A CBF apresentou neste domingo a nova camisa da seleção brasileira para o ciclo 2020/21, com uma homenagem ao Tri Mundial, conquistado na Copa do Mundo de 1970. A camisa traz um tom de amarelo que lembra aquela camisa usada por Pelé, Jairzinho, Tostão e companhia. Além disso, é o primeiro modelo da camisa que traz o novo logo da CBF, criado em 2019, mas que não estava na camisa anterior.

A gola careca é similar àquela usada na Copa do Mundo de 1970. Há detalhes em verde na manga e na gola, com losangos na cor verde. No interior da camisa, há um grafismo com “70”, com uma identidade visual que tenta lembrar àquela usada na época. A tipografia dos números na camisa segue essa mesma ideia, se inspirando no grafismo de 1970, com números grandes às costas e também com números mais grossos.

“Mais do que vencer o Mundial no México, a Seleção Brasileira de 1970 e seu futebol significam muito além – a genialidade daquele time ainda ecoa em campo e na mente das pessoas. Estamos homenageando a equipe que instalou revoluções à frente de seu tempo. Com jogadores versáteis que, coletivamente, desafiaram seus papéis pré-estabelecidos. Um estilo de futebol que se tornaria lendário, o ‘jogo bonito’ no seu melhor”, afirmou Gustavo Viana, Diretor de Marketing da Nike do Brasil, no comunicado que apresentou o uniforme.

“Foi com a Seleção Brasileira de 1970 que o futebol transcendeu o esporte e se tornou arte. O time responsável por dar um novo significado para o Brasil aos olhos do resto do mundo, e esse aspecto vanguardista nunca deixou de influenciar o que é o futebol. Em outras palavras, nada pode parar o que é verdadeiramente coletivo e revolucionário”, completa Gilberto Ratto, Diretor Comercial e de Marketing da CBF.

A segunda camisa do Brasil, em azul, trará um design ousado para os padrões da CBF. A camisa é toda em azul, mas a tonalidade muda com losangos que criam uma gradação de um azul mais escuro nos ombros para um mais claro na parte de baixo. A gola também é careca, em azul. O número nas costas é em amarelo, não em branco, como vemos muitas vezes, mas como também já aconteceu em modelos anteriores. Os calções são brancos, com meiões em azul.

A camisa usa a tecnologia Nike Fast Fit Vaporknit, que acelera a evaporação do suor e promete evitar o aquecimento excessivo do corpo do atleta. O material é feito com 100% de poliéster reciclado, feito a partir de fibra de garrafas plásticas. É um processo de produção que vem sendo usado pela marca americana desde 2010 e que usou mais de 7,5 bilhões de garrafas plásticas, segundo a marca. É um processo que a fornecedora americana diz ter menos impacto ambiental.

A nova coleção da seleção brasileira traz, além das camisas, calções e meias, uma linha de produtos casuais, como jaquetas, calças e camisas em versões masculina, feminina e infantil. A venda de toda a linha é feita pelo site da Nike, desde o domingo, 8 de novembro, e a partir do dia 11 de novembro estará disponível em todo o mercado.

Veja as fotos do novo uniforme da seleção brasileira para 2020/21:

Camisa da seleção brasileira 2020/21 (Divulgação)
Camisa da seleção brasileira 2020/21 (Divulgação)
Camisa da seleção brasileira 2020/21 (Divulgação)
Camisa da seleção brasileira 2020/21 (Divulgação)
Camisa da seleção brasileira 2020/21 (Divulgação)
Camisa da seleção brasileira 2020/21 (Divulgação)
Camisa da seleção brasileira 2020/21 (Divulgação)
Camisa da seleção brasileira 2020/21 (Divulgação)
Zagallo com a camisa da seleção brasileira para 2020/21 (Divulgação)