Brasil

Lusa atrasa salários e perde ídolo

O ano terminou mal no Canindé. Os jogadores ainda não receberam os salários correspondentes a novembro e dezembro.

O ano começou mal no Canindé. O clube está perto de perder Ananias, o queridinho da torcida, para o Cruzeiro. Sem receber nada. A história é complicada. No início de 2012, a Lusa comprou 50% dos direitos federativos do jogador, junto ao Bahia. Só que ele continuou registrado como jogador do Bahia e não da Lusa. O contrato termina em abril.

Sendo assim, o Cruzeiro está negociando diretamente com o Bahia, sem falar com a Portuguesa. Candinho, gerente de futebol, acredita que tudo vai se resolver. “Se a gente não receber o que pagou por ele, o Ananias não sai. O Bahia fez um contrato tipo delivery, você recebe e entrega depois mas isso não pode existir. Vamos lutar pelo jogador”.

O primeiro semestre promete ser terrível para a Portuguesa. Os números mostram isso. Para disputar a Série A do Brasileiro, o clube recebe uma cota da Globo aproximadamente de R$ 20 milhões. Para jogar a Série B do Paulista, a verba da Federação é de R$ 132 mil apenas. E, como o campeonato não é transmitido, não há verba de televisão.

O desnível financeiro é enorme e reflete na formação do elenco. Como pagar bons salários? Impossível, o que facilita a saída de jogadores como Dida, Gustavo, Boquita, Léo Silva, Bruno Mineiro e Ananias, titulares no Brasileiro. Além deles, Luís Ricardo está indo para o Sul – é disputado por Grêmio e Inter. Saíram também reservas como Rodriguinho e Maílson, além de jogadores que pouco atuavam como Calaça, Xavier, Diguinho e Raí.

Chegaram apenas quatro jogadores: o zagueiro Moisés Moura, o volante Corrêa e o meia Rafael Chorão, além de Kempes, que voltou de empréstimo.

O time provável para disputar a Série B do Paulista é Gledson, Ivan, Lima, Valdomiro e Cordeiro, Ferdinando, Correa, Moisés e Chorão, Heverton e Diego Vianna.

Dá para ser campeão. A ideia da diretoria é testar alguns jogadores da base e, em maio, contratar pelo menos seis jogadores para montar um novo time. E lutar a cada rodada para não cair.

Foto de Anderson Santos

Anderson Santos

Membro do Na Bancada, professor da Unidade Educacional Santana do Ipanema da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), doutorando em Comunicação na Universidade de Brasília (UnB) e autor do livro “Os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro de Futebol” (Appris, 2019).
Botão Voltar ao topo