Brasil

Gramado sofre, e administração do Maracanã monta força tarefa na Data Fifa

Flamengo e Fluminense estão de olho, já que a grama apresentou muitos problemas no último fim de semana

O gramado do Maracanã estava afastado dos holofotes, mas voltou a ser tema de discussão no último fim de semana. A grande sequência de partidas fez com que a grama sentisse, e o clássico entre Flamengo e Vasco, que terminou com goleada, foi a última pá de cal. Pensando em otimizar o tempo, a administração do estádio montou uma força tarefa.

Os dias de trabalho durante a Data Fifa tem sido longos, mas, segundo o planejamento, também serão fundamentais. A Trivela conversou com fontes ligadas à Greenleaf, empresa que cuida do gramado do Maracanã, para entender melhor o processo.

Momento de revitalização

Tudo começou com o Futebol Solidário, que angariou fundos para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. Uma causa nobre que, por outro lado, iniciou uma sequência pesadíssima para o gramado do Maracanã. Depois disso, Flamengo e Fluminense tiveram período cheio no estádio, entre Libertadores e Brasileirão, atuando no meio e no fim da semana.

O resultado foi cinco jogos em sete dias, ou seja, o Maracanã teve apenas 48 horas de descanso efetivo entre as partidas disputadas. Era óbvio que o gramado sentiria, e os indícios mais aparentes vieram no Clássico dos Milhões. Os buracos eram predominantes.

Dessa forma, a Greenleaf entrou em ação com um plano sucinto para os dez dias de paralisação até o retorno do estádio, que será na próxima quinta-feira (13), com duelo entre Flamengo e Grêmio. O principal trabalho foi com os produtos foliares e granulados, que ajudam no fortalecimento na recuperação dos divots. Mas o que é um divot?

Os divots são os chamados tufos, que saem durante o processo do jogo. O pisoteamento dos atletas fazem com que o gramado sofra e abra esses buracos. O objetivo principal de momento é fazer com que essas áreas obtenham o melhor crescimento possível, a fim de fechá-las.

Esses hormônios de recuperação são complementados com o top dressing, uma cobertura fina de areia que ajuda ainda mais no crescimento dos locais citados.

A reportagem ainda ouviu que o gramado vinha em excelente momento, mas a alta quantidade de partidas fez com que ele mudasse completamente. É hora de voltar aos trabalhos pesados.

Prognóstico para 2024 não é bom

Por mais que a Greenleaf acredite na recuperação, seus representantes citam que o gramado do Maracanã não ficará 100%, mesmo com a paralisação para a Data Fifa.

Especialistas estimam que a cancha precisa de pelo menos 15 dias para atingir o seu ápice. O momento enfrentado pelo futebol brasileiro faz com que o estádio tenha previsões complicadas.

32 partidas já foram disputadas em 2024, e esse número pode bater a marca de 80 até dezembro. Tudo vai depender das campanhas de Flamengo e Fluminense em Libertadores e Copa do Brasil. Os dois estão nas oitavas de final das duas competições de formato mata-mata. O Vasco também realiza alguns jogos no Maracanã, eventualmente.

Para piorar, a paralisação do Brasileirão também deve trazer problemas. As Datas Fifas funcionavam como um oásis para os administradores, que teriam mais tempo para trabalhar e apresentar um bom gramado, mas, agora, alguns jogos precisarão ser disputados nestes momentos. Será frenético.

Flamengo e Fluminense, que venceram a última licitação do Maracanã, dependem bastante de um bom gramado para aplicar seus estilos, que envolvem a posse de bola. São os obstáculos que 2024 apresenta para quem gere o estádio mais famoso do Brasil.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo