Brasil

Mesmo ausente desde agosto, Dudu liderou fundamento desequilibrante no ano bicampeão do Verdão

Camisa 7 do Verdão perdeu 20 jogos do Campeonato Brasileiro, mas não esteve nem próximo de ser superado por companheiros de clube

Dudu se lesionou em 27 de agosto, no jogo em que o Palmeiras bateu o Vasco por 1 a 0 no Allianz Parque, pelo Brasileirão. E, mesmo ficando fora de 20 compromissos da equipe, terminou o ano como líder do Palmeiras em um fundamento desequilibrante.

Ninguém no time do Palmeiras deu mais dribles que Dudu em 2023. Com 46, o camisa 7 teve 16 a mais que Raphael Veiga, o segundo colocado no quesito entre os jogadores do clube.

Dudu, ou melhor, sua ausência, foi o grande motivo de o Palmeiras ter se tornado uma equipe sem capacidade de surpreender os adversários por mais de dez jogos – entre a partida contra o Vasco e a vitória sobre o Coritiba que iniciou a arrancada que levaria o time ao título nacional.

E não foi por ele serum ídolo, um líder, o jogador mais identificado com o clube. Tudo isso é verdade. Mas o motivo de sua ausência ter deixado o Palmeiras tão previsível foi a falta de dribles.

Complicar para as defesas

De acordo com o Footstasts, Dudu foi jogador com a maior média de dribles por partida no Brasileirão dentre aqueles que fizeram ao menos dez jogos, com 1,57 por partida. Pode parecer pouco, mas é mais que o dobro dos 0,58 de Endrick, o segundo colocado do time

Mas até mais do que os dribles de fato, o receio de que eles possam acontecer já basta para desestabilizar um sistema defensivo e mobilizar a marcação adversária.

Quando Dudu pega a bola na esquerda, o seu marcador nunca fica sozinho. E esse deslocamento de alguém para a sobra é o que abria brecha para os outros palmeirenses ganharem terreno.

Ainda falta muito tempo

Operado para uma reconstrução dos ligamentos do joelho direito em setembro, Dudu ainda tem um longo caminho até sua volta aos gramados.

O atacante não deve voltar a trabalhar com bola antes de março. Jogar oficialmente, só mesmo a partir de maio ou junho.

Mesmo agora, com os jogadores em férias, Dudu tem comparecido quase diariamente à Academia de Futebol para tentar acelerar sua recuperação.

Ríos liderou em acertos

A ausência de dribles no Palmeiras começou a ser suprida, além da entrada de Endrick, quando Richard Ríos entrou no time para ser titular.

De acordo com dados do portal de estatísticas SofaScore, o colombiano foi o jogador que mais driblou corretamente no Brasileirão, com 81 % de acerto. Superou jogadores como Arrascaeta, André (Fluminense) e Tchê Tchê.

Muito da qualidade de Ríos para driblar vem de sua origem. Afinal, até 2018, Ríos era só um jogador de futsal da seleção da Colômbia em turnê no Brasil. Avistado pelo Flamengo, foi trazido para o Ninho do Urubu, onde ficou sem espaço.

Em 2021, foi emprestado ao Mazatlán, do México, onde rompeu ligamento cruzado do joelho direito e ficou oito meses sem jogar. Ao retornar para o Flamengo, em 2022, ainda sem espaço, foi cedido ao Guarani.

Do Bugre, veio para o Palmeiras por R$ 6 milhões em abril deste ano. E o resto é história – e uma medalha de campeão brasileiro na parede, como o jogador que mais vezes entrou em campo.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo