Brasil

Como um seriado japonês ajudou Emicida a se tornar fanático pelo Santos

Emicida nunca escondeu sua paixão pelo Santos. De tão fanático pelo Peixe, o músico passou a se envolver nos bastidores do clube. Tornou-se amigo de Robinho e Neymar, defendeu publicamente o goleiro Aranha após o caso de racismo na Copa do Brasil e até embalou o último título dos alvinegros no Paulistão, com a música “Levanta e Anda”. Curiosa é a forma como o paulistano passou a se dizer santista. Não teve estímulo de familiares ou de algum craque, mas sim de uma cena inusitada de um seriado japonês da extinta TV Manchete: o Kamen Rider Black RX.

Emicida contou a história de sua relação com o Santos à revista francesa So Foot. O rapper não se submeteu à influência do irmão, corintiano fanático, com quem costuma acompanhar os clássicos – e, obviamente, zoar ou ser zoado. No entanto, o músico também fala como se começou a apaixonar pela mentalidade de jogo do Peixe e aos grandes jogadores da história da Vila Belmiro.

VEJA TAMBÉM: Emicida estava assistindo a Grêmio x Santos, e veja o que ele diz sobre caso Aranha

“Eu torço para o Santos desde que eu era pequeno, mas sou menos do futebol que o meu irmão. Ele poderia te falar quem é o líder do Campeonato Vietnamita. Quando eu era pequeno, assistia a um seriado japonês, o Kamen Rider Black RX. Eu vi que um dos personagens usava a camisa do Santos. E isso ficou na minha cabeça. Além disso, eu gosto da mentalidade do clube, que valoriza a técnica do jogo. A gente teve Pelé, Sócrates, Robinho, Diego e, por último, o Neymar nos deu esperanças”, declarou o músico.

kamenrider

Durante a conversa, Emicida também falou sobre a honra de ter sua música usada para estimular os jogadores do Santos na campanha do título no Paulistão: “Eles estavam ouvindo para ganhar coragem antes dos jogos e se tornou um pouco um hino para o time depois disso. Desde que fiquei famoso, não consigo ver os jogos nas arquibancadas como antes, ao lado de todos os outros. Depois que minha música tocou no estádio, eu tenho direito a um camarote, o que na prática me ajuda a ir ao buffet quando o jogo me aborrece”.

VEJA TAMBÉM: Conheça o tamanho da paixão de Bob Marley pela bola

E, além do Santos, o rapper também comentou sobre a seleção brasileira. Curiosamente, ele estava na Alemanha no fatídico dia do 7 a 1, quando foi de “uma comédia a um filme de terror”. Para sua sorte, não precisou ir ao palco naquela noite, apenas na seguinte. Embora confie no título da Copa América, ele tem uma postura crítica a escolha de Dunga como treinador: “Eu acho que deveríamos começar do zero, ao invés de chamá-lo. Teria sido interessante trazer algum nome novo. Uma pessoa com olhar fresco, novas estratégias e o seu próprio estilo de jogo”.

A entrevista completa de Emicida à So Foot, falando ainda mais sobre sua amizade com os craques do Santos e até mesmo da escolha de sua canção para o jogo Fifa 15, pode ser conferida neste link. Já a cena curiosa de Kamen Rider Black RX, que influenciou um dos santistas mais ilustres da atualidade, pode ser vista abaixo:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo