Brasil

Com mais lesões que gols, Alan Kardec completa um ano sem marcar pelo Atlético-MG

Alan Kardec completou exatos 365 dias sem fazer gol pelo Atlético, o que reflete a péssima passagem pelo clube

O atacante Alan Kardec, do Atlético-MG, completou uma marca expressivo que nenhum jogador da posição dele gostaria: exatamente um ano sem balançar as redes. Pelo Galo, o jogador tem, até então, uma péssima passagem, onde soma mais lesões do que gols.

A última vez que Alan Kardec balançou as redes foi em 24 de junho de 2023, no Castelão, quando o Galo foi derrota por 2 a 1 para o Fortaleza e ele fez o gol de honra. Desde então, entrou em campo outras 22 vezes sem o sucesso de marcar.

Os outros dois gols dele foram marcados em 2022, um logo na estreia, no empate contra o Cuiabá, e outro que garantiu a vitória do Galo contra o Coritiba no Couto Pereira.

A marca negativa expressiva reflete a passagem de Kardec no Atlético, que não conseguiu, em nenhum momento, empolgar o torcedor.

Mais lesões que gols

Kardec foi anunciado pelo Atlético na metade de 2022. Chegou com a importância de ser o artilheiro do time, um reserva ou até um companheiro de ataque para Hulk. O currículo era bom, com várias temporadas com 10 ou mais gols no Brasil e na China. Só que as coisas não funcionaram no Galo.

Com a camisa alvinegra, Alan Kardec não conseguiu render ainda nos quase dois anos de clube. Muito atrapalhado por lesões, ele soma apenas três gols e uma assistência em 36 jogos, números abaixo em todos os sentidos.

Os números são tão ruins que ele teve mais lesões do que gols pelo clube. Por cinco vezes ele se tornou desfalque do Atlético, quatro delas por problemas nas costas, que terminou com a necessidade de uma cirurgia que o afastou de campo por sete meses.

Os problemas de Kardec no Atlético
  • 28 de ago. de 2022: dores no quadril
  • 7 de se.t de 2022: lombalgia
  • 31 de out. de 2022: dor na coluna
  • 1° de nov. de 2022: descobriu-se uma hérnia de disco e ele passou por cirurgia, ficou fora até junho de 2023
  • 24 de out. de 2023: lesão muscular na coxa direita

Como consequência, Kardec soma poucos minutos

Ter feito 36 jogos em dois anos, também reflete como a passagem de Kardec no Galo não deu certo. Mas as coisas ficam ainda mais evidentes quando analisamos os minutos jogados por ele.

Ao todo, Kardec soma 657 minutos em campo pelo Atlético, segundo o site oGol. Esses minutos correspondem a 7,3 partidas ao todo. Ou seja, o atacante não realizou 10 partidas ao todo em dois anos de Galo.

  • 2024: 142 minutos
  • 2023: 268 minutos
  • 2022: 247 minutos

Kardec foi reserva durante toda a temporada 2022, quando chegou no meio do ano e ainda sofreu mais com lesões. Em 2023, quando se recuperou, fez apenas dois dos 15 jogos dele no ano como titular. Já em 2024, foi titular na estreia do clube, que perdeu Hulk de última hora, e nunca mais desde então. Ele chegou a ficar fora dos relacionados do Atlético por um bom tempo.

Outro ponto que explica a pouca minutagem de Kardec é que ele, geralmente, é acionado nos minutos finais das partidas, quando o time precisa de mais força na bola aérea, ou quando Paulinho/Hulk estão cansados.

Kardec não se justificou

O ponto principal é que, a contratação de Kardec não se justificou no Atlético. Inicialmente, o atacante parecia uma boa opção, pelo currículo que tem e as características de jogador de área, algo que o Galo não tem. Mas, depois de dois anos, ele não conseguiu corresponder.

Atualmente, Kardec é a quinta opção de ataque do Atlético, atrás até do jovem Cadu. O único atacante atrás do experiente jogador hoje é o também jovem Isaac. E essa escolha é completamente justificável, pelo que ele (não) apresentou — a seca de gols corrobora isso.

A torcida já não confia mais no atacante para resolver jogos, e até o técnico Gabriel Milito parece que não muito também. No último jogo, contra o Fortaleza, Kardec não saiu do banco, mesmo com o Galo perdendo até o início do segundo tempo.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo