.

O lateral esquerdo Vanderlan foi outro que brilhou ao longo da competição e tem potencial para jogar no time principal. Os atacantes Giovani Henrique e Jhonatan, de 18 e 19 anos, respectivamente, também mostraram qualidades, ainda que, neste caso, ambos tenham concorrência forte no time principal e talvez precisem de espaço em outro clube antes de serem aproveitados.

O Santos, apesar de ter perdido a final, revelou ótimos jogadores, que podem ser bastante úteis para o técnico Fabio Carille já neste ano. Weslley Patati, Ed Carlos e Lucas Barbosa. Este último, canhoto, de habilidade e boa técnica, pode ser uma opção interessante à equipe principal. Rwan Seco também mostrou potencial e merece ser melhor observado no time de cima. O lateral esquerdo Lucas Pires foi outro que deixou uma ótima impressão no Peixe.

Como já é comum, a Copinha deixou muitos nomes para os times aproveitarem. Figueiredo, do Vasco, deixou os torcedores esperançosos, mesmo não tendo ido tão bem em 2021 já no time profissional. Ele é o artilheiro da Copinha, junto a Werik, do Oeste. Beraldo, Vitinho e Caio, do São Paulo, mostraram qualidades e devem ser aproveitados por Rogério Ceni no time principal.

Os gols

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo