Brasil

O clássico mais jogado do país

Campeonatos Estaduais não são a prioridade de times como São Paulo, Corinthians, Internacional e Cruzeiro, para ficar só naqueles que disputam a Libertadores, a mais importante competição do continente. Para alguns outros times, a competição também não é a mais importante – o Palmeiras foi campeão paulista em 2008, e a pressão da torcida por títulos “importantes” não cessou. E o mesmo acontece com Atlético e Cruzeiro em Minas, Inter e Grêmio no Rio Grande do Sul.

Isso tudo não quer dizer que os Campeonatos Estaduais não sejam importantes. Em alguns estados é a principal competição do ano. Para muitos, é a única chance de título no ano. Chega a ser a única competição do ano para times muito tradicionais, que perderam espaço nacionalmente, mas que continuam sendo times de camisa, história, tradição. É o que acontece no Pará, onde Remo e Paysandu vivem dias de pouca glória, mas de muita rivalidade e história.

Antes de falar do clássico, vamos falar um pouco do Campeonato Paraense. O regulamento prevê duas fases distintas. Na primeira, dez times disputam a competição todos contra todos, em turno único. Os quatro primeiro colocados estão classificados para a próxima fase. Os dois últimos serão rebaixados para a segunda divisão paraense.

O curioso disso é que essa fase é jogada no ano anterior. O Paraense 2010 começa, na verdade, em 2009 – neste caso especificamente, de 20 de novembro até 20 de dezembro, em um total de nove rodadas. Os times que ficaram melhor colocados no Campeonato Paraense do ano anterior tem direito a entrar somente na segunda fase – em 2010, Paysandu, São Raymundo, Remo e Águia de Marabá.

E essa primeira fase envolveu times que você certamente conhece ou, ao menos, já ouviu falar. Um deles é a Tuna Luso, que buscava classificação para a segunda fase para evitar uma eliminação precoce, como aconteceu no estadual de 2009. No ano anterior, a Tuna ficou em 6º lugar, atrás de Castanhal (1º), Vila Rica (2ª), Time Negra (3º), São Raimundo (4º) e Sport Belém (5º).

Para o Estadual 2010, porém, o destino da Tuna Luso não foi muito diferente. Com quatro vitórias, três empates e duas derrotas, o time ficou apenas uma posição acima do que conseguiu no ano anterior. Com 14 pontos, ficou em 5º lugar, atrás dos classificados Cametá (1º, 21 pontos), Ananindeua (2º, 16), Santa Rosa (3º, 16) e Independente (4º, 15). A lamentação da Tuna Luso é maior ainda que se vê que as duas derrotas da equipe foram para o Time Negra (8º, 10), por 1 a 0 em casa, e o confronto direto com o Santa Rosa, quando perdeu fora de casa por 2 a 0.

Passada a primeira fase, os quatro classificados juntam-se aos quatro times classificados previamente – Águia de Marabá, São Raimundo, Paysandu e Remo. Os oito times se enfrenteam em turno único, e classificam-se quatro para as semifinais. Os vencedores se enfrentam na final do primeiro turno, chamado Taça Cidade de Belém.

O título da Taça Cidade de Belém foi disputado no último domingo, entre os dois times mais tradicionais do estado. Sim, chegamos ao clássico Re-Pa, que completa 96 anos em 10 de junho de 2010. Os dois são os maiores campeões do Pará, com 43 títulos para o Paysandu e 42 para o Remo. O domínio dos dois times no estado é tão grande que a última vez que nem Remo nem Paysandu conquistaram o título foi há 21 anos. Em 1988, a Tuna Luso foi a campeã do Pará.

Os dois times se enfrentaram na fase de classificação no Mangueirão, com mando do Papão. O empate por 1 a 1 era apenas o primeiro dos confrontos. Os mais importantes viriam mais tarde. O Remo terminou o turno em 1º, com 17 pontos, seguido por Independente, com 13, Paysandu, com 10, e São Raimundo, com 8 – mesma pontuação do Santa Rosa, mas com melhor saldo de gols.

Nas semifinais, disputada em jogo único, o Paysandu venceu o Independente por 2 a 1. Os times melhor classificados têm a vantagem de classificar-se com um empate. Se o Paysandu conseguiu vencer e ultrapassar essa vantagem, o São Raimundo não conseguiu quebrar a vantagem do Remo e empatou em 2 a 2, o que deu a vaga ao Leão Azul.

Na decisão da Taça Cidade de Belém, que é disputada em dois jogos, os dois times chegaram a uma marca histórica: 703 jogos. É o clássico mais jogado do Brasil. Corinthians e Palmeiras, o mais tradicional clássico em São Paulo, foi jogado 332 vezes, menos da metade dos jogos. Atlético e Cruzeiro se enfrentaram 468 ou 448 vezes (o Atlético diz que o correto é o primeiro número, o Cruzeiro, o segundo). Inter e Grêmio jogaram 379 vezes.Flamengo e Fluminense, outra tradicional clássico, foi jogador 372 vezes. O Re-Pa é, de longe, o mais jogado.

E o jogo histórico acabou melhor para o Papão da Curuzu. O time venceu por 4 a 2, abrindo vantagem de dois gols para a segunda partida. Didi e Moises, com dois gols cada, fizeram os gols do Paysandu. Marciano e Heliton diminuíram para o Remo. No segundo jogo – de número 704, aumentando ainda mais o recorde –, o Remo foi para cima para tentar inverter o resultado negativo. E Marciano deu esperanças à torcida ao fazer 1 a 0 aos 23 minutos do primeiro tempo e marcar também o segundo, aos 28. O Paysandu diminuiu aos 41, com um gol de pênalti de Fabrício. E no segundo tempo, o Papão chegou ao empate com Moisés, aos 24 minutos. O Remo voltou a ter vantagem aos 43, com um golaço olímpico de Marlon. Aos 46, porém, o Paysandu matou o jogo: Moisés, em contra-ataque, definiu o empate em 3 a 3 e o título do primeiro turno. O Paysandu está garantido na final do estadual, contra o campeão do segundo turno, a Taça Estado do Pará.

O Paysandu é campeão da Taça Cidade de Belém. A cara de decepção dos jogadores e torcedores do Remo e a de felicidade do lado do Paysandu mostram que é mais do que um jogo. É um título e é importantíssimo. Diga em Belém que “estadual não vale nada”. Duvido que alguém concorde.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo