Brasil

O Fluminense inaugurou seu novo museu com um espaço especial para a Libertadores de 2023

Fluminense transforma sala de troféus em museu na sede social de Laranjeiras e destaca conquista da Libertadores de 2023

Em evento na sede social de Laranjeiras, o Fluminense inaugurou seu novo museu. Com boa parte das taças mais importantes conquistadas pelo clube, interatividade e participação da torcida, o espaço tem uma sala especial para a conquista da Libertadores de 2023.

Já há, inclusive, um espaço reservado para a Recopa Sul-Americana. O totem que o espera, na verdade, será rotativo, e irá expor sempre a última taça conquistada pelo clube. As grandes conquistas do Fluminense estão em um palco especial.

— Então, Fluminense não é só o campo, a bola, o título, o ídolo. Fluminense é tudo isso. Então, você tem nesse museu o Nelson Rodrigues, o Chico, a Betânia, enfim, tantos outros artistas aqui representados e também, além disso, as grandes conquistas nossas, a gente dá muita alegria. E não vai ser só passado, né, que museu remete ao passado, mas vocês vão pensar também em futuro, em estar mudando o tempo inteiro — afirmou Mario Bittencourt.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Trivela (@trivelafutebol)

Na mesma sala, troféus de outras modalidades e conquistas de turnos estaduais, torneios menores e diferentes taças estão expostas em uma sala dourada, com parte do chão espelhado apontando para fotos dos times campeões.

Ídolos históricos do clube como Fred — hoje diretor de planejamento do clube — Romerito e Abel Braga estiveram presentes, bem como o goleiro Fábio e tricolores ilustres. Carlo Caiado, presidente da Câmara de Vereadores e Danielle Barros, secretária estadual de Cultura, também foram ao evento de inauguração do museu, que tem incentivos fiscais do estado do Rio de Janeiro.

Romerito posa com a taça da Libertadores na sala especial construída pelo clube (Foto: Caio Blois/Trivela)

Libertadores de 2023 tem sala especial em museu do Fluminense

A única taça separada das demais no novo museu do Fluminense é a da Libertadores de 2023. Considerada a grande conquista da história do clube, a competição e seu troféu estão em uma sala especial.

Todos os 42 jogadores campeões tem suas fotos e nomes expostos um a um em um salão espelhado e iluminado. No centro, a Taça Libertadores da América.

Uma antessala conta histórias da conquista, e expõe a ficha técnica de cada um dos jogos. O time campeão e todos os funcionários do departamento de futebol que participaram da conquista tem seus nomes gravados, de serventes, roupeiros e administrativos até o presidente Mário Bittencourt.

— Espero que seja transitório. Que nesse ano, a gente ganhe a Libertadores novamente, já passa a ser as duas maiores, e assim, o diante, porque o Fluminense é gigante e era uma injustiça histórica, como eu disse várias vezes, não ter essa taça aqui até 2023. Eu falei para os jogadores, essa semana, nós vamos para a décima Libertadores, e temos um título e duas finais. O Fluminense é um grande da Libertadores, assim, tem clubes que participaram muito mais vezes, e não têm esse retrospecto. Bom, esse ano a gente vai lutar para buscar, ganhar o campeonato, e é isso — afirmou Bittencourt.

Artistas e ilustres tricolores dividem espaços com a torcida do Fluminense

A participação do torcedor é o ponto alto do museu, que para além de seus ídolos, conquistas históricas e gols inesquecíveis, expõe também diversos torcedores comuns. As fotos de sócios estampam uma sala com alguns dos ídolos do Fluminense campeão da Libertadores em 2023.

As paredes iluminadas e douradas são decoradas com cerca de 14 mil fotos de torcedores em formato 7 cm x 7 cm, impressas de forma especial pelo Fluminense. Os torcedores podem colocar fotos suas ou de pessoas que quiserem homenagear. É permitida somente uma pessoa por foto, que passam por aprovação de uma equipe de curadores. A venda dos espaços será reaberta novamente para os torcedores em breve.

Em outro espaço, com vista para o campo das Laranjeiras, também estão expostas poesias e textos de artistas como Chico Buarque, Maria Bethânia, João Cabral de Melo Neto, Vinícius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade, Adélia Prado e Manoel de Barros.

Há uma sala com 121 gols importantes do Fluminense e 45 maiores ídolos, além dos campeões da Libertadores 2023.

Funcionamento

  • Terça a sexta-feira: das 10h às 18h
  • Sábado, domingo e feriados: das 10h às 16h
  • Segunda: fechado para manutenção

Preços

  • Sócios: R$ 25
  • Não-sócios: R$ 50
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo