Brasil

Uma lista cheia de novidades: Veja os convocados aos próximos amistosos da Seleção

A seleção brasileira volta a campo no próximo mês de junho. Diante da folga nas Eliminatórias e da ausência na Copa das Confederações, a equipe nacional disputará dois amistosos: fará o ‘Superclássico das Américas’ contra a Argentina em Melbourne, no dia 9, e aproveitará a viagem até a Oceania para encarar a seleção da casa, a Austrália, no dia 13. Oportunidade para que Tite realize testes no elenco, convocando 24 jogadores. Além disso, o treinador afirmou que levou em consideração as férias de alguns atletas que atuam na Europa – como, por exemplo, Neymar.

Abaixo, a lista. Destaque para as muitas novidades do elenco. Alguns nomes bastante mencionados nos últimos meses pela boa fase no futebol europeu (especialmente Diego Alves, Jemerson e Alex Sandro) ganharam uma chance. David Luiz retorna ao grupo pela primeira vez desde março de 2016, enquanto Rafinha surpreende, após solicitar dispensa ao ser chamado por Dunga para o início das Eliminatórias – segundo Tite, o lateral do Bayern foi contatado e se disponibilizou à equipe. Rodrigo Caio, Lucas Lima e Rodriguinho aparecem depois da participação no amistoso contra a Colômbia. Já no ataque, Taison e Douglas Costa terão nova oportunidade.

Goleiros: Diego Alves (Valencia), Weverton (Atlético Paranaense), Ederson (Benfica)

Defensores: David Luiz (Chelsea), Gil (Shandong Luneng), Jemerson (Monaco), Rodrigo Caio (São Paulo), Thiago Silva (Paris Saint-Germain), Alex Sandro (Juventus), Fagner (Corinthians), Filipe Luís (Atlético de Madrid), Rafinha (Bayern de Munique)

Meio-campistas: Fernandinho (Manchester City), Giuliano (Zenit), Lucas Lima (Santos), Paulinho (Guangzhou Evergrande), Philippe Coutinho (Liverpool), Renato Augusto (Beijing Guoan), Rodriguinho (Corinthians), Willian (Chelsea)

Atacantes: Diego Souza (Sport), Douglas Costa (Bayern de Munique), Gabriel Jesus (Manchester City), Taison (Shakhtar Donetsk)

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo