Brasil

O lado financeiro atenuou o fracasso em campo do Internacional em 2023

Em ano eleitoral, gestão de Alessandro Barcellos conseguiu incrementos importantes de receitas para o Internaciona

Apesar de insucessos dentro de campo, especialmente no primeiro semestre, a gestão de Alessandro Barcellos conseguiu incremento importante de receitas para o Internacional em 2023. Em alguma instância, isso ajudou a garantir a reeleição para o próximo triênio, em acirrada disputa com a chapa de Roberto Melo, no final do ano.

Internacional aderiu à LFF e já recebeu R$ 109 milhões por conta disso

A divisão política do Internacional ficou escancarada meses antes da eleição, com o debate quanto a qual liga o clube deveria aderir: Liga Forte Futebol (LFF) ou Libra. Em 24 de julho, em votação nominal, os conselheiros colorados optaram pela LFF, que era defendida por Barcellos. O Movimento Inter Grande (MIG), de Melo, era favorável à Libra.

Aparentemente, a decisão apoiada por Barcellos se mostrou acertada. Por ter assinado com a LIBRA, o Inter já recebeu R$ 109 milhões em novembro. Isso representa metade do montante total. O pagamento da outra parte será dividido em 25% em até um ano e outros 25% após 18 meses.

Venda de Johnny renderá mais de R$ 30 milhões aos cofres do Internacional

Além do montante proveniente da LFF, é relevante salientar que outra fonte de receita significativa para o Internacional em 2023 decorre da transferência de Johnny para o Real Betis. Embora ainda não oficialmente confirmada pelo clube, estima-se que essa negociação acrescentará aos cofres colorados uma quantia substancial, variando entre 6 e 7 milhões de euros, o equivalente a aproximadamente R$ 32,3 a 37,7 milhões.

É verdade que esse valor, isoladamente, fica aquém da projeção inicial de R$ 135 milhões estabelecida para as vendas de atletas ao longo do ano. Entretanto, essa operação proporciona um alívio financeiro que o Internacional pretende maximizar em breve, especialmente com a iminente negociação de Maurício, jogador do qual o clube detém 50% dos direitos econômicos.

Financeiramente, campanha na Libertadores atenuou insucessos na Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro

Em relação às competições, vale destacar que o planejamento financeiro do Internacional enfrentou desafios significativos devido às campanhas aquém das expectativas na Copa do Brasil, com a eliminação nas oitavas de final, e no Campeonato Brasileiro, onde a equipe encerrou a temporada na 9ª posição. No entanto, é importante ressaltar que o retorno às semifinais da Libertadores, após um período de oito anos, proporcionou ganhos financeiros consideráveis.

Diante desses acontecimentos, as perspectivas indicam que o Internacional encerrará o ano de 2023 com o terceiro superávit consecutivo. O presidente Alessandro Barcellos assegura uma capacidade de investimento elevada para a próxima temporada, comprometendo-se com uma projeção ambiciosa de aportar entre R$ 80 a 100 milhões em contratações, distribuídos igualmente em cada janela de transferências.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho, formado em jornalismo pela PUC-RS e especializado em análise de desempenho e mercado pelo Futebol Interativo. Antes da Trivela, passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo