Brasil

Três empresas irão gerenciar reconhecimento facial durante jogos do Santos na Vila

O sistema já está sendo implantado no estádio santista e os primeiros testes serão feitos em junho

Um desejo do presidente Marcelo Teixeira para o atual mandato está muito perto de sair do papel. Com três empresas envolvidas, o sistema de reconhecimento facial para o acesso aos jogos do Santos já está sendo implantado na Vila Belmiro e, de acordo com o apurado pela Trivela, começará a ser testado a partir do mês que vem.

Desta forma, assim que o sistema estiver em vigor, o sócio-torcedor não precisará mais de ingresso físico, código de barras ou documento com foto. Será necessário cadastrar o rosto em um site disponibilizado por uma das empresas e, no dia das partidas, posicionar a face nos leitores que ficarão instalados na entrada do estádio.

Quais empresas cuidarão do sistema na Vila?

Ainda conforme as apurações da Trivela, as empresas que irão gerenciar o sistema são

  • TicketHub
  • NewC
  • BePass

Quais os benefícios do reconhecimento facial?

Com a implementação do sistema de reconhecimento facial, o Santos pretende colocar fim em qualquer comercialização de ingressos falsos e coibir fortemente a atuação de cambistas na porta da Vila Belmiro.

Além disso, a ferramenta será de extrema importância para aumentar a segurança dentro do estádio, uma vez que todo rosto cadastrado estará associado a um número de CPF.

A partir de então, todas as informações serão repassadas à Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo. Principalmente em episódios de brigas entre torcedores, invasões de campo ou arremesso de objetos no gramado, como pôde ser visto algumas vezes na Vila Belmiro em 2023.

Como o Allianz Parque pode ser um exemplo?

Um dos estádios do futebol brasileiro com essa tecnologia em funcionamento é o Allianz Parque. O sistema está em vigor há mais de um ano e já permitiu grande ajuda à Justiça.

— Além de atacar o cambismo, nós tivemos a oportunidade de capturar 39 indivíduos que eram procurados pela Justiça e tinham mandado de prisão em aberto –, revelou Guilherme Derrite, secretário de Segurança Pública de São Paulo, em entrevista ao Jornal Nacional quando o reconhecimento facial no estádio palmeirense completou um ano de funcionamento.

Mais benefícios do reconhecimento facial

Além de ajudar na prisão de foragidos da Justiça, o reconhecimento facial na porta do Allianz Parque contribuiu, em um ano, com:

  • 275 pessoas desaparecidas
  • 56 pessoas que descumpriram medidas judiciais
  • 12 pessoas usando documentos falsos

O estádio palmeirense é apenas um do Brasil com tal tecnologia. O MorumBIS, Maracanã, São Januário, Ilha do Retiro, Arena Fonte Nova, Ligga Arena, Hailé Pinheiro e Arena MRV também desfrutam do sistema.

Reconhecimento facial será obrigatório nos estádios?

A instalação do sistema na Vila Belmiro é uma iniciativa da atual gestão. De acordo com a Lei Geral do Esporte, o reconhecimento facial será um recurso obrigatório em todos os estádios ou ginásios do Brasil com capacidade para mais de 20 mil lugares.

Segundo a lei, nesses locais a tecnologia terá que estar em vigor até junho de 2025.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Jornalista pela UniSantos com passagem pelo Jornal A Tribuna de Santos. Já trabalhou na cobertura de jogos da Libertadores e das Eliminatórias Sul-Americanas no Brasil e no Exterior. Na Trivela, é setorista do Santos.
Botão Voltar ao topo