Brasil

Andreas Pereira ama o Flamengo e quer voltar ao clube um dia

Em entrevista exclusiva à Trivela, Willian fala sobre a relação de Andreas com o Flamengo

Depois de seis anos distante, Andreas Pereira voltou à seleção brasileira com a expectativa de viver muito mais do que os 20 minutos em campo que ele teve na vitória por 5 a 0 em um amistoso diante de El Salvador, em 2018. O meio-campista vive um novo momento na carreira com a camisa do Fulham. E mesmo assim, ele não esquece a passagem e todo o carinho que sente pelo Flamengo.

Em entrevista exclusiva à Trivela em Londres, seu companheiro de clube Willian afirmou que Andreas “ama” o Rubro-Negro e que fala bastante de sua passagem pela Gávea no dia a dia de trabalhos. Na opinião do atacante de 35 anos, o meio-campista voltaria ao Flamengo no futuro para ter uma nova oportunidade no clube.

Na chegada de Willian ao Fulham, os dois tiveram uma conversa sobre a pressão e as cobranças desproporcionais que atingem os jogadores nos grandes clubes do Brasil. O atacante decidiu rescindir seu contrato com o Corinthians em 2022 por sofrer ameaças da torcida. Andreas, por sua vez, deixou o Rubro-Negro marcado pelo erro na final da Libertadores daquele mesmo ano.

— A gente não fala muito [sobre passagens no Brasil]. A gente sempre vê as notícias, as redes sociais, a gente comenta. A gente fala. Mas quando cheguei aqui, a gente conversei bastante. Ele falou que foi muito difícil depois daquele jogo, que foi muito pesado para ele. Eu falei: para mim também foi difícil, tive um tempo difícil lá. Mas é um cara que se tivesse a oportunidade, ele ama o Flamengo. Ele ama o Flamengo. Ele sempre fala. Você deve ter visto que ele posta nas redes sociais o Flamengo. Ele ama lá. Não sei hoje, mas de repente mais para frente, futuramente se o Flamengo tiver interesse nele, ele voltaria — disse Willian.

A entrevista exclusiva de Willian à Trivela vai ao ar na íntegra nos próximos dias. Sempre sincero, o meia falou sobre o momento que vive no Fulham, os bastidores do trabalho com José Mourinho no Tottenham e também sobre sua vida em Londres. Ele manteve a posição forte de não querer mais voltar ao Brasil.

— Já voltei para o Brasil, fiquei um ano. Agora, realmente meu pensamento é de permanecer. Antes mesmo de voltar ao Corinthians, eu já tinha o pensamento de que não queria voltar, sempre falava nas entrevistas que não pensava em voltar. Acabou acontecendo. Por algumas questões isso acabou acontecendo. Hoje, sem dúvida nenhuma a minha cabeça é encerrar fora — ressalta Willian.

Passagem pelo Flamengo transformou Andreas

O meio-campista do Fulham retorna à Seleção depois de uma passagem pelo Flamengo que transformou sua vida — em todos os aspectos. Revelado pelo Manchester United, Andreas nunca havia atuado em solo brasileiro antes da passagem pelo Rubro-Negro. Foi só ao entrar no Maracanã lotado que o meia conseguiu ter a real dimensão da paixão do povo brasileiro pelo futebol.

— A volta ao Flamengo foi muito importante para me reconectar com o povo brasileiro, como sempre joguei fora, na Europa, para mim foi importante ter essa conexão com a torcida brasileira. Me identifiquei muito, fiquei à vontade, e são raros os jogadores que voltaram para a Europa e jogaram em alto nível. Só tenho a agradecer por essa oportunidade e estou desfrutando a cada momento — disse o jogador.

Pelo Flamengo, Andreas também ampliou (em todos os sentidos) a sua noção sobre o que é ter responsabilidade. De xodó da torcida por um início ótimo ao erro na final da Libertadores, o meia retornou à Europa bem mais calejado para atuar pelo Fulham. E isso se refletiu em seu desempenho, a ponto de render a convocação para a Seleção

— Ter responsabilidade foi algo que aprendi muito no Brasil, no Flamengo. Carregar sua responsabilidade, ser cobrado, viver o céu e o inferno. Foi difícil, sim, mas fiquei mentalmente mais forte. Isso me ajudou a me fortalecer, voltar a jogar na Europa e buscar essa vaga na Seleção. O mais importante é isso, a gente buscar nossa responsabilidade, saber que o torcedor brasileiro vai cobrar e tem todo o direito de cobrar. A gente está representando o Brasil, a maior seleção do mundo, e com isso vem uma responsabilidade imensa. Eu sei da minha responsabilidade, sei o que tenho que fazer aqui, como grupo vamos entregar todos juntos — ressalta Andreas.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo