Brasil

Jogo a jogo, o que rolou no primeiro domingo de finais dos estaduais pelo Brasil

O domingo foi intenso pelo Brasil. Vários campeonatos estaduais realizaram o início de suas finais. E emoção não faltou de norte a sul. Alguns times podem se dizer mais próximos à taça, como o Corinthians, o Coritiba ou o Goiás. De qualquer maneira, o equilíbrio prevalece em grande parte do país. Abaixo, confira um quadro geral das principais decisões:

Gaúcho: Internacional 2×2 Novo Hamburgo

A final mais dramática do domingo ficou reservada para o Beira-Rio. O Novo Hamburgo faz uma campanha louvável no Gauchão, sem sequer perder para a dupla Gre-Nal. E esteve a um triz de bater os colorados dentro do seu próprio gigante. João Paulo deixou o Noia em vantagem no primeiro tempo, graças a um gol de cabeça. Os anilados conseguiam conter a pressão do Inter. O empate saiu apenas na volta do intervalo, em chute de Roberson que contou com a infelicidade de Júlio Santos e Matheus, pipocando em ambos antes de entrar. O Novo Hamburgo recuperou a vantagem, com Assis aproveitando outro escanteio. Já aos 36, os anfitriões venceram novamente o bom goleiro Matheus, em trama cheia de categoria entre D’Alessandro e Nico López.

Nos últimos instantes, o jogo ainda guardou muitas emoções aos torcedores do Inter. Sem que a federação permitisse a inscrição de um quarto goleiro no campeonato, Marcelo Lomba precisou ir para o banco de reservas no sacrifício, após se lesionar na semifinal. E o reserva entrou em campo, diante da contusão de Keiller, o terceiro arqueiro colorado a se machucar nas últimas semanas. Para alívio dos anfitriões, o empate prevaleceu. O Novo Hamburgo tenta regularizar a instalação de arquibancadas móveis no Estádio do Vale para o reencontro. Caso isso não aconteça, o jogo será no Estádio Centenário, em Caxias do Sul. Novo empate acaba em pênaltis.

Carioca: Fluminense 0x1 Flamengo

Diante de 40 mil torcedores, o Flamengo saiu em vantagem no Maracanã. Buscando mais o gol, os rubro-negros contaram com um lance infeliz de Renato Chaves, em furada clamorosa que abriu o caminho para Everton estufar as redes. Diego Cavalieri, que vinha sendo bastante exigido, nada pôde fazer. No segundo tempo, o Fluminense chegou a carimbar o travessão. Ainda assim, o Fla criava chances e poderia ter ampliado, especialmente nos contragolpes. A notícia ruim para os rubro-negros fica por conta das lesões de Rômulo e, sobretudo, de Paolo Guerrero, em boa fase. O time de Zé Ricardo joga pelo empate na volta, mas terá compromisso com a Universidad Católica no meio de semana, pela Copa Libertadores. Diferença de um gol para os tricolores leva aos pênaltis.

Paulista: Ponte Preta 0x3 Corinthians

A belíssima festa dos campineiros dentro e fora do Estádio Moisés Lucarelli pouco adiantou. O Corinthians dominou o primeiro jogo da final do Paulistão e colocou a mão na taça, negando o sofrimento experimentado na célebre conquista de 1977. Rodriguinho foi o protagonista da partida, com dois gols e uma assistência após grande jogada individual. Com passe de Jô, o meio-campista garantiu a vantagem antes do intervalo. Já na volta para o segundo tempo, os corintianos mataram o jogo com Jadson e Rodriguinho. À Ponte Preta, resta vencer por ao menos três gols de diferença para forçar as penalidades. O sonho da taça inédita depende de um milagre.

Mineiro: Cruzeiro 0x0 Atlético

As expectativas para o clássico eram grandes, diante dos dias tumultuados em BH, com a pressão da torcida do Galo sobre os seus jogadores. O Mineirão, porém, recebeu um jogo abaixo do esperado. Os 40 mil presentes viram um duelo mais amarrado, em que faltaram chances mais claras. Melhor para os atleticanos, que seguraram os rivais, mais ofensivos na tarde, e levam a vantagem do empate no reencontro marcado para o Independência, por terem a melhor campanha.

Paranaense: Atlético 0x3 Coritiba

Se a irmandade prevaleceu entre rubro-negros e alviverdes nas disputas com a federação, isso não influenciou em campo. O Coxa atropelou os rivais dentro da Arena da Baixada. O Furacão até assustou primeiro, carimbando o travessão, mas os visitantes fariam dois gols antes do intervalo, com Werley e Iago, em belíssimo toque por cobertura. Já na volta do intervalo, Kleber anotou o terceiro. Os atleticanos tentaram recobrar o prejuízo, com mais uma bola no poste, mas a situação ficou difícil depois que Felipe Gedoz foi expulso. O time de Paulo Autuori precisará ganhar por três gols de diferença no Couto Pereira para ao menos levar aos pênaltis.

Goiano: Vila Nova 0x3 Goiás

Se o Vila Nova tinha expectativas de conquistar o primeiro título estadual desde 2005, o Goiás congelou as pretensões no Serra Dourada. Sem perdoar os erros da defesa adversária, os alviverdes anotaram 3 a 0. Alemão (contra), Tiago Luís e Carlos Eduardo marcaram os gols. Destaque principalmente para Carlos Eduardo, de 20 anos, que infernizou a defesa alvirrubra no segundo tempo, anotando um bonito tento para fechar a conta. Se reverter a diferença, o Vila Nova terá o direito aos pênaltis no reencontro.

Catarinense: Avaí 0x1 Chapecoense

O que parecia inimaginável meses atrás está prestes a acontecer. A Chapecoense mantém a campanha arrasadora no Catarinense e conseguiu sair em vantagem contra o Avaí, mesmo visitando a Ressacada. Em primeiro tempo com uma expulsão para cada lado, o gol decisivo saiu com o volante Luiz Antônio. Por ter a melhor campanha, o Verdão poderá perder por um gol de diferença na Arena Condá que fica com a taça.

Paraense: Paysandu 1×1 Remo

O confronto no Mangueirão permanece totalmente aberto. Quem vencer o jogo de volta fica com o troféu, e o empate leva aos pênaltis. O Paysandu se deu melhor no primeiro tempo, saindo em vantagem graças ao tento de Bergson. Já na segunda etapa, o Remo buscou o prejuízo com Igor João.

Cearense: Ferroviário 0x1 Ceará

Na primeira final entre os clubes desde 1998, o Ceará deu um passo importante. Venceu o primeiro jogo e, se repetir a dose no segundo, fica com a taça. Um empate ou vitória do Ferroviário no segundo encontro força uma terceira partida. O gol decisivo veio com Wallace Pernambucano. Givanildo Oliveira, mais uma vez, poderá copar nos estaduais, agora com o Vozão.

Alagoano: CRB 1×0 CSA

Diante da animada torcida no Estádio Rei Pelé, Neto Baiano justificou sua idolatria no CRB. O atacante balançou as redes mais uma vez contra os rivais, assegurando o triunfo por 1 a 0. Assim, os alvirrubros jogam pelo empate na segunda partida. Se o CSA devolver a diferença, haverá prorrogação.

Paraibano: Treze 2×3 Botafogo

O jogo mais movimentado foi o último a terminar, no início da noite. E o Botafogo conseguiu se impor em Campina Grande, sempre mantendo a vantagem no placar. Sapé abriu a conta, antes que Jean Carlo empatasse no final do primeiro tempo. O Belo voltou a tomar a dianteira logo após o intervalo, com belo chute de Fernandinho. Jean Carlo marcariam mais um, em jogada de Marcelinho Paraíba. Mas, aos 25, Rafael Oliveira foi oportunista para fechar a conta. A melhor campanha botafoguense garante o título mesmo com derrota por um gol de diferença.

Outras decisões

Mato-grossense: Cuiabá 2×1 Sinop
Sul-mato-grossense: Novoperário 1×1 Corumbaense
Sergipano: Confiança 1×1 Itabaiana
Capixaba: Doze 2×2 Atlético
Brasiliense: Ceilândia 2×2 Brasiliense
Potiguar: ABC x Globo (segundo jogo na segunda; ABC venceu por 1 a 0 na ida)
Baiano: Bahia x Vitória (primeiro jogo na próxima quarta)
Tocantinense:
Interporto x Sparta (primeiro jogo no próximo sábado)
Pernambucano: Sport x Salgueiro (primeiro jogo no próximo domingo)

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo