Brasil

Renato foi lúcido, mas demonstra que confia até demais no fator casa para o Grêmio

Técnico do Grêmio atribuiu ao jogo físico e ao gramado do Alfredo Jaconi o empate em 0 a 0 com o Juventude pelo jogo de ida da final do Campeonato Gaúcho, mas demonstrou muita confiança para a partida de volta

Em um jogo truncado, Juventude e Grêmio não saíram do 0 a 0, na tarde deste sábado (30), pelo jogo de ida da final do Campeonato Gaúcho. Na entrevista coletiva após o confronto, o técnico gremista, Renato Portaluppi, foi lúcido ao analisar a partida, ainda que tenha atribuído parte das dificuldades enfrentadas pelo seu time a um gramado do Alfredo Jaconi que, na aparência, estava em boas condições.

— Jogo bastante disputado na parte física, na parte técnica acredito que as duas equipes ficaram devendo. O gramado também dificultou um pouquinho. O Juventude sempre tem um gramado bom, mas nessa época está um pouco duro. Muitas faltas, poucas oportunidades de ambos os lados. […] Mas na pior das hipóteses acho que o 0 a 0 ficou de bom tamanho pelo que aconteceu durantes os 90 minutos — disse Renato.

A satisfação do treinador do Grêmio com o resultado já foi observada em suas substituições. Aos 18 minutos de um segundo tempo que até então era de transições, Renato reforçou a marcação no meio de campo com as entradas de Dodi e Du Queiroz nos lugares de Pepê e Cristaldo, montando um tripé de volantes.

Marcação forte das duas equipes predominou na opinião de Renato

O treinador gremista reconheceu que sua equipe não foi bem, muito por conta do contexto do jogo. Mas salientou que o Tricolor também não deixou o Juventude jogar com naturalidade, ainda que o Alviverde tenha criado algumas boas oportunidades — as mais claras, em erros do Grêmio na saída de bola, no primeiro tempo, com Pepê e depois em desentendimento entre Caíque e Rodrigo Ely.

— O Juventude marcou bem, anulou nossas principais jogadas, o Grêmio anulou as jogadas mais fortes do Juventude. Uma ou outra situação que o Juventude teve, no primeiro tempo principalmente, foram por falhas nossas. Foi um jogo muito truncado, jogo de final de campeonato. Juventude tem uma boa equipe, Roger tem feito um grande trabalho. O Juventude não chegou à toa na final do estadual. Então ele tem todo nosso respeito — pregou Renato.

Renato demonstra confiança no título pelo fator local no jogo de volta

Apesar dos elogios ao adversário e a seu treinador, Renato demonstrou muita confiança na conquista do heptacampeonato no próximo sábado (6), às 16h30min, na Arena do Grêmio. Justamente o fator local é o motivo do otimismo do comandante gremista.

— Foram os primeiros 90 minutos aqui. Agora nós temos mais 90 minutos na Arena. A gente vai ter o apoio de mais de 50 mil pessoas. Isso não quer dizer que o Grêmio será campeão. Mas o campo também será bem melhor. Eu sei que a gente deve jogar mais para que a gente possa conquistar o título. Hoje nós não fomos tão bem assim. Mas daqui uma semana tenho certeza que vai ser outro jogo — projetou.

Antes do jogo de volta da final do Gauchão, o Grêmio estreia na Libertadores, na terça-feira (2), contra o The Strongest, na altitude de 3.600 de La Paz, na Bolívia. Renato citou que a escalação para esse jogo vai depender de reavaliação do departamento médico, mas deu a entender que o time poderá ter mudanças, até pensando na decisão do estadual.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo