América do Sul

Universidad Católica do Equador vai na base da base

Apostar nos jovens talentos das categorias de base é sempre visto com bons olhos. Desde que, é claro, seja feito com parcimônia e em conjunção com o aproveitamento de atletas mais experientes. O que dizer então de um time que praticamente só usa jovens jogadores e que tem média de 22,4 anos no elenco principal? Uma tragédia do ponto de vista do planejamento, uma aposta arriscada e uma responsabilidade gigantesca certo? Pode ser os três, mas no caso da pequena Universidad Católica do Equador tem dado muito certo.

O clube fundado em 1963 e batizado com o nome do referente chileno é o líder do Segunda Etapa e tem a possibilidade de conseguir chegar à final do campeonato, disputada contra o campeão do Primera Etapa, o Emelec. A tarefa é díficil: faltando oito rodadas para o fim do torneio, o Trencito Azul tem dois pontos de vantagem em relação ao próprio Emelec e já mostra alguns sinais de que o elenco não aguentará o tranco. Mesmo assim a campanha é um sucesso.

A Universidad Católica voltou à primeira divisão neste ano, depois de duas temporadas na segundona. O time que conseguiu o acesso tinha grande parte dos jogadores que estão na equipe de 2013. Ou seja, jovens que eram ainda mais jovens. Sob o comando do técnico argentino Jorge Célico, o clube de Quito joga com o que os garotos tem de melhor: disposição, entrega e velocidade.

No 4-3-3 ou 4-4-2 o Trencito Azul envolve os adversários com marcação sob pressão e enfiadas de bola longas pelos lados do campo. Os irmãos Henry Patta e Elvis Patta são os responsáveis por levar o time à frente com as arrancadas e corridas para a linha de fundo. Eles quase sempre recebem os passes de Pablo Palacios e Facundo Martínez, que se posicionam no centro do campo, mas que estão longe de serem jogadores de marcação. Quando a bola está no local certo, duas opções: ou os habilidosos irmãos entram pra dentro da área ou servem o centroavante Federico Laurito, vice-artilheiro da temporada com 21 gols.

O bom desempenho dentro de campo, no entanto, não livra a Universidad Católica dos problemas que atingem diversos outros clubes do continente. Em entrevista recente o goleiro Galindez afirmou que o elenco está há dois meses sem receber salários, mas que ninguém cogita paralisar as atividades nem nada do tipo. Dado este cenário, é bem possível que o time seja desmantelado ao fim desta temporada, seja com título (seria o primeiro da história), vice-campeonato ou sem nada.

Em todo caso o esforço vale a pena. Para um clube que conheceu seu auge na década de 70, quando foi duas vezes vice da elite, e que desde então só tem títulos da Série B, poder bater de frente com os grandes do país e mostrar a performance de jovens atletas formados na agremiação já é um feito enorme. De toda a forma, pelo menos uma Sul-Americana deve rolar.

Mais Equatorianas

O colunista escreveu este texto durante o empate da Católica com o Macará por 1 a 1. Com o resultado o Trencito Azul lidera com 29 pontos contra 27 do Emelec e 24 do Independiente.

Chilenas

No Chile, o O’Higgins faz mais uma boa campanha sob o comando de Eduardo Berizzo, ex-auxiliar técnico de Marcelo Bielsa. O time venceu o Huachipato por 1 a 0 e lidera a competição com 20 pontos. A Universidad Católica empatou por 2 a 2 com o Deportes Iquique e tem 18 pontos. O Cobreloa também tem 18 pontos, enquanto a Universidad de Chile tem 15. Já o Colo-Colo amarga a décima sexta posição e corre risco de rebaixamento.

Paraguaias

No Paraguai o primeiro turno foi encerrado com o Cerro Porteño na liderança. O Ciclón soma 27 pontos contra 23 do General Díaz e 19 do Deportivo Capiatá. O Libertad é o quarto e o Olimpia o nono.

Colombianas

Na Colômbia o Atlético Nacional continua sem perder. Nesta semana os comandados de Juan Osorio empataram por 0 a 0 com La Equidad. Os verdolagas ainda lideram o torneio Finalización com 26 pontos em 10 jogos. O Deportivo Cali tem 22 pontos, mas em 12 jogos. Os outros que hoje estariam classificados aos playoffs são Junior, Millonarios, Santa Fe, Patriotas, La Equidad e Independiente Medellín.

Peruanas

No Campeonato Peruano o Real Garcilaso empatou por 1 a 1 com o Sport Huancayo e deixou o Sporting Cristal, que venceu a Universidad César Vallejo, se aproximar na Liguilla A. O Garcilaso tem 64 pontos contra 61 do Sporting Cristal. Na Liguilla B o Universitario venceu o Inti Gas e tem 61 pontos contra 53 do UTC de Cajamarca. Os campeões de cada Liguilla fazem a final.

Venezuelanas

Na Venezuela o Caracas empatou por 1 a 1 com o Estudiantes de Mérida, mas lidera o torneio nacional com 19 pontos em oito jogos, mesma pontuação do Deportivo Anzoátegui, que bateu o Táchira. O Carabobo e o Zamora são o terceiro e quarto colocados, respectivamente.

Bolivianas

Na Bolívia o The Strongest perdeu para o Jorge Wilstermann, mas ainda é o ponteiro, agora ao lado do Nacional Potosí que venceu o clássico contra o Real Potosí. Os dois líderes tem 18 pontos em nove jogos. O Bolívar é o terceiro.

Uruguaias

– Não houve rodada do campeonato uruguaio devido à paralisação dos bilheteiros e funcionários dos estádios. Eles pedem reajuste salarial e melhores condições de trabalho, entre elas mais segurança e repasse dos valores de ingressos vendidos pela internet e em postos de Montevidéu.

– O Danubio lidera com 13 pontos, seguido de perto por River Plate e Nacional. O Peñarol é o 11º.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo