Brasil

Presidente do IBDD contesta Mário Gobbi

O advogado Gustavo Delbin, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Desportivo, discorda de Mário Gobbi, presidente do Corinthians, que defende a não punição do clube porque a entidade não pode ser apenada pela ação de um de seus torcedores.

“Ele está raciocinando com a cabeça de um advogado criminalista e não sob a luz do direito desportivo. Os responsáveis pelo que ocorreu em Oruro serão jugados por homicídio e, se condenados, sofrerão uma pena de cinco a 25 anos e isso não afeta em nada o Corinthians. Mas, quando se fala em direito desportivo, tudo é diferente”, afirma Delbin.

Ele explica que o direito desportivo o torcedor é um “prolongamento de seu clube, é um patrimônio  do clube” e a mais exemplar pena por seus atos deve incidir sobre o clube para quem torce.

Para Delbin, é muito difícil que o  Corinthians consiga reverter a decisão provisória da Conmebol que o impede de ter torcedores em jogos como mandante por 60 dias. Também não acredita em penas maiores. “Não acho que o Corinthians será eliminado da Libertadores, mas acho impossível que reverta a decisão atual. É apena uma análise pois o tribunal da Conmebol é algo novo e não há jurisprudência sobre esse tipo de caso. É o primeiro nessas proporções.

O julgamento c ontaria com cinco juízes, mas o braileiro Caio Vieria e o boliviano Alberto Lozado ficam fora. O uruguaio Adrián Leiza será o presidente e também votarão o chileno Carlos Tapia e o colombiano Orlando Morales.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo