BrasilCampeonato Brasileiro

Eduardo da Silva chegou ao Maracanã se sentindo em casa

A relação de Eduardo da Silva com o futebol brasileiro começou apenas agora, em um momento avançado de sua carreira. Aos 31 anos, mas provavelmente com o sentimento de um jovem que realiza um sonho de moleque, o “croata” teve o melhor primeiro contato possível com o Maracanã, principal casa do futebol nacional. Um gol salvador, no fim do jogo, para dar fôlego à massa flamenguista, que ainda respira com dificuldade, cercada pela aflição da zona do rebaixamento.

VEJA TAMBÉM: Alô, Cruzeiro? Inter e Corinthians querem te fazer companhia no grupo de cima

Apesar de brasileiro, Eduardo da Silva nunca havia passado sequer por um pequeno período como jogador profissional em seu país-natal. Foi encontrar espaço apenas na Croácia, onde em 2001 fez sua estreia pelo Dínamo Zagreb. Foi lá que ganhou projeção, chegou à seleção da nação que o acolheu e passou a ter seu nome conhecido. Na capital croata, deu muitas alegrias à torcida do Dínamo por seis temporadas, mas faltava o protagonismo em seu próprio país, e consegui-lo em tal cenário, sob tais circunstâncias, acrescenta ainda mais significado ao gol deste domingo.

Cerca de 42 mil rubro-negros estiveram nas arquibancadas do Maracanã e explodiram de alívio quando a bola tocada pela cabeça de Eduardo balançou o barbante. Ainda não foi o bastante para sair do Z4, mas a reação precisa partir de alguma coisa, como uma estreia de um jogador diante de sua própria torcida. Embora a trajetória do atleta no clube esteja apenas começando, aquele desvio após o cruzamento pode ter sido o início de uma ótima relação. Todo torcedor em apuros gosta de um salvador, e é essa a esperança que o brasileiro naturalizado croata deu ao flamenguista.

Eduardo da Silva não é um jogador de técnica refinada e grandes lances. Não esperem que ele pegue a bola no meio de campo ou na intermediária e resolva as coisas quando o sistema de criação não estiver funcionando. Ele é exatamente aquilo que o tento sobre o Sport revela: um atacante que sabe se posicionar e aproveitar aquela única bola que chega redonda. Atributos suficientes para, hoje, ter condições de ganhar a titularidade no Flamengo. A aprovação da torcida ele já deve ter.

Confira o gol e a galeria de imagens da vitória do Flamengo sobre o Sport:

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo