BrasilBrasileirão Série A

Botafogo: Diego Costa terá que vencer desconfiança para substituir Tiquinho Soares

Atacante de 34 anos chega para substituir o artilheiro do Brasileirão na busca pelo título

No aniversário do Botafogo, a torcida recebeu um presente e tanto com o anúncio do ataque Diego Costa. O clube carioca, que completou 119 anos neste sábado, confirmou a chegada do hispano-brasileiro de 34 anos, com passagens por Chelsea-ING e Atlético de Madrid-ESP.

Diego Costa defendeu as cores do Wolverhampton, da Premier League, na última temporada e sua passagem apagada gera algumas dúvidas sobre o que esperar do novo reforço do Fogão.

Como Diego Costa chega ao Botafogo

A missão de Diego Costa no Botafogo é muito clara: assumir (e dar conta) do lugar de Tiquinho Soares, artilheiro do time que se lesionou na última semana, na busca pelo título do Campeonato Brasileiro da Série A. Suas qualidades e seu poder de finalização são indiscutíveis, mas o futuro no time carioca parece ser uma incógnita.

Na sua última passagem no futebol inglês, o atacante teve uma média de 53 minutos disputados por partida, sendo titular em 17 dos 25 jogos onde atuou, mas uma lesão em março o deixou fora de três partidas da Premier League. Ele em campo pela última vez em 20 de maio deste ano, na 37ª rodada do campeonato inglês. O atacante foi lançado por Julen Lopetegui aos 25 minutos do segundo tempo, no empate por 1 a 1 contra o Everton, e não marcou.

A única vez que o centroavante balançou as redes com a camisa do Wolves foi contra o Brentfort, na vitória por 2 a 0, na 31ª rodada. O fator não anima quem espera muito do substituto do atual artilheiro do Brasileirão: somando as passagens pelo Wolves e pelo Atlético-MG, ele tem apenas 0,13 gols por jogo – foram seis marcados em 44 partidas.

Como foi a passagem de Diego Costa pelo Atlético-MG

Natural de Lagarto, no Sergipe, Diego Costa não havia jogado profissionalmente no Brasil até 2021. O atacante migrou para o futebol português ainda nas categorias de base e acabou fazendo sua estreia na Espanha, país onde se naturalizou e disputou duas Copa do Mundo.

Em 2021, o atacante foi apresentado no Atlético-MG. Em Belo Horizonte, disputou 19 partidas (sendo 13 como titular), marcou cinco gols e uma assistência. A breve passagem foi marcada por lesões, que não permitiram que ele atuasse por 90 minutos nenhuma vez. Mesmo assim, centroavante participou das conquistas do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil em 2021.

Em uma entrevista concedida ao canal ‘Pilhado', no Youtube, após a saída, Diego Costa deixou claro que a adaptação das filhas foi fundamental para que decidisse deixar o Galo.

“O pessoal do Galo, eu sai super-bem. Eu tinha um acordo lá desde o minuto um. Quando aconteceu a negociação, eu deixei muito claro: ‘Tenho duas filhas, tenho uma situação que depende muito delas, em termos de adaptação'. Quando vi que as coisas não estavam como eu queria, eu falei com o pessoal, entenderam, tinha o acordo”, disse ele.

O acordo a que se referia era de que o vínculo, que valia até dezembro de 2022, poderia ser quebrado amigavelmente por qualquer uma das partes a qualquer momento. À época, ele chegou a negociar com o Corinthians, mas as conversas não foram para frente.

Apresentação no Botafogo

Após a saída do Wolves, Diego Costa passou a ser especulado em diversos times da Série A. Além do Botafogo, rumores apontavam para conversas com o Vasco e até mesmo com o Grêmio, que está em vias de perder Luis Suárez.

Em um vídeo publicado pelo Botafogo, ele se disse feliz por ter sido escolhido “para fazer parte da família”. “Nos vemos em breve”, finalizou.

 

Foto de Paulo Sergio Nunes

Paulo Sergio Nunes

Formando em jornalismo na Universidade do Porto. Filho das jornadas esportivas do rádio. Coberturas de Champions League, Libertadores, Copa do Brasil, Brasileirão e Liga NOS in-loco. Fã das estatísticas, mesmo que, muitas vezes, elas sejam desmentidas no campo.
Botão Voltar ao topo