Brasil

Jael brilhou em um Gre-Nal para chamar de seu, em tarde tricolor na Arena

Jael ouviu muitas críticas desde que chegou ao Grêmio – e várias vezes antes disso. A falta de qualidade técnica no trato com a bola é uma queixa corriqueira, e a longa seca de gols a partir de sua chegada a Porto Alegre contribuiu à bronca. As participações importantes na reta final da Libertadores, no entanto, limparam a sua barra.  E nesta relação de amor e ódio, o centroavante certamente terminou a noite ouvindo as mais belas juras dos gremistas. Afinal, o Gre-Nal deste domingo merece ser reconhecido como “o Gre-Nal do Jael”, ainda que outros companheiros também tenham sido importantes. Quem sofreu com sua crueldade foi o Internacional, em derrota por 3 a 0 na Arena que diz muito sobre o momento distinto entre os dois rivais.

No início da partida, o herói do Grêmio era o de sempre: Marcelo Grohe. Com o Inter ameaçando mais nas bolas paradas, o goleiro precisou operar dois milagres nos primeiros 25 minutos, buscando cabeçadas de Rodrigo Dourado e Patrick. Na segunda, ainda contou com a ajuda do travessão. Os tricolores tinham mais posse de bola, mas encontravam dificuldades para abrir espaços na bem encaixada marcação colorada, limitando-se a chutes de longe. A situação começou a se abrir apenas na reta final do primeiro tempo. E contou com uma linda trama dos anfitriões para que o placar fosse inaugurado, nos acréscimos. Luan deu uma enfiada para Ramiro, livre, e este cruzou na medida para Everton escorar às redes.

Jael mal apareceu no primeiro tempo, encaixotado em meio à marcação. Mas cresceria com o Grêmio na segunda etapa, quando os anfitriões passaram a pressionar os rivais de maneira sistemática. Cada vez mais, os tricolores ditavam o ritmo do clássico e iam ameaçando a defesa do Inter, sem a mesma consistência dos 45 minutos iniciais. O segundo gol não saiu com Geromel porque Marcelo Lomba evitou, em grande defesa. O goleiro, todavia, não teve o que fazer quando Jael brilhou aos 18. Em falta do meio da rua, o centroavante bateu com força e mandou a bola na gaveta. Golaço que já valia os aplausos. Depois de passar 2017 inteiro em branco, o camisa 9 soma três tentos nas últimas cinco partidas.

Com a tranquilidade no placar, o Grêmio pôde diminuir um pouco mais o ritmo, se protegendo na defesa. Nada que o Inter aproveitasse. E o Cruel faria mais, servindo Arthur no terceiro tento, em contra-ataque armado aos 32. O meio-campista saiu do banco pouco antes e, em grande trabalho do companheiro, recebeu um lançamento de ombro, saindo na cara do gol. Era um segundo tempo notável dos gremistas. Que ainda teve mais uma defesaça de Grohe, no mano a mano com Dourado, negando a melhor oportunidade para os colorados descontarem.

Jael recebe a indulgência dos gremistas e também o carinho quando se lembrarem deste clássico. Apesar de todo o sofrimento na fase de classificação do Campeonato Gaúcho, o Grêmio se impôs justamente nos confrontos diretos com o maior rival. E que o estadual não seja sua prioridade no semestre, sempre é bom desfrutar uma vitória sonora destas. A missão no Gre-Nal, contudo, ainda tem sua segunda parte. Os dois times voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, no Beira-Rio. Com os três gols de saldo no placar agregado, a comodidade é toda tricolor.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.