Brasil

Estreia em casa na Libertadores pode dar prévia do 2º semestre do Palmeiras

Palmeiras começa a vislumbrar a vida depois da partida de Endrick para o Real Madrid

Após o empate dos reservas contra o San Lorenzo, na estreia, o Palmeiras joga pela primeira vez em casa, pela Copa Libertadores deste ano.

O jogo desta quinta-feira (11), 21h, traz um adversário inédito (veja onde assistir). O Palmeiras jamais enfrentou o Liverpool, atual campeão uruguaio — não confundir com o Liverpool da Inglaterra, que o Verdão pode vir a enfrentar no Mundial de Clubes do próximo ano.

Na contabilidade da classificação e da busca pela liderança e pela melhor campanha da fase de grupos, a vitória contra os negriazules é indispensável. E para buscá-la, o Verdão deve ter uma amostra do que deve ser seu time no segundo semestre.

Endrick, que jogou a 70% de sua melhor forma nas finais do Campeonato Paulista, vencido pelo Alviverde em cima do Santos, deve ser poupado, a despeito de ter poucos jogos restantes até sua saída do Verdão.

E assim, o técnico Abel Ferreira terá mais uma chance de imaginar o que fará no time sem seu principal jogador atualmente, já que a presidente Leila Pereira tem reiteradamente afirmado que o elenco está fechado, na sua opinião.

Candidatos

Sem Endrick, o Palmeiras tem algumas opções para formar seu ataque. Todas, evidentemente, representam alguma perda técnica diante do verdadeiro fenômeno que o camisa 9 parece caminhar para se formar.

A mexida mais óbvia, que deve ser o caminho contra o Liverpool, é a volta de Rony ao time titular. Mas o camisa 10 tem características muito diferentes das de Endrick.

Além da disparidade técnica, Rony é um jogador para ser lançado no espaço vazio, e não tem como características a capacidade de articular jogo, tabelar e jogar fora da área, auxiliando a armação.

Rony comemora gol contra o Botafogo-Sp, na Arena Barueri, com Caio Paulista e Moreno (Foto: Fabio Menotti/ Palmeiras/ By Canon)

Sua entrada para uma possível dupla com Flaco López, portanto, representa uma alteração estrutural da linha atacante do Palmeiras como um todo. Caberia ao argentino sair mais da área para se aproximar dos meias.

Se mantiver um esquema com três homens de frente, Abel Ferreira pode apostar na manutenção de Lázaro ou na entrada de Luis Guilherme, que teve boa atuação na final do Estadual, substituindo justamente o ex-Flamengo.

Dois para o futuro

Uma das melhores hipóteses de formação do time após a saída de Endrick ainda não estará à disposição de Abel. Dudu tem pelo menos mais um mês e meio de estaleiro até estar pronto para voltar a jogar.

Dudu funciona como atacante tanto formando dupla quanto como ponta –em qualquer lado. E é quase certo que será reconduzido aos titulares quando puder atuar.

Bruno Rodrigues, que também está lesionado, deve voltar a jogar mais ou menos na mesma época que o camisa 7. O ex-Cruzeiro joga vindo com a bola em progressão, sabe cair também pela esquerda e arremata bem de fora da área.

Dudu deixou jogo contra o Vasco com lesão que preocupa o Palmeiras (Foto: Icon Sport)
Dudu deixou jogo contra o Vasco com lesão que preocupa o Palmeiras (Foto: Icon Sport)

Pelas características de posicionamento, Bruno até lembra o jeito de atuar de Endrick desde a conquista da posição, no fim do Campeonato Brasileiro do ano passado.

A tendência é o Palmeiras ir para campo contra o Liverpool com: Weverton; Mayke, Gustavo Gómez, Murilo e Piquerez; Aníbal Moreno, Richard Ríos e Raphael Veiga; Luis Guilherme (Lázaro), Rony e Flaco López.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo