Brasil

Mesmo lesionado, Cássio não ‘larga o osso’ e dúvida sobre quem estará no gol do Corinthians se mantém

Goleiro do Corinthians viajou mesmo lesionado e pode estar em campo diante do Cianorte; Carlos Miguel fica no aguardo por oportunidade

Cássio, além de expulso, deixou o campo no clássico diante do Palmeiras sentindo muitas dores no quadril. Ao final da partida, o goleiro passou caminhando normalmente no setor de saída da Arena Barueri, mas mesmo assim o goleiro do Corinthians passou por inúmeras avaliações para saber sobre a evolução do desconforto.

Segundo apurado pela reportagem da Trivela, desde o último domingo (18), Cássio ainda reportou sentir dores no local e fez treinos separados do restante do elenco. A expectativa era que o goleiro fosse poupado da partida diante do Cianorte, pela Copa do Brasil, que acontece nesta quinta-feira (21), às 20h (horário de Brasília). Porém, o ídolo corintiano demonstrou o desejo de viajar com elenco. Com isso, o departamento médico do clube continuará avaliando o goleiro até a hora da partida, podendo assim estar em campo.

O goleiro Cássio, que sofreu um trauma no quadril direito no jogo diante do Palmeiras, treinou parcialmente com o grupo e será reavaliado diariamente. – disse a nota do Corinthians

Cássio pode ir no sacrifício apenas para não dar espaço ao Carlos Miguel?

O goleiro alvinegro recentemente completou 700 jogos com a camisa do clube, e apesar da marca expressiva alcançada, há muito tempo Cássio tem sido alvo de reclamações da torcida, principalmente neste começo da temporada, onde o time amargou duros resultados no Campeonato Paulista.

Com isso, o nome do Carlos Miguel passou a ser pauta e um pedido para ocupar vaga titular do Corinthians. E com o boletim médico do Cássio, a expectativa era que o goleiro reserva tivesse sua chance já na decisão da Copa do Brasil, mas isso pode não acontecer.

Um novo questionamento que começa a surgir são os motivos para o multicampeão, como diz o ditado, “não largar o osso”, nem mesmo estando com dores. Poderia ser insegurança de ocupar o banco de reservas por conta da chegada de um novo treinador – mesmo com António Oliveira sabendo do papel fundamental do Cássio – ou a maturidade e pouca experiência do companheiro?

Vale ressaltar que a mesma postura de Cássio também aconteceu com outros goleiros. Hoje no Cuiabá, Walter ficou por muito tempo esperando uma oportunidade de se firmar como titular, mas que também não aconteceu.

Uma possibilidade pode ser o desejo de alcançar o recorde de números de partidas disputadas, ou seja, se tornar o jogador com mais jogos disputados com a camisa do Corinthians. Cássio, por enquanto, ocupa o segundo lugar na lista. A frente dele apenas Wladimir, ex-lateral-esquerdo da época da Democracia Corintiana, com 806 jogos. Faltam “apenas” 103 partidas para bater a marca, por isso o capitão corintiano faz questão de estar no máximo de jogos possíveis.

Cássio faz jogo duro para dar espaço para Carlos Miguel no elenco principal. (Foto: Agência Corinthians)

Fato é que mesmo que Cássio tenha seus motivos para fazer o possível e o impossível para estar em campo com o Timão, depois da partida com o Cianorte, ele não terá muitas opções, isso porque na partida diante da Ponte Preta o camisa 12 estará cumprindo suspensão e inevitavelmente Carlos Miguel ocupará a vaga.

Até uma hora antes da partida em Maringá, a dúvida sobre quem estará ao gol perdurará. E ainda existe a preocupação é de que talvez “forçando” a entrada do Cássio possa causar um agravamento em qualquer tipo de lesão que ele já tenha.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo