América do Sul

Um novo Sampaoli, um novo Loco Bielsa

Darío Javier Franco Gatti jamais esquecerá o 12 do 12 de 2012. Às 9 e meia da manhã ele acordou em Santiago e foi direto para uma reunião com um dirigente da Universidad de Chile. Lá ficou sabendo que tinha a admiração dos responsáveis por gerir o clube, mas que os 43 anos de idade e os apenas seis de atividade como técnico – todos em times sem muita expressão – eram um empecilho para que ele se tornasse o novo treinador azule.

O argentino de Córdoba, no entanto, não foi pego de surpresa. Já estava ciente desta resistência e do afã de muitos dirigentes para trazer nomes badalados como Jorge Fossati e Ricardo Gareca para o lugar de Sampaoli, agora técnico da seleção chilena. Franco, no entanto, tinha um trunfo. Na reunião da tarde com toda a direção da Universidad de Chile, o treinador surpreendeu: antes de ser sabatinado colocou na mesa um extenso documento com a análise individual de cada um dos atletas que compõe o elenco de La U. Nele constavam, além da ficha técnica, os minutos disputados na temporada e o rendimento físico dos jogadores.

À surpresa na sala se seguiu a exposição do plano dia a dia para a pré-temporada, que começa no dia 27 de dezembro. Os resquícios de indecisão dos mandatários aos poucos se esvaíram, ainda mais quando Franco num rompante de sinceridade e personalidade afirmou: “Vamos por todo”. Ou seja, a Universidad de Chile vai atrás dos títulos que lhe deram o protagonismo no continente.

Na tarde desta quinta-feira o cordobense entrou na sala de imprensa de La U não mais como um treinador qualquer, mas sim como o homem escolhido para conduzir El Romântico Viajero na temporada 2013. Suas primeiras palavras reafirmaram as convicções em um futebol ofensivo e de protagonismo que acompanham Franco desde o início da carreira de jogador. Afinal de contas ele foi forjado na base do Newell’s Old Boys com ninguém mais, ninguém menos que Marcelo Bielsa.

Exatamente. Franco, tal qual Sampaoli, é um bielsista convicto e fiel que trabalhou com El Loco como jogador. Em entrevista o cordobense disse: “Bielsa para mim é o melhor. É detalhista, não deixa nada de lado. Reúne tudo”. As ideias de Franco para o futebol são as mesmas do mestre: 3-4-3, pressão na saída de bola, movimentação intensa e busca pelo gol a todo o momento. Foi assim no Monarcas Morelia, no Tecos e Atlas do México, no San Martín e no Instituto de Córdoba da segundona argentina, seu melhor trabalho até o momento. Com um time limitado, Franco aplicou com afinco os ideias bielsistas e conseguiu chegar com o El Glorioso à terceira posição, credenciando o time a disputar pelo acesso contra o San Lorenzo. A partida terminou com derrota, mas o trabalho foi devidamente exaltado.

E é assim que o argentino chega à Universidad de Chile. A ideia é claramente dar continuidade ao que foi construído por Sampaoli, se possível melhorando as lacunas deixadas pelo ex-comandante. A principal delas se refere ao elenco. Franco já pediu um camisa 9 e um defensor capaz de assumir a titularidade. Dentro de campo o 3-4-3 de outrora será mantido. Os ajustes no posicionamento e na recomposição é que devem ser mais trabalhados.

Um outro fator importante será a motivação e disciplina dos atletas. Tal qual Bielsa e Sampaoli, Franco é um cara agitado e explosivo. A questão é que ele parece ser ainda mais intenso que os conterrâneos. Basta dizer que o novo técnico de La U chegou para a apresentação com a mão enfaixada. O motivo? Bateu forte demais em uma porta ao ver seu time perdendo. Se vai dar certo é outra história, mas a Universidad de Chile parece ter feito uma escolha baseada em uma nova filosofia. O clube tem um plano para o longo prazo e isso é essencial no futebol sul-americano fora do Brasil.

Colombianas

Na Colômbia, Millonarios e Indepndiente Medellín fazem o jogo decisivo do campeonato neste domingo em Bogotá. A primeira partida foi 0 a 0. Quem vencer é campeão nacional.

Paraguaias

No Paraguai o fim de semana será de decisão do título. Libertad, Guaraní e Nacional disputam o troféu. O Libertad precisa vencer o Sportivo Luqueño para ser campeão. O Gumarelo tem 44 pontos. O Guaraní tem 43 e enfrenta o Rubio Ñu. Já o Nacional tem 42 e enfrenta o Independiente.

Peruanas

No Peru o Sporting Cristal venceu o Real Garcilaso por 1 a 0 e se sagrou campeão com 2 a 0 no agregado. É o 16º título do clube de Lima.

Chilenas

No Chile a decisão do Clausura foi emocionante. O Huachipato precisava chegar a uma vitória por dois gols de diferença para levar o jogo para os pênaltis. A equipe saiu perdendo, mas conseguiu um 3 a 1 no último minuto de jogo. Nas penalidades máximas deu Huachipato: 3 a 2.

Bolivianas

Na Bolívia o The Strongest empatou por 2 a 2 com o Real Potosí e se sagrou campeão do Apertura com uma rodada de antecedência. Destaque do campeonato? Pablo Escobar, autor de 20 gols em 21 jogos até aqui.

Equatorianas

No Equador, Emelec e Liga de Quito definem no domingo quem vai direto para os grupos na Libertadores. O primeiro jogo, em Quito, foi 2 a 1 para os Eléctricos.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo