Brasil

Foi a vez do goleiro do Corinthians brilhar para o rei da Copinha levar mais uma

O grande herói da semifinal da Copa São Paulo de Juniores entre Palmeiras e Botafogo foi o goleiro do time de Ribeirão Preto. Talles fez uma série de boas defesas para eliminar o adversário e garantir a passagem de ônibus para o Pacaembu. Estava no estádio municipal, no dia do aniversário da cidade, para se consagrar com o título, mas o dia era do seu correspondente corintiano. Com uma defesa brilhante no segundo tempo, Caíque garantiu o nono troféu de Copinha do Corinthians.

LEIA MAIS: Mais do que inspiração no Brasil, o Corinthian-Casuals um dia já foi chamado de melhor time do mundo

Foi especialmente cruel para Talles, o grande destaque do Botafogo durante toda a brilhante campanha na qual o time do interior eliminou, além do Palmeiras, Botafogo-RJ, Fluminense e Grêmio. Porque aos 21 minutos do segundo tempo de um jogo equilibrado e marcado pela incompetência dos atacantes, espalmou para as próprias redes um chute de Maycon que poderia ser facilmente defendido. O gol da vitória, do título e do pesadelo para Talles.

Até esse lance, a expectativa era de zero a zero. As defesas estavam sólidas, e os ataques, displiscentes. O Botafogo teve a chance de sair à frente aos 16 minutos em uma cobrança de falta do meia Alex que parou na trave. O rebote ficou com Tulio Souza, livre, na entrada da pequena área, mas o chute foi por cima. A resposta corintiana veio no final do primeiro tempo quando Yan recebeu cruzamento, também na cara do gol, e mandou para fora.

Era um jogo diferente para esses garotos com menos de 20 anos, em um estádio histórico como o Pacaembu, lotado de corintianos e com transmissão de TV aberta. Normal ficar um pouco nervoso, nem tanto falhar como Mayc. Em um vacilo, Gabriel Vasconcelos, um dos bons nomes do Corinthians, ficou cara a cara com Talles, mas errou ao tentar encobri-lo.

O time de Osmar Loss sentia a falta do seu principal articulador Matheus Cassini, suspenso, e só conseguiu abrir o placar graças à falha de Talles. E só não estava perdendo neste momento porque Caíque realizou um milagre. Uma cabeçada à queima roupa foi muito bem defendida por ele, mas o rebote estava lentamente se encaminhando aos pés de Isaac, do Botafogo, em cima da linha. Demonstrando um raciocínio brilhantemente rápido, desviou com o pé, e a zaga afastou.

O Corinthians sabe vencer Copinhas e torneios de categorias de base. Também foi campeão paulista e brasileiro da categoria recentemente e agora precisa mostrar que também sabe subir os jogadores para o time principal, como Gabriel Vasconcelos e Cassini. O Botafogo pode comemorar uma campanha histórica e, se também fizer tudo direitinho, o futuro promissor que tem pela frente.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo