Brasil

Flu contra os nervos

Quando alguém tem a faca e o queijo na mão, tudo que precisa fazer é cortar e servir-se, certo? Pois bem, mas é preciso tomar um cuidado: não se cortar. Esse é o tamanho do desafio do Fluminense nesta rodada final do Campeonato Brasileiro.

O time é o melhor no balanço geral da competição. Liderou mais rodadas, foi consistente mesmo com os problemas que enfrentou, perdendo muitos jogadores por lesão. Chega à última rodada com uma situação confortável: é só vencer o Guarani, já rebaixado, no Engenhão para levantar a taça.

Por mais que o Guarani receba malas e malas de dinheiro, o time é fraco. É difícil imaginar que possa causar qualquer problema ao Fluminense. Mesmo que jogue no seu máximo potencial, seria um adversário incapaz de vencer o líder do campeonato. Só não é possível cravar isso por um motivo: o futebol é um esporte capaz de surpresas inimagináveis.

E para que essa surpresa aconteça, como querem Corinthians e Cruzeiro, será preciso que o Fluminense faça uma atuação abaixo da média, tropeçando nos próprios erros e, principalmente, no próprio nervosismo pela proximidade da conquista.

O time do Fluminense é bem armado, tem um técnico competente e jogadores como Darío Conca e Fred, capazes de decidir a partida. Força para vencer o time tem, mas o nervosismo por um eventual 0 a 0 no primeiro tempo, a pressão da torcida e o fato de o time não conquistar o brasileiro desde 1984 é o único adversário que pode impedir o Flu de ficar com o título. Possibilidade que, repito, é improvável, mas é possível.

Muricy Ramalho é quem deve ter papel preponderante nesse aspecto, mantendo o time equilibrado emocionalmente. Ele próprio tem um desafio tático: quem jogará no lugar de Deco? As opções são variadas. Muricy pode escalar Fernando Bob, reforçando a marcação e dando mais liberdade para Conca chegar ao ataque. O técnico pode optar também por Belletti, que dá opção na marcação e na saída de bola.

Outro que pode entrar no time é o lateral Júlio César, improvisado como meia, como já aconteceu durante o campeonato. Equi González também é opção, tornando o time um pouco mais ofensivo, assim como o pouquíssimo aproveitado Williams (ex-Palmeiras e Vitória).

Em possibilidades menos prováveis, André Luís pode entrar na zaga, refazendo o esquema com três zagueiros e liberando os laterais. Por fim, Washington pode entrar no ataque e tornar o time ainda mais ofensivo. Essa última opção é uma possibilidade remota, que é mais provável que seja usada apenas no segundo tempo, se necessário.

Qualquer que seja a opção de Muricy, o time é capaz de vencer, e com conforto. Sem contar que terá um recordista em campo: Darío Conca fará o seu 38º jogo na competição, presença em simplesmente todas as partidas. O único jogador de linha que conseguiu esse feito na era dos pontos corridos (a partir de 2003) foi o atacante Wágner, na época jogador do Guarani. E para ser justo, Fred deveria dar a faixa de capitão a Conca – que foi quem mais a usou a braçadeira na competição – e deixar o argentino levantar a taça.

Alguns tricolores já antecipam que o time será tricampeão, uma vez que conquistou a Taça Roberto Gomes Pedrosa em 1970 – tinha o mesmo papel do Campeonato Brasileiro atual. Em 1984, levou o título brasileiro reconhecido como Campeonato Brasileiro. Independente da nomenclatura e do reconhecimento, o título entrará para a história do clube. Tem tudo para isso. Basta ter calma.

Corinthians e Cruzeiro: resta secar

O Corinthians promete uma festa enorme em Goiânia, onde deve enfrentar o time reserva do Goiás. Com o provável retorno de Ronaldo, o Corinthians terá amplo favoritismo e deve ter o time completo.

O problema é depender do Guarani para ser campeão. De qualquer forma, a vitória em Goiânia garante o segundo lugar e a vaga direta na fase de grupos. O terceiro colocado terá que enfrentar a primeira fase da Libertadores, com um confronto contra um time colombiano, o que é sempre um risco.

É por isso também que joga o Cruzeiro. Contar com dois tropeços, de Flu e Corinthians, é esperar demais da sorte. Um deles é possível. E isso seria suficiente para dar a possibilidade do time celeste ser o segundo colocado e conseguir a vaga direta à fase de grupos da Libertadores.

Vencer o Palmeiras, esse desmotivado Palmeiras, não deverá ser uma tarefa das mais complicadas para o time que vem apresentando o melhor futebol nesta reta final de campeonato.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo