Brasil

Jhon Jhon tem aumento mesmo sem jogar há dois meses, como parte de plano no Palmeiras

O meia do Palmeiras não vêm conseguindo espaço com Abel Ferreira, que jura confiar em seu potencial

Abel Ferreira mencionou, em sua entrevista coletiva, após o empate sem gols com o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, que Jhon Jhon está dentro dos planos no Palmeiras. O técnico disse que o clube que acredita no seu futebol.

– Está no forno – brincou.

Não apenas isso. O treinador revelou, domingo (21), que o meia terá uma recompensa financeira por conta de sua permanência no clube, a despeito de uma proposta do Red Bull Bragantino, que tentou sua contratação.

— Nós não o deixamos ir, mas o reconhecemos, porque sabíamos quanto o Bragantino iria pagar não só por ele, mas também de salários, e reconhecemos isso — disse o português no domingo (21).

A Trivela confirmou com fontes do clube de que ele de fato terá um aumento. Uma extensão de seu vínculo também deverá ser colocada na mesa para ser debatida.

Muito no Paulista, dois meses fora

Jhon Jhon teve um começo muito forte de temporada. Nas dez primeiras rodadas, participou de nove jogos. Mas, desde o Dérbi de 18 de fevereiro, ele não foi mais a campo.

Na coletiva, à sua moda hiperbólica, Abel disse que o meia estava entre os dez que mais jogaram no Campeonato Paulista. Não é verdade. Com oito participações, ele é o 18º que mais atuou de um elenco de 32 atletas. Apenas 12 atletas jogaram menos do que ele.

Preservação

Segundo a reportagem apurou com fontes ligadas ao jogador, Jhon não tem restrições físicas para jogar. Do ponto de vista emocional, também não há problemas com o atleta.

As informações apuradas apontam no sentido de não haver também qualquer problema de relacionamento entre Jhon e qualquer outro profissional do clube. O meia é tido como disciplinado. E, de fato, embora ele esteja descontente por não ser sequer convocado para alguns jogos.

Mas, no Palmeiras, existe o entendimento de que a hora pede preservação para o jogador – mesmo diante de uma situação em que Raphael Veiga está claramente extenuado e Rômulo, ainda pouco adaptado.

— Percebemos que (Jhon Jhon) é um moleque jovem e não queríamos deixá-lo sair sem tentar tudo, como aconteceu com o Artur – disse  Abel, citando o hoje jogador do Zenit.

– O Artur estava no Palmeiras, foi emprestado, o Red Bull depois pagou 5 ou 6 milhões de euros por ele. E tivemos que ir lá e recomprá-lo por oito. E vendemos por 15 – exemplificou.

– Temos que ajudá-los, como foi com o Flaco López. Vamos ter essa paciência porque o Palmeiras tem. Essa é uma das diferenças de nós para o nosso rival de hoje. No Paulistão, ele (Jhon Jhon) foi um dos mais utilizados – disse o treinador, cometendo um engano quanto à utilização dele no Estadual.

Só mesmo o desejo de tirar Jhon Jhon de cena explicaria sua ausência em um contexto tão cansativo para Veiga.

– Eu já deveria ter tirado ele há uns dois ou três jogos. Sabemos o que o Veiga pode nos dar coisas e decidir jogos. E o problema é o treinador que sempre o escala, mas ele precisa descansar. Há dois dias eu achava que ele não ia jogar, de acordo com a análise que fizemos e dor que sentia. Mas a vontade dele de jogar e nos ajudar é tanta… Eu tenho o Veiga e estamos à procura de achar um substituto à altura — finalizou Abel.

 

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo