Brasil

‘Mentalidade de clássico’ pode ser essencial para o Vasco em 2024 – se não aparecer só nos clássicos

Com bom retrospecto nos clássicos neste começo de ano, Vasco tem missão de manter espírito competitivo ao longo da temporada de 2024

O Vasco, mais uma vez, teve um bom desempenho em um clássico nesta temporada. Mas, diferente dos dois primeiros confrontos contra o rivais da cidade em 2024, desta vez, contra o Botafogo, no último domingo (18), no Nilton Santos, o Cruz-Maltino conseguiu transformar as oportunidades em gols e venceu, de virada e com autoridade, por 4 a 2, em partida válida pelo Campeonato Carioca.

Este bom desempenho em clássicos já vem desde 2023, quando Ramón Diaz assumiu o comando do clube. Desde então, foram três vitórias, dois empates e uma derrota em seis jogos. Para o auxiliar técnico e filho de Ramón, Emiliano Diaz, o elenco vem ganhando uma “mentalidade” de luta muito forte, de que, mesmo quando “não jogar tão bem, sabe que tem que lutar”.

É isso que o Vasco tem feito nos clássicos, com o adendo de que, na maior parte das vezes, além de lutar, o time tem jogado bem ou próximo disso. Nos dois empates com Flamengo e Fluminense, por exemplo, o time de Ramón Diaz foi superior em alguns momentos dos clássicos. Na única derrota com Ramón em clássico, para o Flamengo, por 1 a 0, no último Campeonato Brasileiro, o Vasco poderia ter saído com um resultado melhor.

– Sempre falamos o mesmo tanto com Ramón quanto o grupo: clássico é vida ou morte. Pode não jogar tão bem, mas sabe que tem que lutar. Viemos de uma escola de River x Boca, onde perde e morre. Essa mentalidade que o grupo está adquirindo. E seguimos lutando, vamos seguir até o final – afirmou Emiliano Diaz, auxiliar técnico e filho de Ramón Diaz.

E isso, é claro, pode ser essencial para o Vasco ao longo da temporada, se aplicado não só aos clássicos, mas também em outros confrontos, como as disputas do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. Na competição de mata-mata, em que o Cruz-Maltino estreia na próxima semana, contra o Marcílio Dias, fora de casa, esse estilo quase “copeiro” e de luta pode fazer o time ir mais longe dos que nas últimas edições, o que também seria interessante para o clube financeiramente falando.

Além disso, é claro, esta mentalidade pode ser essencial para o clube tentar voltar a conquistar o Campeonato Carioca, o que não acontece desde 2016. O Estadual não é a prioridade do clube no ano, mas daria um ânimo a mais para o elenco neste início de 2024, além de ser um título mais acessível para um clube que passar por uma reestruturação de elenco.

Vasco mostrou ser competitivo em 2023, mas…

Em 2023, já sob o comando de Ramón Diaz, o Vasco já teve uma espécie de “mentalidade de clássico” nos confrontos contra os clubes mais bem colocados na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro – e que eram melhores tecnicamente. Enquanto conseguia competir bem, mesmo quando não vencia, contra adversários que lutavam pelo G-4, como Palmeiras, Atlético-MG, Botafogo, o time tinha muitas dificuldades em jogos contra equipes da segunda metade da tabela, como Santos, Bahia, Cruzeiro e Corinthians.

Essa irregularidade durou por praticamente todo o Campeonato Brasileiro, o que fez o time lutar contra o rebaixamento até os minutos finais da última rodada da competição. Mas o espírito competitivo de Ramón Diaz e Emiliano Diaz segue em alta e, na atual temporada, sendo ainda mais marcante nos clássicos cariocas.

– Temos um time em construção, sabemos a nossa limitação. Mas vamos competir com todo mundo, como fizemos no ano passado. Fizemos algo absurdo e competimos com todos os grandes. E este ano não vai ser diferente. Confiamos muito nesse time – afirmou Emiliano Diaz em recente entrevista após o empate com o Flamengo.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo