Brasil

Alô, Gabigol: três ídolos do Flamengo que também brilharam no Palmeiras

Clube alviverde apresentou proposta de pré-contrato ao atacante e se mostra confiante no acerto

Tudo leva a crer que mais cedo ou mais tarde Gabigol será jogador do Palmeiras. A relação do atacante com a diretoria do Flamengo piora a cada dia, e o Alviverde monitora de perto a situação.

Na última segunda-feira (8), inclusive, o clube paulista apresentou uma proposta de pré-contrato para o atleta — cujo vínculo com o Rubro-Negro se encerra no final do ano.

Outras equipes brasileiras também chegaram a sondar Gabigol, mas somente o Palmeiras transformou o interesse em proposta. O time alviverde agora aguarda um retorno do atacante para poder contar com o jogador a partir de janeiro de 2025, sem qualquer custo de transação.

A transferência ainda não é certa. Contudo, são grandes as chances de Gabriel Barbosa reforçar o Palmeiras.

Se o artilheiro brilhará pelo Palestra? Bom, isso só o tempo dirá. Mas não é que o retrospecto histórico ajuda.

A Trivela separou três nomes importantes da história do Flamengo que também brilharam com a camisa do Palmeiras. Vamos à lista:

Zinho

Crizam César de Oliveira Filho, mais conhecido como Zinho, foi revelado nas categorias de base do Flamengo. O volante iniciou sua carreira profissional em 1986, quando teve a oportunidade de atuar ao lado de Zico, Júnior, Leandro e Adílio, alguns dos maiores craques da história rubro-negra.

Pelo clube da Gávea, Zinho faturou diversos títulos, com destaque para o tricampeonato carioca (1986, 1991 e 2004), a Copa União de 1987, a Copa do Brasil de 1990 e o Campeonato Brasileiro de 1992.

Segundo o portal Flaestatística, Zinho disputou 469 partidas pelo Flamengo, com 246 vitórias, 121 empates e 102 derrotas. Anotou 63 gols. 

Após seis anos de casa, Zinho deixou o Mais Querido em 1992. O destino? Palmeiras, onde o cria da Gávea tornou-se peça fundamental da avassaladora equipe bicampeã paulista e brasileira, em 1993 e 1994.

Entre 1995 e 1997, Zinho defendeu o Yokohama Flügels, do Japão. Mas sua história com Palmeiras e Flamengo ainda não havia terminado. Na segunda passagem pelo Palestra Itália, o volante conquistou a Copa Libertadores de 1999 — seu principal título na carreira de clubes.

Atuou pelo Grêmio entre 2000 e 2002, e novamente retornou ao clube alviverde. A terceira passagem por lá, entretanto, não foi vitoriosa como as duas primeiras.

Antes de se aposentar, Zinho jogou pelo Flamengo de 2004 a 2005. No final das contas, apesar de revelado na base do Rubro-Negro, o ex-volante fez mais sucesso vestindo verde.

Zinho pelo Palmeiras

  • 333 jogos
  • 184 vitórias
  • 74 empates
  • 75 derrotas
  • 56 gols marcados

Júnior Baiano

Nascido em Feira de Santana (Bahia), Júnior Baiano começou sua carreira no final da década de 80, nas divisões de base do Flamengo. O zagueiro foi titular da equipe campeã da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 1990, fazendo o único gol da final contra a Juventus-SP.

Júnior Baiano teve, ao todo, quatro passagens pelo Flamengo, onde conquistou uma Copa do Brasil (1990), três Campeonatos Cariocas (1991, 1996 e 2004), uma Copa dos Campeões Mundiais (1997) e um Campeonato Brasileiro (1992).

Com 32 gols marcados (em 288 partidas) vestindo a camisa rubro-negra, Júnior Baiano é, ao lado de Juan, o maior zagueiro artilheiro da história do clube da Gávea. 

Júnior Baiano dando entrevista vestido de Flamengo
Júnior Baiano dando entrevista vestido de Flamengo (Foto: Janailton Falcão/Manaus FC)

Ídolo do Mais Querido, o defensor também fez sucesso em outros times do futebol brasileiro — como o Palmeiras. Após o vice-campeonato mundial da Seleção Brasileira em 1998, Júnior Baiano se transferiu para o Alviverde.

Com sua tradicional imposição física, o defensor logo se tornou uma das referências da equipe, campeã da Copa Mercosul em 1998 e da Copa Libertadores em 1999.

Durante a passagem vitoriosa pelo Palmeiras, Júnior Baiano manteve sua fama de zagueiro artilheiro. Ele foi o goleador do time na Libertadores de 1999 — marcando 5 gols na campanha que levou o Verdão ao título da competição.

Júnior Baiano pelo Palmeiras

  • 72 jogos
  • 42 vitórias
  • 12 empates
  • 18 derrotas
  • 16 gols marcados

*Conquistou três títulos – Copa Mercosul (1998), Copa do Brasil (1998) e Copa Libertadores (1999)

Arte produzida pelo Palmeiras no aniversário de Júnior Baiano
Arte produzida pelo Palmeiras no aniversário de Júnior Baiano (Foto: Reprodução/Palmeiras)

Djalminha

Outro cria das categorias de base do Flamengo na lista. Djalminha fez seu primeiro jogo profissional pelo time rubro-negro no Campeonato Carioca de 1989, contra o América.

Filho de Djalma Dias — zagueiro da Seleção Brasileira na década de 60 — Djalminha tinha um talento acima da média com a bola nos pés. Raciocínio rápido, passe refinado e excelente qualidade técnica. Apesar do potencial, o meio-campista dava sinais de descontrole emocional desde muito jovem.

Em 1993, durante um Fla-Flu, Djalminha se desentendeu com Renato Gaúcho no campo de jogo — e chegou a trocar xingamentos e empurrões com o companheiro de equipe. O episódio decretou o final de sua passagem pela Gávea.

De acordo com o Almanaque do Flamengo, de Roberto Assaf e Clóvis Martins, Djalminha fez 126 partidas pelo clube rubro-negro, com 71 vitórias, 29 empates, 26 derrotas e 25 gols marcados.

Dos títulos mais importantes conquistados na Gávea, estão: a Copa do Brasil de 1990, o Campeonato Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992.

Após passagem por Guarani e Shimizu S-Pulse (Japão), Djalminha foi contratado pela multinacional Parmalat para jogar no Palmeiras em 1995. Durante o curto tempo que defendeu o Alviverde, o meia brilhou.

Ao lado de outros nomes históricos, como CafuJúnior, Rivaldo e Müller, Djalminha ajudou o Verdão a conquistar o Campeonato Paulista de 1996. Em virtude de sua excelente fase individual no Palestra, o meia chamou a atenção do Deportivo La Coruña, que o contratou no ano seguinte.

Djalminha em ação pelo Palmeiras
Djalminha em ação pelo Palmeiras (Foto: Icon Sport)

Djalminha pelo Palmeiras

  • 90 jogos
  • 59 vitórias
  • 17 empates
  • 14 derrotas
  • 50 gols marcados
  • 1 título
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme CalvanoRedator

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo