Gareth Bale deixou o Real Madrid após sete anos de forma incondizente com tudo o que conquistou dentro de campo. Ele certamente teve sua parcela de culpa na construção da relação turbulenta que teve com os Merengues, mas afirma não ter arrependimento algum sobre como se comportou na capital espanhola, agora que acertou seu empréstimo por um ano ao Tottenham.

Em entrevista à Sky Sports, Bale, que acumulou episódios de ruído com o Real Madrid, como a aparente dedicação desproporcional ao golfe e a polêmica da bandeira “País de Gales, golfe, Real Madrid, nesta ordem”, afirmou ter se dedicado ao futebol e apontou que o que é dito sobre ele não está em suas mãos: “Não tenho nenhum arrependimento, não. Apenas tento jogar futebol, isso é tudo que posso fazer, e o resto, o que é dito externamente, está fora do meu controle”.

“Como eu disse, não tenho arrependimentos quanto ao que fiz. O que quer que outras pessoas tenham dito, isso é com elas. Sei minha opinião de mim mesmo, e minha família sabe exatamente quem eu sou, então isso é tudo com que estou preocupado.”

Embora isso esteja mudando nos últimos anos, não é muito comum que jogadores britânicos, mesmo os de altíssimo nível, atuem fora do Reino Unido. Bale, ele próprio, enfrentou dificuldades em sua adaptação, mas afirma ter crescido com isso, sobretudo com a pressão por vezes difícil de compreender por parte da exigente torcida do Real Madrid.

“É claro que, indo para uma cultura diferente, um país diferente, tive que crescer como pessoa, imagina como jogador. Você aprende a lidar com as situações. É claro que estive em situações de imensa pressão. Tive pessoas me vaiando no campo, no estádio. Então, sim, aprendi a lidar com esse tipo de coisa, a não levar a sério, pessoalmente, e simplesmente seguir em frente. É futebol, algo que você ama fazer, e você só precisa dar seu melhor. Às vezes, isso é tudo que você pode fazer”, comentou.

Emprestado por um ano ao Tottenham e ainda com dois anos de contrato com o Real Madrid, Bale agora já virou a chave para os Spurs. Possivelmente, não deverá voltar à Espanha, e o seu desempenho nesta temporada pode ajudar a sedimentar seu retorno definitivo ao clube do norte de Londres. Diante deste cenário, só tem um objetivo: contribuir para o bom desempenho coletivo de sua equipe, jogando agora em um clube transformado em relação ao que viveu entre 2007 e 2013.

“Claro que, sempre que você vai para um clube, você quer ir bem, quer ajudar o time o máximo possível. Temos uma grande equipe aqui, com um grande elenco. Eles têm ido muito bem. Evidentemente, no tempo em que estive fora eles seguiram em frente e alcançaram a final da Champions League, o clube tem um novo estádio. O clube, em si, está melhor, está se saindo melhor na Premier League a cada ano. Então, eu simplesmente quero acrescentar algo a isso. Quero tentar trazer um pouco mais ao time e tentar evoluir cada vez mais, na direção certa.”

Bale adoraria poder reestrear pelo Tottenham diante do torcedor, que certamente faria uma grande festa para recebê-lo. Com a impossibilidade de tal celebração, o momento é de abaixar a cabeça e seguir em frente.

“Claro que é decepcionante não ter os torcedores no estádio para o meu primeiro jogo de volta, porque sinto que a recepção seria incrível, mas estou ansioso para jogar futebol, jogar com a equipe, fazer o meu melhor, ajudar o time e ter uma grande temporada coletivamente.”