Brasil

Brasil joga para o gasto e bate o Irã

Contra um adversário que pouco exigiu, o Brasil também pouco fez. Assim, nesta quinta-feira, em Abu Dhabi, sob forte calor, a Seleção venceu o Irã por 3 a 0 e conquistou a segunda vitória em dois amistosos sob o comando do técnico Mano Menezes.

A partida começou lenta e se arrastou assim até o final. A superioridade técnica do Brasil, porém, rendeu a diferença no marcador.

Só que foi o Irã que começou assustando. Logo aos cinco minutos saiu o primeiro gol do jogo, mas que acabou anulado. Após toque de cabeça, Ghomali recebeu a bola na pequena área e, em posição legal, virou e chutou forte. O bandeirinha marcou impedimento erradamente.

A partida seguia lenta, mas aos 13 minutos, em uma linda cobrança de falta de Daniel Alves, o Brasil abriu o placar oficialmente. O lateral cobrou da intermediária, no ângulo esquerdo de Mendi Rahmati, sem chances para o goleiros iraniano.

O segundo quase saiu aos 19 minutos. Robinho entrou na área e no meio dos zagueiro bateu colocado, na trave. No rebote, Alexandre Pato, com o gol vazio, chutou para fora.

A partir daí a partida voltou a se desenvolver em câmera lenta. O Brasil pouco atacava, enquanto o Irã tinha mais iniciativa, mas os atacantes eram facilmente desarmados pelos eficientes Thiago Silva e David Luiz.

Na segunda etapa os iranianos começaram pressionando o time do técnico Mano Menezes, que no intervalo sacou Philippe Coutinho e colocou Elias em campo. Com apenas três minutos, a bola foi alçada na área brasileira e Mohammad Nosrati tocou de cabeça. Ela sobrou para Javad Nekounan, que tocou de leve, tirando de Victor, mas Ramires salvou em cima da linha.

A Seleção, então, acordou, e aos sete minutos Pato perdeu outro gol feito. Robinho puxou o contra-ataque e tocou para André Santos na esquerda. Ele avançou e cruzou rasteiro para o atacante do Milan, que bateu de primeira e Rahmati fez bonita defesa.

Mano passou a fazer mais alterações na equipe. Até a metade do segundo tempo já haviam saído Ramires, Carlos Eduardo e o capitão Robinho, para as entradas de Sandro, Giuliano e Nilmar.

Com isso o Brasil voltou a colocar mais velocidade nas jogadas e ampliou o placar. Aos 23 minutos, Nilmar tabelou com Elias na entrada da área e a bola sobrou para Alexandre Pato. O atacante, desta vez, não desperdiçou, bateu alto e marcou o segundo gol brasileiro.

Até o final as duas equipes se contentaram em trocar passes. Vale o registro da despedida dos gramados do veterano Karim Bagheri, de 37 anos, que entrou aos 26 minutos da segunda etapa, no lugar de Masoud Shojaei.

Já nos acréscimos, o Brasil conseguiu marcar o terceiro. Giuliano lançou André Santos na esquerda, que cruzou nos pés de Nilmar. O atacante do Villarreal teve o trabalho apenas de empurrar a bola para o fundo do gol.

Com a vitória, a segunda de 2 a 0, Mano Menezes mantém 100% de aproveitamento com a Seleção Brasileira. O time enfrenta, agora, a Ucrânia na segunda-feira, na Inglaterra, às 15h45.

Ficha técnica

Brasil 3×0 Irã

Local: Zayed Sports City, Abu Dhabi
Data: 07/10, quinta-feira
Árbitro: Farid Ali (EAU)
Gols: Daniel Alves aos 13'/1T, Alexandre Pato aos 23'/2T e Nilmar aos 47'/2T (Brasil)
Cartões amarelos: Robinho (Brasil)

Brasil
Victor, Daniel Alvez, Thiago Silva (Réver aos 32'/2T), David Luiz e André Santos; Lucas (Wesley aos 35'/2T), Ramires (Sandro aos 21'/2T) e Carlos Eduardo (Giuliano aos 14'/2T); Robinho (Nilmar aos 21'/2T), Alexandre Pato e Philippe Coutinho (Elias no intervalo). Técnico: Mano Menezes.

Irã
Mendi Rahmati, Haj Safi, Jalal Hoseini, Khosro Heydari e Mohammad Nosrati; Andranik Timotian, Pejman Nouri, Javad Nekounan e Masoud Shojaei (Karim Bagheri aos 26'/2T); Mohammad Gholami (Hamid Fard aos 9'/2T) e Milad Zanidpour (Iman Mobali aos 14'/2T). Técnico: Afshin Ghotbi.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo