Brasil

Filho de Eliza Samudio, Bruninho é dispensado pelo Athletico-PR

O goleiro, de 14 anos, tinha assinado recentemente um contrato válido até 027

Após encerrar na semana passada as categorias sub-9, 10 e 11, o Athletico-PR dispensou mais um jogador da base. Trata-se do goleiro Bruninho, de 14 anos, filho de Eliza Samudio e do também goleiro Bruno. As informações são do portal UmDoisEsportes.

No Furacão desde 2022, o jovem garoto tinha assinado há apenas cinco meses o primeiro contrato de formação com o clube, em 22 de fevereiro, válido até 2027, que o dava uma ajuda de custo mensal, estudos e atendimentos médicos.

Porém, por problemas de comportamento na escola e em aulas de inglês no Centro de Treinamento do Caju, Bruninho teve o contrato rescindido, apesar do Athletico ter tentado resolver a questão internamente – sem sucesso.

Arqueiro promissor de 1,88 m, o filho de Eliza vive com a avó em Curitiba, onde está desde que se destacou em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e recebeu a indicação para chegar ao sub-13 do Rubro-Negro em 2022.

O caso Bruno e Eliza Samudio

A mãe de Bruninho nunca foi encontrada desde que desapareceu em 2010. A Justiça condenou Bruno em 2013 a 22 anos e 3 meses de prisão pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio.

O ex-goleiro de Atlético-MG, Corinthians e Flamengo passou ao regime semiaberto em 2018. A partir de janeiro deste ano, está em liberdade condicional.

Mesmo com a condenação por crime hediondo, ganhou oportunidade e foi contratado por Boa Esporte, Poços de Caldas e Rio Branco–AC, além de equipes de várzea.

A repercussão negativa da contratação o afastou de algumas equipes, que o fez apostar em carreira de coach esportivo.

Na última sexta-feira (5), foi anunciado pelo União do Bom Destino, time amador do Espírito Santo que disputa o Campeonato Municipal de Água Doce do Norte, município do extremo noroeste do estado.

– Bom dia, galera de Bom Destino, no Espírito Santo! Passando aqui para falar que estou fechado no União. Venho convocar a torcida para encher o campo no domingo e quero contar com a presença de todos – falou Bruno, em na última semana, em vídeo enviado à Secretaria de Esportes de Água Doce do Norte.

O goleiro Bruno, condenado pelo assassinato de Eliza Samudio, com a camisa do Boa Esporte em 2017
O goleiro Bruno, condenado pelo assassinato de Eliza Samudio, com a camisa do Boa Esporte em 2017 (Foto: Icon Sport)

Neste ano, Bruninho disse ter pena do pai

O garoto dispensado pelo Athletico falou pela primeira e única vez até hoje em entrevista à Rede TV, em março de 2024.

Na ocasião, Bruninho detalhou que só sente pena do pai e ficou “indiferente” ao saber do caso da mãe, pois nunca chegou a conhecê-los.

– Era [bom goleiro]. Só que não era uma boa pessoa. Ele tinha uma carreira muito incrível pela frente e destruiu tudo. Fiquei normal [ao saber da história da Eliza], porque tanto meu pai de sangue quanto minha mãe eram pessoas desconhecidas para mim. Não conheci, nunca vi na minha vida. Para mim, não fez tanta diferença – disse o jovem goleiro.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius AmorimRedator

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo