Brasil

O Campeonato Carioca já teve rodada cheia em 25 de dezembro, com direito a clássico e título encaminhado

Ter um ‘Boxing Day’ no Brasileirão é uma excepcionalidade causada pelas circunstâncias em 2020. Nas edições em que o campeonato terminou no ano seguinte, havia uma pausa no período festivo. No máximo, algumas decisões das primeiras edições da Taça Brasil e as finais da Copa João Havelange aconteceram depois de 25 de dezembro, mas antes do Réveillon. O Campeonato Carioca, em compensação, já teve rodada cheia em dia de Natal. Mais do que isso, foram vários compromissos decisivos, com direito a Clássico Vovô. Melhor ao Fluminense, que encaminharia o tricampeonato naquela ocasião, erguendo a taça antes do Ano Novo.

O Campeonato Carioca de 1938 começou em agosto, depois que o Brasil tinha feito sucesso na Copa do Mundo. A competição vinha badalada, com vários craques que fizeram sucesso no Mundial da França. Os grandes clubes do Rio de Janeiro estavam repletos de nomes notáveis daquela Seleção. E mesmo que o Flamengo viesse em alta, protagonizado por Domingos da Guia e Leônidas da Silva, o Fluminense acabaria despontando como favorito. Os tricolores saíam de duas conquistas consecutivas, embora a primeira tenha ocorrido na liga rachada. Era uma equipe respeitável, com cinco jogadores que disputaram a Copa: Batatais, Machado, Hércules, Romeu e Tim.

A força do Fluminense se confirmava desde o primeiro turno. Num Campeonato Carioca disputado em pontos corridos, o Tricolor saltou à dianteira com uma coleção de resultados contundentes. O Flu chegou a enfiar 8 a 0 no Bonsucesso e 6 a 1 no Bangu. Sua única derrota aconteceu diante do Botafogo, em 3 a 0 que não foi tão custoso, já que os demais concorrentes perdiam pontos contra as equipes menores do Rio. Já no segundo turno, o Flamengo se tornou a maior ameaça ao vencer o clássico por 5 a 2, dando o troco pelos 2 a 0 no início da campanha. Assim, na reta final, o Fla era o mais preparado a desbancar o tricampeonato.

A rodada de Natal seria a antepenúltima daquele Campeonato Carioca. A competição se concentrava nos finais de semana e decidiram aproveitar o 25 de dezembro no domingo. O Fluminense liderava com 21 pontos e encarava o Botafogo, fora da disputa pela ponta. Flamengo e Vasco poderiam ultrapassar os tricolores na reta final, com os flamenguistas aparecendo dois pontos atrás. Mesmo assim, tudo conspirou a favor do Flu. Os líderes cumpriram sua parte, derrotando o Botafogo por 2 a 0. Os rubro-negros tropeçaram, derrotados pelo America. Enquanto isso, os cruzmaltinos terminaram goleados pelo Bangu. Com a combinação de resultados, o Fluminense acabaria a um ponto de confirmar o tricampeonato.

O Fluminense conquistou o resultado dentro de General Severiano, em partida classificada como “medíocre” pelo jornal A Noite. O Botafogo escalou uma potente linha ofensiva, com as presenças de Carvalho Leite, Perácio e Patesko. A marcação tricolor conseguiu prevalecer. O Flu também se beneficiou do mal estar sofrido pelo médio alvinegro Martim, que seria substituído durante o intervalo por Zezé Procópio. Diante da mudança, os visitantes dominaram a metade final do clássico, melhorando também com a troca no posicionamento de seu ataque. Sandro abriu o placar num chute forte, após passe de Tim, e o próprio Tim anotou o segundo, aproveitando um rebote do goleiro Aymoré Moreira. Outro destaque foi o goleiro Batatais, que pegou um pênalti de Carvalho Leite no fim e também acumulou ótimas intervenções durante a primeira etapa.

“Apesar do tempo ameaçador, o estádio do Botafogo apanhou uma grande assistência, na sua maioria adeptos do tricolor. Jogava-se a cartada decisiva para o Fluminense. Vencendo a partida o tricolor teria nove probabilidades em dez para obter o título de campeão da cidade. Perdendo, veria fugir as esperanças ao cobiçado título. E os prognósticos eram sombrios para os tricolores, que sabiam que o time alvinegro era o favorito, mercê das suas ótimas exibições. O embate entre os clássicos adversários foi uma peleja pobre de técnica e feia como partida de futebol, salvando-se apenas os últimos vinte minutos, quando foi posta de lado a marcação-cola, que tanto prejudica o desenvolvimento do jogo”, descreveu o Correio da Manhã, no dia seguinte.

Já o Jornal dos Sports ressaltava a preponderância de Batatais na meta do Flu: “Pode-se afirmar que mais pão fez a vanguarda botafoguense por haver encontrado Batatais em um dia excepcional, intervindo sempre com perícia notável, tornando-se uma figura impressionante na cancha. Com uma colocação admirável, o guardião tricolor evitou por diversas vezes a queda de sua cidadela, inclusive quando Carvalho Leite cobrou um pênalti perfeitamente justo, de uma falta de Bioró em Patesko”.

O Flamengo não teve a mesma sorte contra o America, derrotado por 1 a 0 dentro da Gávea – estádio que havia sido inaugurado no início daquele mesmo Campeonato Carioca. A partida contou com muitas entradas violentas e terminou com um expulso para cada lado, Valido e Alcebíades. Os rubros, no entanto, aproveitaram uma das poucas chances que tiveram e balançaram as redes com Plácido. O Fla teve domínio territorial, mas não soube converter suas oportunidades – mesmo com uma escalação estrelada na qual apareciam Leônidas, Domingos, Waldemar de Brito, Volante, Walter, Médio, González e Jarbas.

Já o Vasco seria atropelado na visita ao Bangu por 4 a 1. Niginho até abriu o placar aos cruzmaltinos, mas Nadinho comandou a virada banguense. O atacante marcou os quatro gols dos alvirrubros, três deles no segundo tempo. Os vascaínos tinham entre seus destaques na época o zagueiro Jaú, além do próprio Niginho, repatriado da Itália. Por fim, em outro duelo daquele 25 de dezembro, o Madureira goleou o São Cristóvão por 5 a 1. Entre os autores dos gols no Tricolor Suburbano estava o atacante Jair Rosa Pinto, que despontava no clube aos 17 anos.

A conquista do Fluminense se consumou cinco dias depois, em 30 de dezembro. Os tricolores encararam o America em Laranjeiras e asseguraram a taça com o empate por 2 a 2. Sandro e Tim, novamente, anotaram os gols do Flu. Os últimos jogos daquele Campeonato Carioca só aconteceram no início de janeiro, com direito a uma última vitória do Fluminense sobre o Vasco em sua despedida na campanha, por 3 a 1. A rodada cheia de Natal, porém, não se repetiria mais na competição.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo