Brasil

Lucas Romero recebe advertência do TJD e poderá defender Cruzeiro no fim do Mineiro

Lucas Romero, volante do Cruzeiro, foi acusado de dar cotovelada no atacante Rodrigo Varanda, do América-MG, em clássico da primeira fase do Campeonato Mineiro

O volante argentino Lucas Romero, de 29 anos, foi julgado na noite desta quinta-feira (14), no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), por suposta cotovelada no atacante Rodrigo Varanda, do América-MG, em clássico da primeira fase do Campeonato Mineiro, disputado no último dia 15 de fevereiro. Após o próprio jogador e a defesa do Cruzeiro serem ouvidos, foi aplicada a pena de um jogo de suspensão, já cumprida, sendo esta convertida em advertência.

Com a decisão, Lucas Romero está liberado para disputar a reta final do Campeonato Mineiro, estando disponível, inclusive, para enfrentar o Tombense, no jogo de volta da semifinal. A partida acontecerá neste sábado (16), às 16h30, no Mineirão.

O próprio Lucas Romero participou da audiência e deu sua versão do acontecido. Segundo ele, houve choque em uma situação normal de jogo, quando ele tentou bloquear o avanço do adversário, sendo uma falta tática.

Na hora, eu quis parar a passagem do atacante do América e tentei freá-lo assim. Eu não peguei no rosto dele, uma cotovelada, como falou o senhor juiz, que eu bati no rosto do atacante. Tanto que na hora que sou expulso, o atacante que eu freei sai rindo, porque não machuquei ele — se defendeu Lucas Romero.

— O que aconteceu foi que uma bola no espaço, onde o atacante estava chegando e eu tentei tirar a velocidade dele. Estava mais cansado. Eu estava perdendo a possibilidade de ganhar essa bola. Nessa partida, o que eu quis fazer foi matar a jogar. Uma falta tática, frear a passagem do atacante e tentar ganhar uma falta para mim — explicou o volante argentino.

O advogado do Cruzeiro, Michel Assef, alegou que Lucas Romero tentou disputar uma bola que havia sido lançada, travando o corpo para que o adversário se chocasse e não conseguisse progredir no lance. Chamou de uma falta tática, de jogo, mas que poderia ser interpretada até como falta do atacante, dependendo do que André Luiz Skettino, árbitro do jogo, observasse, reforçando a versão do volante argentino. Além disso, alegou que a imagem é clara e corrobora com a versão do clube celeste.

Michel Assef defendeu ainda, que a punição do jogo já foi suficiente, pelo fato de se tratar de uma situação corriqueira numa partida de futebol. O advogado ressaltou, ainda, que a posição do jogador é defensiva e que, ainda assim, ele tem histórico limpo. Lucas Romero recebeu, além do vermelho em questão, apenas um cartão amarelo nesta temporada.

A decisão do TJD

Assim, o relator decidiu julgar parcialmente procedente a denúncia, entendendo que Lucas Romero foi imprudente na jogada. Por isso, solicitou que fosse aplicada somente uma infração disciplinar, enquadrando Romero no artigo 254, parágrafo 1º, inciso I, pedindo, então, um jogo de suspensão, já cumprido. Os outros dois auditores enquadraram o argentino no mesmo artigo, mas no inciso II, pedindo uma partida de suspensão, mas que esta fosse substituída por advertência.

A Presidente da Primeira Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva, Dra. Helen Boccalini, pediu a absolvição de “El Perro”, mas foi voto vencido. Sendo assim, ficou definido que Lucas Romero seria apenas advertido.

A expulsão de Lucas Romero

Eram decorridos 51 minutos do clássico entre Cruzeiro e América-MG, disputado no dia 15 de fevereiro, quando, fora da disputa de bola, Romero se chocou com Rodrigo Varanda, bem em frente ao árbitro assistente, que logo “dedurou” a atitude do argentino ao árbitro André Luiz Skettino, que nem precisou ir ao VAR para expulsar o atleta.

Membros da comissão técnica do América-MG afirmaram, após o fim da partida, que Varanda estava “falando muita m…” no ouvido do camisa 29 do Cruzeiro. O Coelho já vencia por 2 a 0 no momento do ocorrido. Na ocasião, mesmo jogando como visitante, o Coelho bateu a Raposa pelo mesmo placar do momento da expulsão, frustrando quase 40 mil torcedores no Mineirão.

Lucas Romero foi denunciado nos artigos 250 e 254-A, que tratam de “praticar ato desleal ou hostil durante a partida” e “praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente”. A pena pode ser de uma a três partidas no primeiro caso ou quatro a 12 jogos no segundo, sendo essa a punição que prevaleceria caso o jogador recebesse pena máxima no julgamento. Dependendo da pena recebida, o argentino poderia perder o restante do Campeonato Mineiro.

Julgamento havia sido adiado

A definição da data do julgamento aconteceu 13 dias após o adiamento da sessão que definiria a punição. Na ocasião, ocorrida no dia 27 de fevereiro, o procurador responsável afirmou que não conseguiu avaliar uma prova enviada pela defesa em vídeo do Cruzeiro por problemas técnicos e que, por isso, ficaria incapaz de se manifestar.

Sendo assim, ele pediu vista, que é, basicamente, o adiamento do julgamento para uma próxima sessão ordinária, sendo esta concedida.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo