BrasilCampeonato Brasileiro

Forasteiros no Brasil: Qual clube se deu melhor no mercado?

A janela dos repatriados se encerrou. Quem pretendia contratar jogadores do exterior não pode mais inscrevê-los no Campeonato Brasileiro, a menos que o contrato tenha sido rompido. E alguns clubes podem se dar por satisfeitos pelas movimentações realizadas, dando um salto em suas perspectivas sobre a competição.

Ao todo, 25 jogadores de clubes estrangeiros aportaram no Brasileirão. Ao todo, € 16,1 milhões foram investidos, mas apenas Santos e Internacional colocaram as mãos nos bolsos para contratar. Um saldo bastante positivo, considerando que o lucro até o momento beira os € 150 milhões. Além disso, Atlético Mineiro, Botafogo, Corinthians, Criciúma, Fluminense, Goiás e Portuguesa ficaram contidos ao mercado nacional em suas investidas.

Mas, no fim das contas, quem se deu melhor nas compras no exterior? Analisamos o pódio desta janela de transferências, confira:

1º – Internacional – gastou € 10,2 milhões

Chegaram: Alex (M, Al Gharafa-QAT), Willians (M, Udinese-ITA), Alan Patrick (M, Shakhtar-UCR), Ignacio Scocco (A, Newell’s-ARG)

Sem dúvidas, o grande vencedor do mercado, reforçando ainda mais a pecha de candidato ao título do Brasileirão. Somente a venda de Fred ao Shakhtar Donetsk já pagou as vindas de Nacho Scocco, Alex e Willians, além de render o empréstimo de Alan Patrick e mais € 5 milhões. Scocco vem de um ano fenomenal com o Newell’s Old Boys e promete formar uma dupla letal com Diego Forlán. Alex acrescenta ainda mais técnica ao lado de Andrés D’Alessandro e Willians já se firmou entre os titulares. Qualidade não faltará.

2º – Vasco – não gastou

Chegaram: Juninho Pernambucano (M, NY Red Bulls-EUA), Fágner (D, Wolfsburg-ALE), Pablo Guiñazú (M, Libertad-PAR) e Reginaldo (A, Siena-ITA)

Mesmo sem pagar salários, o Vasco conseguiu atrair bons jogadores no mercado. Juninho Pernambucano não vem de boa fase da MLS, mas seu talento é indiscutível. Fágner teve um bom ano no Wolfsburg, Reginaldo é uma opção a mais para o raso ataque e Guiñazú é mais do que bem-vindo para aumentar a proteção no meio-campo. Com o quarteto, a torcida ganha um alívio diante do início preocupante do time no campeonato.

3º – Santos – gastou € 5,9 milhões

Chegaram: Eugenio Mena (M, Universidad de Chile-CHI), Thiago Ribeiro (Cagliari-ITA)

O substituto de Neymar não apareceu, mas o Santos trouxe duas ótimas peças com parte do dinheiro ganho com a venda do craque. Eugenio Mena era um dos destaques da Universidad de Chile de Jorge Sampaoli e até demorou para sair, podendo ser escalado tanto no meio-campo quanto na lateral. Já Thiago Ribeiro é o cara para receber maiores responsabilidades no ataque, onde novos garotos começam a despontar.

Os outros forasteiros que chegaram ao Brasil:

Atlético-PR – Marcelo Palau (M, Guaraní-URU), Dellatorre (A, Porto-POR)
Bahia – Rafael Miranda (M, Marítmo-POR), Juan Camilo Ângulo (D, Cúcuta-COL)
Coritiba – Raúl Iberbia (D, Estudiantes-ARG)
Cruzeiro – Willian (A, Metalist-UCR)
Flamengo – André Santos (D, Arsenal-ING)*
Grêmio – Cristian Riveros (M, Kayserispor-TUR)
Náutico – Diego Morales (M, Al Ahli-SAU), Juan Olivera (A, Peñarol-URU), Ángelo Peña (M, Caracas-VEN)
Ponte Preta – Brian Sarmiento (M, All Boys-ARG)
São Paulo – Clemente Rodríguez (D, Boca Juniors-ARG)
Vitória – André Lima (A, Beijing Guoan-CHN), Camacho (M, Al Shabab-SAU)

* Estava emprestado ao Grêmio

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo