América do Sul

Uma pálida sombra

O revigorado Peñarol, vice-campeão da Libertadores 2011 e um símbolo de entrega dentro de campo, corre o risco de terminar o ano de seu reencontro com suas tradições de uma forma bastante amarga. Depois de estar praticamente com o título do Apertura 2011 na mão, a equipe carbonera perdeu o rumo e até mesmo sua atitude dentro de campo é alvo de críticas nesta reta final do torneio.

Os dois primeiros golpes para o Peñarol vieram no início do segundo semestre, quando o elenco da Libertadores foi desmontado e o técnico Diego Aguirre – tido como um dos principais responsáveis pela excelente campanha na Libertadores – deixou o clube para faturar os milhões no futebol do Catar. A direção aurinegra agiu rápido e trouxe Gregorio Pérez, também com passagens bem sucedidas pela equipe, para dirigir os vice-campeões continentais na busca por mais um título uruguaio.

As coisas começaram bem. Nos cinco primeiros jogos sob o comando de Pérez, o Peñarol ganhou quatro – dois por goleada – e empatou um. O feito empolgou os torcedores, que viram seu clube de coração colocar sete pontos de vantagem sobre um combalido e perdido Nacional, que tentava se acertar sobre o mando do novato comandante Marcelo Gallardo.

Praticamente empatado com o Cerro em pontos, restava aos carboneros vencerem o adversário direto para assumirem a liderança, calando definitivamente os críticos que falaram mal da desmontagem do elenco e que supervalorizaram os mandos de Diego Aguirre… O frustrante 0 a 0 em 15 de outubro abaixou a empolgação de todos, mas não havia de ser nada. Com 15 dias de folga em função da disputa do Pan-Americano de Guadalajara, Pérez disse que ajustaria o time e que o Peñarol sairia fortalecido da parada obrigatória.

Não foi o que aconteceu. Na volta do recesso, derrota por 3 a 0 para o Liverpool, com um futebol muito ruim e a perda da invencibilidade no torneio. Mas as coisas ainda estavam mal e mal sob controle e bastava vencer dali em diante para assumir a liderança… Ser derrotado por 2 a 1 pelo Wanderers em casa, no entanto, não estava nos planos. Ainda mais com outra apresentação ruim, com direito a expulsão do artilheiro Marcelo Zalayeta às vésperas do maior clássico do futebol do país.

Os dois clubes estavam pressionados. O Peñarol pela péssima fase. O Nacional pelo momento de ascensão e real chance de colocar a mão em uma taça que parecia completamente perdida. Em uma partida cheia de nervosismo e algumas chances para os dois lados, foram os carboneros que saíram na frente, já no segundo tempo, com Rosano. Três minutos depois Gonzalo Bueno empatou para o Bolso e, no último minuto de jogo, Recoba fez, de pênalti, o gol para lavar a alma do Nacional e afundar mais o Peñarol.

Resultado: com as três derrotas seguidas e dois jogos por fazer, os aurinegros estão na terceira posição, há quatro pontos do agora líder Danubio, e com o risco de assistirem mais um título do Nacional, que é o segundo, com dois pontos a mais que o Peñarol… Culpa de Gregorio Pérez? Em parte sim, principalmente por insistir com o mesmo time em meio a péssimas partidas, mas o principal motivo certamente é a falta de um elenco mais qualificado.

Após a Libertadores o clube perdeu 16 jogadores, dois quais oito figuravam constantemente no time. Nomes como o goleiro Sebastián Sosa, o zagueiro Guillermo Rodríguez, os volantes Luis Aguiar e Matias Corujo, os meias Mier e Martinuccio e os atacantes Urretavizcaya e Juan Manuel Olivera. Para seus lugares o clube até contratou, mas investiu em jogadores de pouco renome e que ainda precisam evoluir muito para atuar com a camisa do Peñarol. Os contratados mais expressivos foram o atacante Marcelo Zalayeta, que foi mesmo o principal nome do time, e o brasileiro João Pedro, jovem meia que teve passagem pelo Atlético-MG e que defendeu brevemente o Palermo, da Itália.

Não à toa, com a ausência de Zalayeta a equipe carbonera entrou com um rapaz de 21 anos no comando de ataque, enquanto lá atrás o goleiro Carini, substituto de Sosa, falhou uma vez mais. Para ficar ainda mais claro: o time do Peñarol na final da Libertadores era Sosa; González, Valdez, Gonzalo Rodríguez, Darío Rodríguez; Corujo, Freitas, Aguiar e Mier; Martinuccio; Juan Manuel Olivera enquanto o time base no campeonato atual é Carini; Rosano, González, Valdez e Darío Rodríguez; Torres, Freitas, López e Maxi Pérez; João Pedro; Zalayeta.

São muitas mudanças, com diversos substitutos aquém dos que recolocaram o clube no mapa do futebol mundial. Assim fica difícil manter a trajetória ascendente…

Copa Sul-Americana

– Vasco 1×1 U. de Chile: Com foco total na Sul-Americana, La U tomou um semivareio do Vasco na primeira etapa, mas insistiu, mudou e conseguiu o empate. Tem 70% de chance de passar.

– LDU 2×0 Vélez: Com uma surpreendente superioridade durante todo o cotejo, a LDU fez 2 a 0 na altitude de Quito e tem tudo para passar à final, muito embora tenha atuações preocupantes fora de seus domínios. LDU com 60% de chance de avanço.

– Sobre a vaga na Libertadores:

a) Após questão levantada pelo companheiro de Rádio Globo Marcelo Bechler e apurada pelo também companheiro Marcelo Gomes, da CBN, ficou um pouco – mas só um pouco – mais clara a situação sobre a vaga dada pela Sul-Americana à Libertadores de 2012. Explica-se: o Vasco já está na Libertadores pelo título da Copa do Brasil, a Universidad de Chile já está na Libertadores pelo título do Apertura chileno, o Vélez também está classificado pelo título do Apertura argentino da temporada 2010/11 e a LDU está em vias de se classificar, desde que vença o confronto direto contra o quarto colocado no campeonato do Equador. Sendo assim… com quem fica a vaga? Nem mesmo a Conmebol sabe bem. Em entrevista a Marcelo Gomes, Nestor Benitez, porta-voz da confederação, disse que o quinto colocado ficaria com a vaga. Quem seria o quinto? Não se sabe, mas há boatos de que seja a equipe com maior número de pontos feitos, independentemente da fase em que deixou a competição.

b) Por esses critérios a vaga seria do Libertad, mas a equipe gumarela pode ir à Libertadores pelo campeonato paraguaio, o que significaria dar a vaga ao sexto colocado, o Universitario do Peru. Agora, em se tratando de Conmebol, tudo pode mudar.

– A Conmebol também anunciou que no ano que vem o número de times participantes passará dos atuais 39 para 47. Dessa maneira todos os países da América do Sul terão quatro vagas na edição 2012, exceção feita à Argentina, que terá seis times, e ao Brasil, que terá oito.

Uruguaias
Além do Nacional 2×0 Peñarol, o Danúbio venceu o Cerro por 1 a 0 e está na liderança, com 28 pontos. Faltando dois jogos, o Nacional tem 26 e o Peñarol 24. Defensor Sporting e Cerro, com 23, tem chances remotas de título no Apertura.

Peruanas
– O já classificado à final Alianza Lima perdeu por 2 a 0 do Sport Huancayo, mas se beneficiou do empate do Juan Aurich por 0 a 0 com o Inti Gas. Faltando duas rodadas, o Juan Aurich tem 53 pontos, ante 47 do Huancayo, que ainda tem chances de classificação à decisão.

– Na próxima rodada o Sport Huancayo enfrenta o Alianza Atlético em casa, enquanto o Juan Aurich recebe o Cobresol.

Colombianas
– Depois dos resultados do fim de semana quatro equipes já estão classificadas para as quartas de final. São elas: Junior de Barranquilla, Envigado, Itagüí e Millonarios. Once Caldas e Boyacá Chicó estão virtualmente classificados, já que têm 26 pontos e um bom saldo de gols. Assim, as duas últimas vagas são disputadas por seis equipes: Santa Fe, Quindío, América de Cali, Nacional, Independiente Medellín e Tolima.

– Para quem quiser fazer mais contas, faltando uma rodada para o fim da fase classificatória, a Liga Postobon II tem Junior com 30 pontos, Envigado com 28, Itagüí com 27, Millonarios também com 27, Once Caldas e Boyacá Chicó com 26, Santa Fe com 25, Quindío com 24, América de Cali com 23, Nacional de Medellín, Independiente Medellín e Tolima com 22 pontos.

Chilenas
– No Clausura chileno a Universidad de Chile ficou no 0 a 0 com a Católica, mantendo a invencibilidade no torneio. O Colo Colo empatou por 1 a 1 com o Deportes Iquique.

– Faltando uma rodada para o fim da fase classificatória aos playoffs, seis equipes já estão garantidas no mata-mata. São elas, na ordem: Universidad de Chile, Cobreloa, Audax Italiano, Deportes La Serena, Colo Colo e Universidad Católica. Unión Española, Cobresal, Unión La Calera e Santiago Wanderers ainda brigam pelas duas vagas restantes

Paraguaias
– O Libertad perdeu uma chance incrível de se distanciar na liderança do Clausura do Paraguai. No meio de semana a equipe gumarela fez seu jogo atrasado e perdeu para o 3 de Febrero por 2 a 1 fora de casa. Mesmo assim a equipe ainda lidera o campeonato, depois de ter batido no final de semana o Rubio Ñu e ter contado com o tropeço do Nacional – derrotado pelo Independiente por 3 a 1.

– Somando também o frustrante 0 a 0 de Cerro Porteño e Olimpia – clássico no qual o Decano foi melhor que o Ciclón – a tabela mostra o Libertad na ponta com 32 pontos em 17 jogos. Na segunda posição está o Nacional, também com 32 , seguido pelo Olimpia com 31 e pelo Cerro com 30. Faltam 5 rodadas para o fim do torneio.

Equatorianas
– Tivemos rodada no fim de semana e no meio desta semana e quem se deu bem foi novamente o Deportivo Quito. No domingo a equipe chulla venceu o Espoli por 2 a 1 e na quarta bateu o Cuenca também por 2 a 1. Com os resultados o Deportivo Quito abriu dez pontos de vantagem e garantiu, além do simbólico título do Segunda Etapa, a  classificação para a final do campeonato contra o Emelec, ganhador do Primera Etapa.

– A briga agora é para saber quem fica com a terceira vaga equatoriana na Taça Libertadores 2012. Hoje LDU e Barcelona, terceiro e quarto colocados na tabela geral, se enfrentariam pela classificação em dois jogos. O Barcelona, aliás, assumiu a segunda posição do Segunda Etapa depois de derrotar o Emelec no clássico de Guaiyaquil – 2 a 0 – e bater o Olmedo por 2 a 1.

Venezuelanas
No Apertura da Venezuela o CD Lara assumiu a liderança do campeonato. A equipe rojinegra derrotou o Yaracuyanos fora de casa por 2 a 0 e chegou aos 31 pontos em 13 jogos. A ponta da tabela veio com o tropeço do Caracas, que perdeu para Deportivo Petare por acachapantes 4 a 1, e estacionou nos 29 pontos. Faltam quatro rodadas para o fim do torneio e Petare e Mineros correm por fora na briga pelo título.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo