Brasil

Camisa 1 de Prass já tem um novo dono na seleção olímpica: Weverton, do Atlético Paranaense

O goleiro Weverton foi convocado para substituir o goleiro Fernando Prass, cortado da seleção olímpica por lesão. O técnico Rogério Micale escolheu o jogador, de 28 anos, jogador do Atlético Paranaense. O nome do jogador era especulado, mas o favorito era Diego Alves, do Valencia, mas a dificuldade em conseguir a liberação do jogador, de 31 anos, favoreceu Weverton, que vai aos Jogos do Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM: Mais que um goleiro, Seleção perde carisma com corte de Prass

O goleiro do Atlético Paranaense começou a carreira no Juventus do Acre, pelo qual disputou uma Copa São Paulo e se destacou. Foi contratado para as categorias de base do Corinthians, em 2006, e, em 2007, passou a ser emprestado para outros clubes, como Remo, Oeste, América de Natal e Botafogo de Ribeirão Preto. Se transferiu em definitivo para a Portuguesa, em 2010.

No clube do Canindé, Weverton conseguiu destaque. Ele esteve no time que ganhou o apelido de Barcelusa, campeã da Série B de 2011. Com contrato até maio de 2012, ele deixou o clube alegando que o clube não o procurou para renovar o contrato. Acertou com o Atlético Paranaense, clube que está até hoje. Se tornou não só um destaque do Furacão como o capitão do time.

Tem como característica ser um jogador de liderança, um goleiro seguro e ótimo pegador de pênaltis. Esta, aliás, foi uma característica que se destaca para o treinador da seleção olímpica. Weverton sido constantemente um dos melhores jogadores do Atlético Paranaense e um dos melhores da sua posição no Campeonato Brasileiro nos últimos anos. Chega à seleção olímpica para assumir a posição de titular e tentar substituir Fernando Prass como uma das referências do time.

E você, o que achou da convocação de Weverton? Deixe seus comentários.

TRIVELA FC: Conheça nosso clube e receba benefícios. Faça a Trivela mais forte!

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo