Brasil

No meio do Brasileirão, o domingo teve dois novos campeões estaduais: Atlético Mineiro e Grêmio

Se os estaduais já não são a competição preferida da maioria dos torcedores dos clubes nas divisões nacionais, o calendário atropelado pela pandemia tirou ainda mais a visibilidade de alguns certames. Neste domingo, dois novos campeões se coroaram pelo Brasil: Atlético Mineiro e Grêmio conquistaram as taças em seus respectivos estados, em finais intercaladas bem no meio do Brasileirão. O Galo confirmou a superioridade com mais uma vitória sobre o Tombense, desta vez por 1 a 0. Já o Tricolor perdeu diante do Caxias por 2 a 1, mas ainda assim se deu melhor pelo resultado construído na primeira partida.

Maior campeão de Minas Gerais, o Atlético Mineiro chegou ao 45° título de sua história. Foi também o primeiro troféu de Jorge Sampaoli no Brasil. O Galo venceu o Tombense por 2 a 1 na ida, com um tento de Keno no finalzinho para decretar a virada. Desta vez, dentro do Mineirão, Jair assinalou a vitória por 1 a 0 pouco antes do intervalo. Guilherme Arana cobrou escanteio e o meio-campista, destaque da partida, desviou às redes. Festa aos atleticanos, que miram objetivos maiores com o Brasileirão pela frente.

O Grêmio levou seu 39° título no Campeonato Gaúcho, numa série de três taças consecutivas que não vivia desde o fim da década de 1980. O Tricolor tinha garantido sua tranquilidade com os 2 a 0 no Centenário e abriu o placar na Arena neste domingo, com Diego Souza. O Caxias, entretanto, virou o placar e esteve próximo de complicar. Laércio empatou antes do intervalo e uma batida cruzada de Bruninho que desviou em Kannemann deu o triunfo por 2 a 1. Os grenás precisavam de mais um tento para forçar os pênaltis, mas os gremistas seguraram a diferença e puderam erguer o troféu na centésima edição do Gauchão.

Abaixo, os gols:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo