Brasil

Bem que o São Paulo poderia fazer algumas contratações

Dizem que a definição de insanidade é fazer a mesma coisa diversas vezes esperando resultados diferentes. A frase nunca chegou aos ouvidos da diretoria do São Paulo, pelo jeito. Depois de um ano muito atribulado, sem títulos, mas com risco de rebaixamento, quase nada mudou no Morumbi e o time e já começou 2014 dando razão a Albert Einstein, autor da pílula de sabedoria que abriu o texto.

O treinador é o mesmo, os diretores são os mesmos e os jogadores são quase os mesmos. Luís Ricardo chegou da Portuguesa e Álvaro Pereira veio da Inter de Milão. Reforços para as duas laterais. Por outro lado, o atacante Aloísio foi para a China. O Boi Bandido está longe de ser um craque, mas fez gols importantes ano passado e foi um dos melhores jogadores do São Paulo – o que sublinha como a temporada tricolor foi ruim.

Neste domingo, Luís Ricardo estreou na primeira rodada do Campeonato Paulista contra o Bragantino, fora de casa, e foi substituído no segundo tempo por Douglas, para aumentar a sensação de déjà vu. Em Bragança Paulista, Muricy Ramalho conseguiu fazer seus 11 jogadores ficarem com a bola por cerca de 70% do tempo. No Campeonato Mundial de Posse de Bola isso seria muito importante, mas, no Paulista, não é tanto.

O Bragantino defendeu-se, deixou o adversário trocar passes na intermediária e matou o jogo quando teve a oportunidade:  2 a 0, sem grandes sustos. Luis Fabiano mais uma vez deixou a desejar. Paulo Henrique Ganso não repetiu as boas atuações do fim da temporada passada e ainda precisa entrar no ritmo.

Achar que tudo será diferente porque 2013 transformou-se em 2014 é superestimar  os poderes do réveillon. O São Paulo precisa de contratações, principalmente para a defesa e para o ataque, se quiser voltar a brigar pelos títulos, e é apenas nisso que um clube desse tamanho deveria pensar. A análise não se baseia em um jogo, na estreia, mas em todo ano passado. Escapar do rebaixamento novamente seria muito pouco.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo