Brasil

Escolha controversa de Coudet marcou curta campanha do Atlético-MG na Copa do Brasil 2023; relembre

Campanha do Atlético na Copa do Brasil 2023 durou pouco, e Coudet foi responsabilizado por isso

Na competição que mais paga no país, o Atlético-MG teve uma estadia bem curta em 2023, com apenas quatro jogos, sendo o último deles o mais marcante, por conta das opções de Eduardo Coudet, que foi muito criticado após a eliminação do time. De longe, a Copa do Brasil foi a competição mais decepcionante do ano para o Galo, e a Trivela relembra essa pequena campanha.

Por estar na Libertadores, o Atlético estreou na Copa do Brasil já na 3ª fase da competição. O adversário foi o Brasil de Pelotas, da Série D do Brasileirão. O primeiro jogo foi no Mineirão e o Galo não fez um bom jogo, inclusive saiu atrás do placar logo no início do primeiro. Mas Battaglia empatou o jogo minutos e, só aos 40 minutos o Alvinegro conseguiu a virada, com Hulk em cobrança de pênalti.

Na volta, em Pelotas, o Atlético, pressionado por uma sequência ruim, teve que encarar ainda um gramado em péssimo estado. O Galo novamente saiu atrás no placar, agora com um gol no início do primeiro tempo. A partida foi ganhando tons dramáticos e o time atleticana empilhou chances perdidas no ataque. Isso até os 44 minutos da etapa final, quando Zaracho achou um voleio para marcar um golaço, empatar o jogo e dar a classificação para os atleticanos.

Nas oitavas de final, o adversário do Atlético foi o Corinthians, que não vivia boa fase na época. No primeiro confronto, novamente no Mineirão, o Atlético deu um show de bola com grande atuação de Paulinho, que marcou os dois gols da vitória. E o Galo só não ganhou de mais, o que (praticamente) definiria a classificação, pois Cássio viveu também uma grande noite e salvou o time paulista.

As escolhas de Coudet e o fim da linha para o Atlético

No jogo da volta, em São Paulo, o técnico Eduardo Coudet, pensando na sequência longa e cansativa do Atlético, surpreendeu a todos e optou por preservar alguns jogadores, mandando a campo um time misto. O que mais chamou atenção foi a opção de colocar o atacante Hulk no banco de reservas, o que gerou muitas críticas já antes da bola rolar, e que se multiplicaram depois do apito final.

Com a vantagem de 2 a 0 no agregado, o Atlético até não começou mal a partida, mas um erro em uma saída de bola aos 30 minutos de jogo colocou o Corinthians na cara do gol e, com a bola nas redes, os paulistas entraram no jogo. Mais vivo e acreditando, o Corinthians foi pra cima do Galo e pressionava em busca do segundo gol, chegando a colocar duas bolas na trave. Até que, aos 18 minutos, Roger Guedes fez jogada espetacular e contou ainda com um erro de percepção de Zaracho para ainda driblar Everson e marcar o segundo gol corinthiano. Com o resultado, a disputa foi para os pênaltis. Hulk, Edenilson e Battaglia perderam, e o Atlético acabou eliminado da Copa do Brasil.

Após o jogo, Coudet, que já tinha sido criticado por deixar Hulk no banco, virou o principal alvo e foi apontado como o grande responsável pela eliminação atleticana. O treinador se explicou ao dizer que precisava dar descanso ao atacante, mas ao mesmo tempo assumiu a culpa pelo Atlético ter caído na Copa do Brasil. Esse foi um dos últimos atos de Chacho sob o comando do Galo, já que 10 dias depois ele deixou o clube. O argentino acabou sendo cobrado pela torcida na porta do CT após a eliminação.

Como o Atlético-MG chega para a Copa do Brasil de 2024?

Novamente classificado para a Libertadores, o Atlético estreará na Copa do Brasil de 2024 apenas na 3ª fase da competição. Financeiramente, o Galo tem a projeção de chegar nas oitavas de final do torneio, ou seja, fazer o que fez nessa temporada. No entanto, esportivamente falando, a ideia do time atleticano é disputar o título. Copas são diferentes dos demais torneios e um dia ruim pode te eliminar, como foi o caso atleticano em 2023, mas o clube tem a intenção de chegar o mais longe possível e, se der, acabar com o título.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander HeinrickSetorista

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo