Brasil

Confusões na terra do frevo

No próximo domingo, na Ilha do Retiro, Sport e Santa Cruz começam a decidir a edição 2011 do Campeonato Pernambucano. O “clássico das multidões”, como é chamado, terá um surpreendente Santa, dono da melhor campanha do torneio, com 16 vitórias em 24 jogos, e que eliminou nas semifinais o Porto, contra um Sport que começou o torneio capengando, mas que conseguiu a recuperação no segundo turno e cresceu nas semifinais, eliminando o eterno rival Náutico na busca pelo sonhado hexacampeonato. Já o Santa tenta o primeiro título desde 2005.

Entretanto, antes da final o futebol local chamou atenção da mídia nacional graças às acusações do presidente do Náutico, Berillo Júnior, de que o Sport teria oferecido R$ 300 mil para o meia Eduardo Ramos, do alvirrubro, fazer “corpo mole” nas semifinais do estadual – na partida de ida, o Sport venceu por 3 a 1, com Eduardo Ramos tendo atuação apagada. Em coletiva de imprensa na última quinta-feira, Berillo bancou a história ao lado do pai do jogador, que estava visivelmente constrangido. O presidente timbu dizia ter provas do fato, e que ia à Justiça.

Do lado do Sport, dirigentes confirmaram que o genro de um deles esteve com o pai do jogador, mas justificaram que eram amigos desde a passagem do atleta pelo Leão da Ilha, e que não havia história de suborno alguma.

O presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Carlos Alberto de Oliveira, deu declarações indignadas, dizendo que a história manchava o torneio, inclusive usando uma expressão local para expressar sua raiva contra os clubes: “não é brincadeira de menino buchudo. Ninguém vai desmoralizar o Campeonato Pernambucano 2011”.

No dia seguinte, Berillo apresentou um CD com um áudio da suposta reunião do encontro de dirigente do Sport com o pai de Eduardo Ramos, mas o conteúdo do disco mostrava no máximo uma tentativa de assédio por parte do rubro-negro, mas não um suborno. O presidente alvirrubro ainda tentou dar força às “provas”, mas a vergonha já estava estabelecida. Tanto que Berillo virou motivo de piada nas redes sociais, com direito a “trending topic” no Twitter falando “mostra as provas, Berillo!”

Dentro de campo, o técnico Roberto Fernandes tentou ao máximo blindar o elenco das confusões extracampo, mas na segunda partida da semifinal, nos Aflitos, venceu apenas por 3 a 2, resultado que não foi suficiente para avançar à decisão. Assim, deu sequência à sina do Náutico, que não vence o Sport numa partida que vale diretamente um título desde 1985 (em finais de campeonato, o tabu é maior, desde 1968 o Timbu não derrota o Leão numa decisão).

Esta será a maior chance do Sport conseguir o sonhado hexacampeonato estadual, conquista que somente o Náutico possui (entre 1963 e 1968). Os alvirrubros torcerão como nunca por um título do Santa Cruz (seria o primeiro desde 2005) para seguir dizendo “hexa é luxo”.

O elenco do Sport é mais experiente, com jogadores como Magrão, Daniel Paulista, Igor e Dutra, todos há muitos anos na Ilha do Retiro, além do ídolo Carlinhos Bala (um raro jogador que fez sucesso nos três grandes clubes pernambucanos), de Marcelinho Paraíba e do atacante Ciro, que embora esteja fazendo uma temporada irregular, sempre é perigoso.

Já o Santa apostou num elenco de desconhecidos e veteranos, e vem dando certo. Tiago Cardoso, ex-jogador do Atlético-PR, é um goleiro em grande fase; o volante Éverton Sena, de apenas 19 anos, apareceu para todo o Brasil ao fazer duas grandes partidas contra o São Paulo pela Copa do Brasil; e se no começo do campeonato o destaque no ataque era Thiago Cunha, após a contusão deste o destaque tem sido Gilberto, outra revelação da base tricolor. Suas atuações no estadual e na Copa do Brasil chamaram a atenção do Corinthians, que quase o levou, mas uma operação de emergência coral o manteve no clube pelo menos até o final do campeonato estadual.

Nos dois confrontos entre os clubes no campeonato, duas vitórias tricolores, ambas por 2 a 0. O Sport, no campeonato todo, venceu apenas um clássico, justamente o da primeira semifinal contra o Náutico. Fora esse, foram mais duas derrotas e um empate contra os alvirrubros. Já o Santa teve as duas vitórias contra o Sport, além de uma derrota (3 a 1, nos Aflitos) e um empate (3 a 3, no Arruda) contra o Náutico.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo