Brasil

Já é possível falar em Zé Rafael reserva no Palmeiras?

O volante tem muito prestígio no Palmeiras, mas chegada de Aníbal Moreno criou um ponto inflexão para a Abel Ferrreoora

O Palmeiras sofreu para acertar seu meio-campo em 2023 depois da saída de Danilo. A solução inicial foi recuar Zé Rafael para 5, para formar dupla com Gabriel Menino, de 8. Zé penou um pouco, mas se achou na posição. Menino oscilou, mas dava conta do recado até se lesionar em outubro.

A saída de Menino abriu espaço para o colombiano Richard Ríos ser alçado a titular e ter um desempenho brilhante na reta final do Campeonato Brasileiro conquistado pelo Alviverde.

Corta para 2024: Zé Rafael segue no time, mas avançado, como um 8. O 5, inclusive no número da camisa, é o recém-chegado Aníbal Moreno, um dos melhores jogadores do Palmeiras no Campeonato Paulista, seu primeiro pelo clube. E Richard Ríos voltou para o banco — quer dizer, mais ou menos.

Aníbal foi o único palmeirense a disputar as 16 partidas do Palmeiras no Estadual e as 17 do time na totalidade na temporada. Ríos jogou 15, e Zé Rafael, 14.

Zé é homem de confiança de Abel Ferreira, que o sacramentou como segundo volante e confiou nele para a transformação em primeiro. Mas, hoje, o intocável da posição no Palmeiras é o argentino. Por incrível que pareça, se for para Ríos ganhar um lugar no time, pode ser que o brasileiro perca sua vaga.

Nas duas partidas da final do Campeonato Paulista, a entrada de Ríos melhorou o Palmeiras ofensivamente nos últimos 20 minutos de jogo. Na primeira partida contra o Santos, na Vila Belmiro, os dribles de Ríos na reta final do jogo ajudaram o Alviverde a encorpar e assustar o time da casa.

No jogo do Allianz, Ríos jogou a segunda etapa inteira, o que foi fundamental, já que Zé Rafael demonstrava cansaço e já tinha levado cartão amarelo.

Será que sai?

A julgar pelo prestígio de Zé Rafael com a comissão técnica, é difícil imaginar que Ríos vá lhe roubar a titularidade. Mas isso não significa que o colombiano não pode ser uma surpresa no Palmeiras de 2024.

Porque, futebol por futebol, Richard Ríos saiu da decisão do Paulista em alta, como um dos poucos a se salvarem de uma atuação palmeirense abaixo da crítica no jogo 1, e um dos mais combativos no jogo 2.

É uma pena para Abel que o meio com os três volantes não deu certo, porque não há dúvidas de que o trio está entre os melhores do elenco do ponto vista técnico. Mas alguém vai ter de sobrar. E não será Aníbal Moreno.

Richard Ríos na final (ida) do Campeonato Paulista (Foto: Fabio Menotti/Palmeiras/by Canon)

O que o Palmeiras ganha com Zé Rafael

  • Zé Rafael faz parte da espinha dorsal do Palmeiras desde 2020
  • O camisa 8 tem ascendência sobre o grupo, sendo um dos que tem mais tempo de clube
  • Zé foi líder de ações defensivas do Palmeiras em 2022 e 2023
  • O volante também tem uma boa bola parada e chute de meia-distância
  • Muito forte fisicamente, Zé se impõe ante os rivais no meio-campo

O que o Palmeiras ganha com Ríos

  • Richard Ríos é um jogador mais móvel
  • Ríos também é mais rápido e tende a pisar mais na área nas ações ofensivas
  • O colombiano chuta muito forte de média distância
  • Contra times recuados, Rios auxilia na quebra de linhas com dribles e tabelas
  • Mais esguio, Ríos tende a estar menos cansado no fim dos jogos
  • Ríos tem mais desenvoltura no jogo aéreo
Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo