BrasilCampeonato Brasileiro

O Sport engoliu o Galo para fechar uma rodada que sacudiu o Brasileirão

Poucas rodadas tiveram tanto peso para o Brasileirão quanto a deste final de semana. Foram bons e importantes jogos ao longo do sábado e do domingo, mexendo com as disputas em todas as partes da tabela. E o resultado mais acachapante fechou o dia: o Sport teve uma atuação fulminante contra o Atlético Mineiro na Ilha do Retiro. Abriu três gols de vantagem em apenas meia hora de partida e fechou o placar em 4 a 1, com o Galo descontando só no final. Um resultado importante para o Leão, que volta a brigar com força pela vaga na Libertadores, e também pelo Corinthians, que abre distância para os atleticanos na busca pelo título.

Empurrado por sua torcida, o Sport partiu para o abafa desde o apito inicial. E abriu o placar logo aos seis minutos, em cabeçada de Matheus Ferraz. Os rubro-negros apresentavam volume no ataque e arriscavam principalmente em jogadas pelas pontas. Mas, como se não bastassem o início sufocante, ainda ficaram em vantagem numérica. Carlos recebeu o segundo amarelo e foi expulso aos 18 minutos. A deixa para que a goleada tomasse forma. Diego Souza marcou o segundo quatro minutos depois, escorando cruzamento de Samuel Xavier. Já aos 28, o camisa 87 passou para Élber bater forte e anotar o terceiro.

Com o Atlético atordoado, a torcida rubro-negra começou até a gritar olé antes do intervalo. E o quarto tento veio na etapa complementar, o mais bonito da noite. Victor estava mal posicionado e acabou surpreendido por Maikon Leite, que acertou um chutaço da lateral da área. Não havia mais jogo. O time de Falcão sabia trabalhar a posse de bola, administrando o tempo. Enquanto isso, o Galo tentava de alguma forma se recuperar o prejuízo. Danilo Fernandes realizou boas defesas até que saísse o gol de honra, aos 38, em pênalti cobrado por Thiago Ribeiro. Não apaziguou em nada o massacre do Sport, bem mais efetivo.

A derrota torna a missão do Atlético na perseguição ao Corinthians ainda mais complicada. São oito pontos de distância, para serem tirados em sete rodadas. Mas pelo caminho, ao menos, há o confronto direto em Belo Horizonte na primeira semana se novembro. Já o Sport, que atravessou um franco declínio entre o final do primeiro turno e o início do segundo, volta a ganhar forças. Já são três vitórias nas últimas quatro rodadas, o que não acontecia desde junho. Se ainda quiser ir à Libertadores, o crescimento vem na hora exata: na nona colocação, são apenas três pontos de distância para o Santos, o quarto.

A briga pela quarta vaga no G-4, aliás, deverá concentrar as atenções nesta reta final, assim como a corrida contra o rebaixamento. A rodada foi boa para quase todos os times com credenciais à Libertadores, exceção feita ao Flamengo (que ficou para trás ao perder o confronto direto com o Inter) e ao São Paulo (que, ainda assim, não pode reclamar tanto da sorte ao buscar o empate contra o Vasco no final), assim como contou com boa parte das equipes ameaçadas derrapando. Disputas que devem ser bem mais emocionantes que a do título. E um pouco por conta da atuação arrasadora do Sport na Ilha do Retiro.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo