Brasil

‘Aqui é Corinthians, e nós jamais desistiremos’: António Oliveira extalta torcida e fala de sobre pensar jogo a jogo

Após receber força da torcida na saída do CT, Corinthians empatou heoricamente com o rival, e segue vivo com a possibilidade de classificação

O Corinthians conseguiu o inacreditável neste domingo (18), na Arena Barueri, com dois jogadores a menos em campo – Cássio expulso e Yuri Alberto lesionado – o Timão saiu do estádio onde o rival Palmeiras manda seus jogos, com um ótimo empate, alçando no minuto final da partida, em uma cobrança de falta incrível do recém-chegado Rodrigo Garro, o resultado deixou vivo diante a possibilidade de uma classificação para a próxima fase do Campeonato Paulista.

Como já é tradição, antes do elenco sair a caminho de Barueri, a torcida do Corinthians se concentrou na frente do CT Dr. Joaquim Grava para apoiar o time. Debaixo de chuva, mais de 100 torcedores fizeram um corredor acompanhando o ônibus com o time até o limite do caminho. Logo na primeira pergunta da coletiva, pós-jogo, António Oliveira, que disputou seu primeiro clássico a frente do time, fez questão de exaltar não apenas a postura do elenco, mas também como do torcedor:

— Parabéns aos meus jogadores que nunca desistiram. Parabéns aos que não entraram e estiveram no espírito da equipe. Isso me deixa extremamente satisfeito. Eu queria dar uma palavra a torcida que compareceu à nossa saída, o que revela a vitalidade do clube, e como se costuma dizer: Aqui é Corinthians, e nós jamais desistiremos – afirmou o treinador corintiano.

Um empate heroico diante do rival fora de casa

O Corinthians perdia a partida por 2 a 0, e conseguiu buscar o resultado. O primeiro gol com Yuri Alberto, e o segundo com Rodrigo Garro, tudo isso com dois jogadores a menos de campo, um zagueiro improvisado no gol e uma bola tirada de cima da linha do gol no último segundo pelo volante Raniele. Sobre o resultado no mais “espirito corintiano” possível, Antonio voltou a falar sobre a coletividade:

– Quando nós os orgulhamos (torcedores), a gente percebe o tamanho desse clube. Quando veio o convite, eu tinha na minha outra equipe muitos jogadores que já estiveram aqui. À medida que iam falando do Corinthians, mais vontade tinha de estar aqui. Eu vim com uma expectativa de criar felicidade aos torcedores, jogadores e ao clube, mas sou só uma peça de um plano de várias peças. O caminho que fizemos é curto. Há um caminho longo para percorrer e muitas coisas a melhorar – declarou.

Possibilidade de classificação no Campeonato Paulista

Apesar de somar apenas um ponto, o Corinthians ainda segue vivo em busca de uma vaga na próxima fase do Paulistão. Agora o alvinegro soma dez pontos, está a quatro do vice-líder Mirassol, e ainsa tem mais três jogos, sendo dois em casa e um fora. Mesmo diante da possibilidade, o técnico do Timão falou que o pensamento é jogo a jogo:

Desde que cheguei, vivemos dia a dia, jogo a jogo, e é assim que vamos encarar cada treino e cada semana de preparação. Assim vamos nos preparar melhor e disputar a vitória em todos os jogos. O mais importante é descansarmos, com Ponte Preta, Ponte e Água Santa vamos ter tempo para trabalhar sobre eles. Se ganharmos os três jogos, possivelmente estaremos classificados. – disse António Oliveira

As escolhas do jogo e a continuidade de Fausta na partida

Sem Maycon machucado, António optou por colocar Fausto Vera, que pouco fez, principalmente na parte defensiva, no lance do primeiro gol do Palmeira, o camisa cinco do Corinthians não foi para o embate e deixou Endrick livre para continuar a jogada. Perguntado sobre a insistência em manter o argentino no campo, o treinador foi firme na resposta:

— Ninguém me força a colocar nada. Penso com a minha cabeça. Essa sua colocação não foi a mais feliz. Todos os jogadores contam e são importantes. Todos passam pelos mesmos momentos de resgate de confiança do seu futebol. Conto com o Fausto e com todos os outros. Quem tiver rendimento, joga; quem não tiver, não joga. Não há muito mais a acrescentar. O Maycon sentiu um desconforto na véspera do jogo e prefiro que o jogador não jogue um jogo e fique parado dez. Para suprir e dar a resposta, preferimos poupar o Maycon para esse jogo. – afirmou o treinador

As dificuldades ao assumir o Corinthians

— Deu para entender o que sabia quando aceitei estar nessa cadeira: tem um grupo com caráter, qualidade. Só um grupo com grande qualidade consegue, dentro das circunstâncias que o jogo deu, consegue o empate. No primeiro tempo, o adversário tinha 20 finalizações, 5 no gol. Tivemos seis chutes no gol, mais do que o adversário – comentou.

 

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo